Tríduo de Corpus Christi – Segundo Dia

Posted by: | Posted on: maio 28, 2012

A PARÓQUIA, COMUNIDADE EUCARÍSTICA

1. Acender as duas velas e fazer a Oração de Abertura (ver no início deste roteiro);

2. Palavra do Senhor – At 2,37-47;

3. Para acolher a Palavra de Deus, seguir de certo modo, os passos da leitura orante:

a) Uma pessoa faz a leitura do texto proposto;

b) Em seguida, num tempo de silêncio, cada participante relê o texto na sua Bíblia, procurando entender o Deus quer lhe dizer (meditação);

c) Depois, partilhe suas descobertas, esclareça suas dúvidas e repita a frase ou a palavra que você deseja que Deus realize em sua vida;

d) Assuma um pequeno compromisso, a partir da leitura (contemplação);

e) Conclua essa parte rezando o Salmo 22(23), do Bom Pastor;

4. Depois de ter acolhido a Palavra de Deus, meditar a Palavra da Igreja.

ORAÇÃO DE ABERTURA

PALAVRA DA IGREJA

Carta Pastoral de Dom Odilo Pedro Scherer – Cardeal Arcebispo de São Paulo (2011)

T. Queremos ser uma Igreja verdadeiramente discípula e missionária de Jesus Cristo na nossa cidade.

D. Tomemos, pois, uma consciência renovada sobre o significado da PARÓQUIA.

L1. Ela é o rosto mais visível e concreto do Mistério da Igreja, “Sacramento da salvação” no mundo; é uma comunidade de batizados, congregados em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, vivendo a fé, a esperança e a caridade.

T. Sim, a Paróquia é o rosto mais visível e concreto do Mistério da Igreja!

L2. Ela se reúne ainda hoje em torno de Jesus Cristo Salvador, Senhor e Pastor da Igreja, representado visivelmente pelo Ministro ordenado, que está no meio dela e à sua frente para servi-la e conduzi-la na caridade.

T. Abençoa, Senhor, nossos Bispos, nossos Padres e Diáconos; fortalecei os seminaristas e dai-nos muitas e santas vocações sacerdotais.

L3. A Paróquia é “casa de Deus” no meio das casas dos homens, templo de Deus edificado com pedras vivas, que são todos os batizados. Ela é o “corpo de Cristo”, através do qual Ele continua a se expressar, a ir ao encontro das pessoas e a realizar no mundo sua tríplice missão de servir, ensinar e santificar.

T. Importa viver, Senhor, unidos no amor, na participação, vivendo em comunhão.

D. A Paróquia é o concreto e visível “povo de Deus”, que irradia no mundo a luz de Cristo, difunde o sal e o fermento benéfico do Evangelho e vai fazendo aparecer os sinais do Reino de Deus, anunciado por Cristo e já presente no meio de nós.

L1. Ela é a “comunidade missionária dos discípulos de Cristo” no meio do mundo. É comunidade de pequenas comunidades de irmãos. E é também o conjunto de organizações, estruturas e iniciativas pastorais a serviço da vida e da missão da Igreja.

T. Ela é a imagem visível daquilo que é a Igreja de Jesus Cristo, na sua totalidade e no seu mistério humano-divino.

L2. Como a Igreja inteira, assim também cada paróquia poderia ser comparada ao corpo, com uma só cabeça, uma única vida, mas muitos membros, órgãos e funções: todos a serviço da vida e da missão do único organismo (cf. Gl 6,15; 2Cor 5,17).

T. Nós somos o Corpo de Cristo, animado por um mesmo Espírito, o Espírito Santo, que dá unidade e coesão ao corpo todo. Em cada paróquia, somos o povo de Deus, com a riqueza e a variedade de dons e carismas que o Espírito Santo concede para a vitalidade de todo o corpo eclesial.

D. Na paróquia torna-se presente e se realiza a tríplice missão de Cristo – o anúncio da Boa Nova, a santificação da humanidade e o serviço pastoral – que é a razão de ser da vida e da ação de toda a Igreja e também de cada paróquia.

L1. Anunciar a Palavra de Deus e testemunhá-la pela vida é a primeira e mais importante missão da paróquia; é Jesus Cristo que, através da Comunidade paroquial, e nela, quer continuar a ser o anunciador e mestre da Boa Nova. A Igreja vive da Palavra de Deus, como vive da Eucaristia, Pão da Vida.

T. Sem um constante e amoroso serviço de anúncio, escuta e acolhida da Palavra de Deus, a fé esfria, a moral se desvia, as organizações eclesiais perdem seu sentido e a comunidade fica desorientada. Seria como uma árvore que não recebe mais água…

L2. A paróquia tem a missão de proporcionar a todos os fiéis os meios para a santificação, mediante a celebração dos Sacramentos, especialmente a Eucaristia e a Penitência, o cultivo da oração pessoal e comunitária, o incentivo à escuta atenta e à prática da Palavra de Deus.

L3. É preciso recuperar a centralidade da celebração dominical para revitalizar a Paróquia. Domingo é o dia em que o Senhor Ressuscitado quer encontrar seus discípulos e se manifestar a eles; é dia de Missa e de encontro alegre com os irmãos. Domingo é também o dia da grande manifestação da Igreja, do testemunho, dia de buscar o alimento da fé, esperança e caridade.

T. A Paróquia é a comunidade dos “santificados” pela graça de Deus, chamados a viver vida santa e a santificar o mundo com sua presença, sua ação e testemunho.

D. A comunidade paroquial é significada e tornada visível, de modo especialmente profundo, na celebração eucarística dominical.

L3. Convocados pela Palavra de Deus, os fiéis respondem com fé e acorrem, no “Dia do Senhor”, à reunião em torno de Cristo Ressuscitado, proclamando os “Mistérios da Fé” na Palavra de Deus, na Eucaristia e na oração em comum, alegrando-se na esperança e aprofundando a caridade.

T. A assembléia eucarística é a expressão mais visível e sacramental da Igreja.

D. O próprio Senhor Jesus Cristo se faz presente “onde dois ou mais estão reunidos em seu nome” (cf. Mt 18,20) e, com eles, apresenta o perfeito louvor e adoração ao Pai; pela pessoa dos seus Ministros, Ele nos instrui na Palavra de Deus, alimenta-nos com o Pão da Vida e nos envia novamente em missão ao meio do mundo.

T. A assembléia eucarística é a expressão mais visível e sacramental da Igreja. Por isso, é da máxima importância que a participação na celebração da Eucaristia dominical seja valorizada plenamente por todo o povo nas paróquias.

L1. A paróquia deve ser, também, o lugar da acolhida de todos, do interesse alegre pelas pessoas e da atenção delicada em relação a todos os que sofrem, da busca daqueles que estão distantes, enfim, da prática de todas aquelas belas qualidades do Bom Pastor, que reúne, acolhe, conhece, chama pelo nome, conduz, defende, corrige, procura, ama até entregar a vida pelas ovelhas.

L2. Por isso, devem existir na paróquia as diversas “pastorais”, como expressão concreta da caridade de Cristo e da Igreja.

T. Eu vim para que todos tenham vida, que todos tenham vida plenamente. (bis)

D. A paróquia pode realizar muitas atividades sociais, culturais e religiosas.

L3. Mas seu objetivo primordial é proporcionar aos seus membros uma rica e variada experiência da fé cristã católica, alimentada nas fontes da fé e da vida cristã e eclesial, que são a Palavra de Deus, a Tradição viva da fé da Igreja, a Liturgia e a riqueza mística do seguimento de Cristo, no Evangelho, manifestada através da vida dos santos.

D. A paróquia é o lugar onde fazemos a experiência pessoal e comunitária do encontro com Deus por meio de Jesus Cristo, no dom do Espírito Santo. Por isso, ela tem a missão de formar nos caminhos do Evangelho todos os batizados para que permaneçam fiéis e unidos a Cristo e à Igreja e se tornem, de fato, missionários do Evangelho para o mundo.

T. A experiência do encontro com Cristo também é favorecida pelo testemunho luminoso dos santos e mártires, que nos precederam na fé e enriqueceram a vida da Igreja com seu exemplo.

D. Quanta coisa bonita temos em nossa Igreja para ser acolhida e vivida como dom e graça, para ser expandida de maneira missionária ao nosso redor, para que nossas comunidades paroquiais sejam verdadeiramente missionárias!

T. Uma coisa é certa: o futuro de nossa Igreja e da paróquia depende de nosso ânimo missionário hoje. Um grande trabalho missionário será realizado quando os pais cristãos fizerem bem a sua parte, iniciando os filhos nas coisas da fé e introduzindo­os na vida da Igreja.

ORAÇÃO DE ENCERRAMENTO

(publicada no primeiro post do Tríduo)