Vocações,

now browsing by tag

 
 
Posted by: | Posted on: abril 24, 2014

ENTENDA PROCESSO DE CANONIZAÇÃO

Nestes dias, a nossa Igreja está vivendo um momento importante, com a canonização de dois Papas que viveram no último século, e que foram conhecidos por muitos de nós. Serão canonizados: Papa João XXIII, que morreu no dia 3 de junho de 1963, há 50 anos; e Papa João Paulo II, que morreu no dia 2 de abril de 2005, há apenas 9 anos. E também foi canonizado há pouco menos de um mês, o Pe. José de Anchieta, jesuíta que viveu a maior parte do tempo do seu ministério no Brasil e por isso é chamado o “Apóstolo do Brasil”.

Diante dessas canonizações, muitos querem saber como se dá um processo de canonização, o que leva a Igreja Católica afirmar que uma pessoa, que viveu como nós, com certeza recebeu a graça de Deus e está ao lado do Senhor Jesus, intercedendo por nós com Ele.

Por esse motivo, aproveitamos a excelente entrevista concedida pelo Pe. Cristiano de Souza e Silva para Jéssiva Marçal, da Redação do site Notícias, da Canção Nova (noticias.cancaonova.com), postando-a em nosso Blog para que catequistas e agentes de pastoral de todo o Brasil possam ter acesso a esse conhecimento e também aproveitar os infográficos para mostrar aos seus catequizandos como se dá um processo de canonização, que declara oficialmente que uma pessoa é Santa.

Doutor em Direito Canônico, padre Cristiano de Souza e Silva, concedeu a entrevista em que explicou como funciona um processo canônico.que explica bem como funciona um processo de canonização. Veja a seguir a explicação com um bom Infográfico. Read More …

Posted by: | Posted on: agosto 5, 2013

Pai hoje

São-JoseÉ importante refletir sobre a figura do pai na Semana da Família. Não basta celebrar o “Dia dos Pais” se não pensamos na revitalização de seu compromisso paterno hoje. É hora de olhar para a figura de José, o pai de Jesus e sua ação na Família de Nazaré. Nele encontramos todas as qualidades essenciais para ser um bom pai.

A Palavra de Deus fala de estar com os “rins cingidos e as lâmpadas acesas” (Lc 12, 35). Também do dono de uma casa que está sempre preparado para uma possível chegada de ladrões. Assim deve ser quem vai ser ou é pai, alguém que teve o cuidado de se preparar, buscando o caminho para uma boa formação no campo da missão paterna. Read More …

Posted by: | Posted on: abril 25, 2013

Jesus nos chama pelo nome

Dinâmica para ser aplicada em um encontro de Catequese, ou encontro com os pais, ou mesmo em um encontro de catequistas ou agentes de pastoral.

Read More …

Posted by: | Posted on: janeiro 29, 2013

Ser profeta

Dizemos que, acima de todas as coisas, deve estar o amor, a dedicação e a afirmação do propósito do que deve ser realizado. Assim é a identidade do profeta, daquele que acredita no que realiza, procura ser original e vê o que os outros não veem. Ele consegue enxergar além e age testemunhando o que é de sua convicção.

No entendimento bíblico, profeta é aquele que fala em nome de outro, em nome de Deus, por exemplo, e sente o porvir com muita serenidade. Na visão popular, o profeta é capaz de prever o futuro. Ele é pessoa dotada, que coloca seus dons a serviço do bem da comunidade, diferente de quem apenas cria sensacionalismo na vida do povo, influenciando toda a sociedade.

O verdadeiro profeta anuncia o pensamento de Deus sobre o que está para acontecer. Assim o fizeram os profetas do Antigo Testamento, preparando a realização do Novo Testamento. Certas realidades de futuro podem ser previstas, mesmo que a pessoa não seja profeta, como é o caso da tragédia de Santa Maria, RS.

Ambientes mal projetados podem ser causa de graves tragédias. Sobre isto pesa alto grau de responsabilidade, tanto de quem executa, quanto de quem fiscaliza. Significa que todos devem ter um pouco de profeta, de amor cristão e de respeito à vida. A prosperidade econômica não pode estar acima do valor da pessoa.

Na mesma dimensão, podemos colocar o problema da dengue. A proliferação do mosquito transmissor e muito rápida, tendo como causa o descuido da população. Seu combate não depende apenas da ação do poder público, mas de cada cidadão. Neste momento, todos nós temos que ser profetas na ação preventiva.

O profetismo deve nos tirar do comodismo, deve modificar as estruturas, superar as deficiências e criar dinamismo na sociedade. Por isto, o profeta é sempre perseguido e querem tirar-lhe a voz. Muitas pessoas querem ficar no peso das estruturas e dos interesses individuais, preferindo conviver com realidades que prejudicam o povo, em vez de abrir caminhos novos.

Dom Paulo Mendes Peixoto – Arcebispo de Uberaba.

Posted by: | Posted on: agosto 26, 2012

Ser Catequista

Nos dias de hoje, em que as atividades para o sustento da família no dia a dia exigem mais dedicação e esforço de todos, dedicar tempo para um trabalho voluntário é uma questão que desafia as pessoas. Nas nossas comunidades, muitas vezes nos deparamos com aqueles que dizem que gostariam de se dedicar aos trabalhos pastorais, mas lhes falta tempo, pois o trabalho lhes consome todo o tempo disponível.

Porém, também há nas comunidades pessoas que apesar de trabalhar duro para sustentar a família, sempre encontram um tempo para se dedicar ao serviço pastoral. E é graças a essas pessoas que as comunidades podem manter viva a pastoral e a missão de evangelizar.

Entre essas pessoas que são tão dedicadas, hoje vamos prestar nossa homenagem especial àquelas que se dedicam à catequese. Catequistas de norte a sul, de leste a oeste deste país tão grande e de tanta diversidade cultural, que sabem inculturar a catequese na realidade do povo, anunciando o Evangelho de Jesus com a própria vida.

São milhares de pessoas, na grande maioria gente simples, de pouco estudo, de todas as idades, muitas vezes com condições de vida precária, mas que se dedicam à missão de educar na fé com grande amor e dedicação. E a catequese exige muita dedicação.

Ser catequista não é opção pessoal, é chamado! Catequistas são pessoas chamadas por Deus e enviadas pela comunidade, que vai educar na fé aqueles que desejam seguir os passos de Jesus na comunidade católica. Por esse motivo, devem ser imagem viva de Jesus no meio do povo.

A Catequese é um ministério e ser catequista é ser ministro e ministra da Palavra.  Não basta querer ser catequista, mas é preciso ter vocação, um chamado que não parte da vontade pessoal, mas é a vontade de Deus, de Jesus que toca o coração e faz arder nele a chama da vocação que move montanhas e abre caminhos. E é essa chama que transforma a vida das pessoas. A comunidade reconhece essa luz, por isso a envia como sua representante para educar seus membros.

A Catequese é a missão primordial da Igreja e ser catequista é manter viva essa missão. Assim, catequistas de todos os cantos, até dos mais longínquos, merecem o nosso agradecimento e o reconhecimento da comunidade pelo serviço pastoral essencial a que se dedicam.

A Editora Vozes e o Blog da Catequese quer dizer a todos os catequistas: Parabéns pelo seu trabalho, pela sua dedicação, pelo seu exemplo de vida. Vocês são os olhos, os braços e as mãos de Jesus na comunidade cristã. Vocês dão vida à evangelização. PARABÉNS CATEQUISTAS!

Posted by: | Posted on: agosto 8, 2012

Dia dos Pais

Agosto é o mês vocacional. No segundo domingo celebramos a vocação da família, tendo os pais como destaque. Os nossos sentidos se voltam para Deus como Pai, pedindo a Ele as bênçãos pelas famílias e pelos nossos pais.

Alguém costuma dizer que as comemorações do Dia dos Pais começaram na antiguidade, na Babilônia, já quatro mil anos passados. Conta a história que um jovem chamado Elmesu teria esculpido em argila um cartão, que depois foi entregue a seu pai.

A data de comemoração do Dia dos Pais é recente. Remonta a 1909, por iniciativa de uma norte-americana que queria um dia especial para homenagear seu pai, viúvo e que tinha conseguido criar, sozinho, seus seis filhos. Com isto, o primeiro Dia dos Pais aconteceu em 19 de junho de 1910.

Nas comemorações foi escolhida a rosa como símbolo oficial da festa, sendo a vermelha para homenagear os pais vivos, e a branca para os pais falecidos. Em 1972 proclamou-se, nos Estados Unidos, o terceiro domingo de junho como Dia dos Pais.

No Brasil, o Dia dos Pais começou em 1953. A iniciativa foi feita pelo jornal “O Globo” do Rio de janeiro, incentivando celebração em família, tendo como base sentimentos e costumes cristãos. A data foi fixada no segundo domingo do mês de agosto.

Mais tarde, 1955, a data começou a ser comemorada em São Paulo, por iniciativa do grupo “Emissoras Unidas”, que reunia Folha de São Paulo, TV Record e Rádio Panamericana, com um show no antigo auditório da TV Record para marcar a data. Ali vários pais foram homenageados.

Diante de tais realidades, o Dia dos Pais acabou contagiando todo o Brasil e até hoje é comemorado no segundo domingo de agosto. Isto acontece também em diversos outros países, mas em dias diferentes.

Olhemos para os pais como caminho de realização dos filhos. Cabe a eles uma educação de qualidade para a vida, principalmente com seu testemunho coerente de vida. Parabéns aos pais e que sejam imagem e semelhança de Deus Pai.

Dom Paulo Mendes Peixoto – Arcebispo de Uberaba.

Posted by: | Posted on: agosto 3, 2012

Vocação Sacerdotal

O mês de agosto é identificado por nós como o “Mês das Vocações”, refletindo o compromisso que cada cristão tem em relação ao seu batismo. Daí brota o compromisso vocacional, fruto da participação no sacerdócio de Jesus Cristo. Esta participação pode ser em nível de sacerdócio batismal ou ministerial, fato que acontece no sacramento da ordem.

No primeiro domingo olhamos para a figura do padre, para aquele que tem uma missão bem precisa e estritamente sobrenatural, porque o chamado é feito pelo próprio Deus. A escolha não é do vocacionado, mas do próprio Cristo, de forma especial e totalmente voltada para a missão na vida da Igreja.

A vocação é uma ação gratuita, é um presente de Deus e dentro das nossas possibilidades.  Deus não exige o impossível e dá a sua graça a quem Ele convida. Foi o que aconteceu na escolha dos apóstolos, todos chamados pelo nome, pessoas simples, alguns pescadores, fazendo deles “pescadores de homens” e verdadeiros missionários.

A resposta ao chamado não é uma ação simplesmente humana, porque a iniciativa não é nossa. O vocacionado tem que contar com a presença revitalizadora de Deus dando a dimensão da responsabilidade que sinaliza a ação da Igreja no mundo. Cada vocacionado age em nome da Igreja como instrumento do Reino.

Ao voltar para junto do Pai, Cristo quis contar com os sacerdotes para continuar sua missão no mundo. Isto tem acontecido em todos os tempos da história da Igreja e dos povos, sendo uma presença de sinal do sagrado e da construção de uma cultura mais humana e cristã, dando o perfil sacramental da comunidade cristã.

Ser padre pode ser um peso para a pessoa vocacionada, mas é uma vocação que deve ser assumida com determinação e plena liberdade. Deus não força ninguém ao dar a sua resposta. Ele faz a proposta e espera de nós uma resposta pessoal, consciente e natural, em vista do bem da humanidade e da construção da sociedade cristã de acordo com a Igreja e Jesus Cristo.

Dom Paulo Mendes Peixoto – Arcebispo de Uberaba.

Posted by: | Posted on: abril 29, 2012

Encontros de Oração pelas Vocações – 1º dia

[Estimados amigos, celebrando o Dia Mundial das Vocações, queremos oferecer a todos a oportunidade de aprofundar a reflexão sobre o Tema deste ano “As vocações, dom do amor de Deus”. Por isso, vamos publicar três encontros de oração que foram preparados pelo pessoal da Pastoral Vocacional da Diocese de Divinópolis, MG, sobre a Mensagem do Papa Bento XVI (que está na página Documentos deste Blog) para a celebração deste dia. O tema Vocação é inerente à Catequese, pois a educação na fé tem por objetivo primordial ajudar os cristãos a responderem ao chamado de Jesus. Por isso,´será muito importante que se façam esses encontros com os adolescentes e jovens que frequentam a Catequese de todas as etapas. Como a oração não é emuito longa, poderão ser feita como encerramento do encontro de Catequese, deixando para isso em torno de 30 minutos.]

CARTILHA DA MENSAGEM DO PAPA – 2012

01.  ACOLHIDA

L(uma pessoa da casa): Irmãos e Irmãs de caminhada, com muita alegria acolho vocês para iniciarmos nossas reflexões em torno do tema: As vocações, dom do amor de Deus. Sinceramente, desejo que renovemos nossa certeza de que a fonte de todo o dom perfeito é Deus, e Deus é Amor e “quem permanece no amor permanece em Deus, e Deus nele” (1º Jo 4,16).

T: Fomos amados por Deus, ainda “antes” de começarmos a existir!

02. ORAÇÃO       

A: Neste nosso 1º encontro, invoquemos, sobre nós, nossos trabalhos e todos os membros da Pastoral Vocacional de nossa querida Diocese, as luzes do Divino Espírito Santo.

T: Vinde, Espírito Santo… 

CANTO: Nós estamos aqui reunidos, como estavam em Jerusalém. / Pois só quando vivemos unidos, é que o Espírito Santo nos vem.

– Ninguém para esse vento passando, ninguém vê, e ele sopra onde quer. / Sua força reúne a Igreja, numa nova maneira de ser.

– De diversas culturas congrega, este povo o Divino conduz; / como fogo que aquece e ilumina, nos confirma no Cristo Jesus.

03. MOTIVAÇÃO

L1: A mensagem do Santo Padre, inicialmente, nos quer lembrar que a verdade profunda da nossa existência está contida neste mistério admirável: cada criatura, e particularmente cada pessoa humana, é fruto de um pensamento e de um ato de amor de Deus, amor imenso, fiel e eterno.

T: É a descoberta deste fato que muda, verdadeira e profundamente, a nossa vida.

 L2: Numa conhecida página das Confissões, Santo Agostinho exprime, com grande intensidade, a sua descoberta de Deus, beleza suprema e supremo amor, um Deus que sempre estivera com ele e ao qual, finalmente, abria a mente e o coração para serem transformados.

T: Trata-se de um amor sem reservas que nos precede, sustenta e chama ao longo do caminho da vida e que tem a sua raiz na gratuidade absoluta.

A: Ouçamos, então, com o coração aberto, este belíssimo trecho de Santo Agostinho:

L3 (bem pausado): “Tarde Vos amei, ó beleza tão antiga e tão nova, tarde Vos amei! Vós estáveis dentro de mim, mas eu estava fora, e fora de mim Vos procurava; com o meu espírito deformado, precipitava-me sobre as coisas formosas que criastes. Estáveis comigo e eu não estava convosco. Retinha-me longe de Vós aquilo que não existiria, se não existisse em Vós. Chamastes-me, clamastes e rompestes a minha surdez. Brilhastes, resplandecestes e dissipastes a minha cegueira. Exalastes sobre mim o vosso perfume: aspirei-o profundamente, e agora suspiro por Vós. Saboreei-Vos e agora tenho fome e sede de Vós. Tocastes-me e agora desejo ardentemente a vossa paz” (Confissões, X, 27-38).

Refrão (cantado): Ele me amou e se entregou por mim! (bis) / Ele me amou e se entregou por mim. Ele me amou… (2 X)

(tempo para reflexão pessoal – reler silenciosamente o texto acima)

04. ACOLHENDO A PALAVRA

Refrão Orante: Palavra de salvação, somente o céu tem pra dar / por isso o meu coração se abre para escutar! (bis)

* TEXTO BÌBLICO: 1ª Carta de João 4, 16 – 21

05. PARTILHANDO

a) De todo esse belíssimo texto de Santo Agostinho, qual frase mais me tocou? (repetir em voz alta)

b) Da mensagem de todo o texto, qual lição podemos tirar para nós e nossa caminhada como Pastoral Vocacional?

c) Por que é fundamental demonstramos, ao mesmo tempo, o amor a Deus e ao nosso próximo?

06. AVISOS

. Reforçar o dia, local e horário do próximo Encontro.

07. ORAÇÃO FINAL

A: Ao encerramos este nosso 1º Encontro, vamos demonstrar nossa alegria em termos nossos irmãos e irmãs como companheiros de caminhada.

(abraçar a quem está a seu lado e dizer): “Você foi amado(a) por Deus, antes mesmo de começar a existir!”

* Pai-nosso, Ave-Maria, Glória ao Pai.

* Canto final: à escolha do grupo.

Posted by: | Posted on: abril 29, 2012

Encontros de Oração pelas Vocações – 2º dia

01. ACOLHIDA

L(uma pessoa da casa): Mais uma vez, queridos irmãos e Irmãs em Cristo Jesus, sejam bem-vindos! Estamos reunidos para refletir o tema do 49º Dia Mundial de Oração pelas Vocações, que foi celebrado no 4º domingo de Páscoa – 29 de abril, o domingo que carinhosamente é identificado como o do “Bom Pastor”.

T: As vocações, dom do amor de Deus!

02. ORAÇÃO

A: Para este nosso 2º encontro, invoquemos sobre nós, nossos trabalhos e todos os membros da Pastoral Vocacional de nossa querida Diocese, as luzes do Divino Espírito Santo.

T: Vinde, Espírito Santo…

CANTO: Nós estamos aqui reunidos, como estavam em Jerusalém. / Pois só quando vivemos unidos, é que o Espírito Santo nos vem.

– Ninguém para esse vento passando, ninguém vê, e ele sopra onde quer. / Sua força reúne a Igreja, numa nova maneira de ser.

– De diversas culturas congrega, este povo o Divino conduz; / como fogo que aquece e ilumina, nos confirma no Cristo Jesus.

03. MOTIVAÇÃO

L1: Cada vocação específica nasce da iniciativa de Deus, é dom do amor de Deus! É Ele quem realiza o “primeiro passo”, e não o faz por uma particular bondade que teria vislumbrado em nós, mas em virtude da presença do seu próprio amor “derramado nos nossos corações pelo Espírito Santo” (Rm 5, 5).

T: Trata-se de um amor sem reservas que nos sustenta e chama ao longo do caminho da vida.

L2: Na abertura ao amor de Deus e como fruto deste amor, nascem e crescem todas as vocações. E é bebendo nesta fonte, durante a oração, através de uma familiaridade assídua com a Palavra e os Sacramentos, em especial a Eucaristia, que é possível viver o amor ao próximo, em cujo rosto se aprende a vislumbrar o de Cristo Senhor.

T: É a este amor que devemos abrir a nossa vida; cada dia, Jesus Cristo nos chama à perfeição do amor do Pai.

A: Vamos refletir, com bastante atenção, mais uma parte da mensagem do nosso Papa Bento XVI:

L3 (bem pausado): Em todo o tempo, na origem do chamamento divino está a iniciativa do amor infinito de Deus, que se manifesta plenamente em Jesus Cristo. Na história de amor que a Bíblia nos narra, Ele vem ao nosso encontro, procura nos conquistar – até a Última Ceia, até ao Coração trespassado na cruz, até às aparições do Ressuscitado e às grandes obras pelas quais Ele, através da ação dos Apóstolos, guiou o caminho da Igreja nascente”.

Refrão (cantado): Aquele que me chamou (bis), é fiel, é fiel! / Fiel é aquele que me chamou! (3 X) 

(tempo para reflexão pessoal)

04. ACOLHENDO A PALAVRA

Refrão Orante: Senhor, que a Tua Palavra, transforme a nossa vida / queremos caminhar com retidão na Tua luz! (bis)

* TEXTO BÍBLICO: Evangelho da Comunidade de João 13, 1 – 15

05. PARTILHANDO

a) Qual o sentido do Lava-pés para nós, hoje?

b) Enquanto membros da Pastoral Vocacional, o que mais temos aprendido de Jesus: será o Mestre e Senhor que se fez servo?

c) O nosso Papa reforça: amar a Deus e ao próximo – duas expressões do único amor. Como temos procurado ser fiéis a esta verdade?

06. AVISOS

. Reforçar o dia, local e horário do último Encontro.

07. ORAÇÃO FINAL                                                             

A: Ao encerrarmos este nosso 2º momento de reflexão, vamos, com alegria, abraçar e dizer a quem está ao nosso lado: “Onde não há amor, semeie amor e recolherá amor!”

* Pai-nosso; Ave-Maria; Glória ao Pai.

Posted by: | Posted on: abril 29, 2012

Encontros de Oração pelas Vocações – 3º dia

01. ACOLHIDA                       

A: Caros Irmãos e Irmãs em Cristo Jesus, sejam todos bem-vindos! Aqui estamos, como discípulos e missionários do Reino, mais uma vez reunidos. Que este momento nos ajude a ficarmos cada vez mais unidos a Deus e aos irmãos e irmãs.

T: Palavra, oração e Eucaristia constituem o tesouro precioso para se compreender a beleza duma vida totalmente entregue em favor do Reino.

02. ORAÇÃO

A: Neste nosso encontro final, sobre a Mensagem do nosso querido Papa para o Dia Mundial de Oração pelas Vocações, invoquemos sobre nós, nossos trabalhos e todos os membros da Pastoral Vocacional de nossa querida Diocese, as luzes do Divino Espírito Santo.

T: Vinde, Espírito Santo…        

CANTO: Nós estamos aqui reunidos, como estavam em Jerusalém. / Pois só quando vivemos unidos, é que o Espírito Santo nos vem.

– Ninguém para esse vento passando, ninguém vê, e ele sopra onde quer. / Sua força reúne a Igreja, numa nova maneira de ser.

– De diversas culturas congrega, este povo o Divino conduz; / como fogo que aquece e ilumina, nos confirma no Cristo Jesus.

03. MOTIVAÇÃO

A: Agora, iremos “saborear” mais alguns ensinamentos de Bento XVI, presentes em sua Mensagem para o Dia Mundial de Oração pelas Vocações:

(cada frase seja pronunciada bem pausadamente)

L1: “Na abertura ao amor de Deus e como fruto deste amor, nascem e crescem todas as vocações”.

L2: “O amor divino deve ser vivido, com particular vigor e pureza de coração, por aqueles que decidiram empreender um caminho de discernimento vocacional”.

L3: “O amor ao próximo, sobretudo às pessoas mais necessitadas e atribuladas, é o impulso decisivo que faz, de cada um de nós, geradores de comunhão entre as pessoas e semeadores de esperança.

T(cantando): De braços erguidos a Deus ofertamos, aquilo que somos e tudo que amamos. / Os dons que nós temos compartilharemos, aqueles que sofrem sorrir os faremos.

L4: “É importante que se criem, na Igreja, as condições favoráveis para fazer desabrochar muitos “sins”, respostas generosas ao amoroso chamamento de Deus”.

L5: “É tarefa da Pastoral Vocacional oferecer os pontos de orientação para um percurso frutuoso… Para isto, todos os seus membros devem se abrir constantemente à Palavra de Deus e cultivar uma oração pessoal e comunitária devota e constante”.

L6: “Mas o ‘centro vital’ de todo o caminho vocacional é a Eucaristia: é aqui, no sacrifício de Cristo, que o amor de Deus nos toca; e é aqui que aprendemos incessantemente a viver a ‘medida alta’ do amor de Deus.

T(cantando): Tua voz me fez refletir, deixei tudo pra te seguir, / nos teus mares, eu quero navegar! (bis)

04. ACOLHENDO A PALAVRA

A: A Bíblia Sagrada – Palavra de Deus na história da gente, falando da vida, será passada de mão em mão. Ao recebê-la, cada um irá beijá-la e erguê-la bem alto.

T(cantando): Cantemos, alegres, vibrantes, ergamos a Deus nossa voz, / acolhamos a sua Palavra que passa no meio de nós.

Refrão: Cantai, cantai, irmãos. Cantai, com amor e fé, / a Palavra de vida, aclamemos de pé! (bis)

– A Bíblia é o Livro Sagrado e que muitos livros contém. / Ela é a verdade inspirada, é o nosso viver, nosso amém.

– Ergamos, bem alto, a Bíblia que temos em nossas mãos. / Com um beijo firmemos a crença em que Deus abençoa, irmãos.

– Presente se faz na história por sua Palavra e ação. / Nosso Deus que caminha com o povo, presente se faz no irmão.

* TEXTO BÍBLICO: Evangelho da Comunidade de Lucas 5, 1 – 11

05. PARTILHANDO

A: Vamos fazer uma grande partilha, como resultado do que foram todos esses nossos momentos de reflexão: de que forma, bem concreta, a mensagem do Papa nos motiva para continuar servindo à Igreja na Pastoral Vocacional?

(motivar para que o maior nº de pessoas possa participar, dando sua breve opinião)

06. MOMENTO FINAL

A: Para bem encerrarmos este momento de reflexão, a pessoa que está aqui presente e que está há mais tempo na caminhada de nossa Pastoral Vocacional, irá invocar a benção de Deus para todos nós:

– Que o Senhor nos abençoe e nos guarde!

T: Amém.

– Que o Senhor faça brilhar o seu rosto sobre nós e seja compassivo!

T: Amém.

– Que o Senhor mostre para nós a sua face e nos conceda a sua paz!

T: Amém.                                        

* Pai-nosso; Ave-Maria; Glória ao Pai.

(canto final/confraternização)