Símbolos,

now browsing by tag

 
 
Posted by: | Posted on: abril 22, 2014

Simbolos da Fé – O Círio Pascal

Cirio PascalMuitos são os símbolos da fé cristã, mas um dos mais importantes é o Círio Pascal, que representa a Luz de Cristo. O Círio é uma grande vela, feita com cera de abelha, adornada com a cruz, que representa a redenção. Ele é também adornado com outros elementos durante a Celebração da Luz, na Vigília Pascal, quando o sacerdote realiza a bênção do fogo, e faz a preparação do Círio.

Antes de ser aceso, o Círio representa o Cristo morto. O sacerdote faz uma cruz no seu centro (hoje essa cruz já vem impressa no Círio) para configurá-lo a Jesus Cristo;  em seguida ele grava o Alfa e o Ômega (A e Z, primeira e última letras do alfabeto grego), para indicar que Cristo é o princípio e o fim de todas as coisas; por último grava os números do ano em curso, para significar que Cristo vive hoje para nós.

Esse Círio será aceso durante todas as Celebrações do Tempo Pascal. Ao término do Tempo Pascal, convém que se guarde o Círio com veneração ao lado da Pia Batismal. Ele será aceso ao longo do ano nas Celebrações do Batismo e nas Celebrações do Crisma, além de outros momentos em que a Profissão de Fé (o Creio) é valorizada.

Posted by: | Posted on: abril 21, 2014

Simbolos da Fé – Memorial

A TV Aparecida preparou um vídeo sobre a Instituição da Eucaristia, o Memorial da nossa Fé. É um vídeo que, por meio de uma encenação simples, nos fala sobre a última Ceia e a Instituição da Eucaristia, a instituição do Sacerdócio e o Lavapés realizados por Jesus.

É um vídeo muito útil na Catequese, para ensinar as crianças e adolescentes sobre esse Memorial. Com certeza ele vai animar o debate sobre o tema e alimentar a reflexão daqueles que se preparam para receber a Eucaristia, ou mesmo para receber o Crisma.

FONTE: REDE APARECIDA
A TV de Nossa Senhora

Posted by: | Posted on: abril 19, 2014

Símbolos da Fé – Sábado Santo

Pe. Evaldo explica o significado dos símbolos que representam o Sábado Santo, no programa Símbolos da fé, exibido durante a programação especial da Semana Santa na REDE APARECIDA.

www.A12.com
A Mãe Aparecida mais perto de você

Posted by: | Posted on: abril 18, 2014

Símbolos da Fé – Sexta-feira Santa

Pe. Evaldo explica o significado dos símbolos que representam a Sexta-feira Santa, no programa Símbolos da fé, exibido durante a programação especial da Semana Santa na REDE APARECIDA.

www.A12.com
A Mãe Aparecida mais perto de você

Posted by: | Posted on: abril 17, 2014

Símbolos da fé – Quinta-feira Santa

Pe. Evaldo explica o significado dos símbolos que representam a Quinta-feira Santa, no programa Símbolos da fé, exibido durante a programação especial da Semana Santa 2010 na REDE APARECIDA.

www.A12.com
A Mãe Aparecida mais perto de você

Posted by: | Posted on: abril 19, 2012

O símbolo da Cruz.

Recebi um email nestes dias que fala sobre uma questão já antiga, mas que voltou à pauta nesses dias. A questão da retirada da Cruz, símbolo dos cristãos, dos espaços públicos. Esse email me fez refletir e creio que talvez seja de grande valia para que todos os catequistas reflitam também, por esse motivo eu o transcrevo aqui.

A mensagem do email traz a resposta do Frade Demetrius dos Santos Silva, que foi publicado no jornal ‘Folha de São Paulo’ de 09/08/2009, sobre a decisão do Ministério Público de São Paulo de retirar os símbolos religiosos das repartições públicas federais em São Paulo.

Mensagem recebida:

O Ministério Público Federal de São Paulo ajuizou ação pedindo a retirada dos símbolos religiosos das repartições públicas.

Pois bem, veja o que diz o frade Demetrius dos Santos Silva:

Sou padre católico e concordo plenamente com o Ministério Público de São Paulo, por querer retirar os símbolos religiosos das repartições públicas…

Nosso Estado é laico e não deve favorecer esta ou aquela religião. A cruz deve ser retirada!

Aliás, nunca gostei de ver a cruz em tribunais, onde os pobres têm menos direitos do que os ricos e onde sentenças são barganhadas, vendidas e compradas.

Não quero mais ver a cruz nas Câmaras Legislativas, onde a corrupção é a moeda mais forte.

Não quero ver, também, a cruz em delegacias, cadeias e quartéis, onde os pequenos são constrangidos e torturados.
Não quero ver, muito menos, a cruz em prontos-socorros e hospitais, onde pessoas pobres morrem sem atendimento.

É preciso retirar a cruz das repartições públicas, porque Cristo não abençoa a sórdida política brasileira, causa das desgraças, das misérias e sofrimentos dos pequenos, dos pobres e dos menos favorecidos.

Frade Demetrius dos Santos Silva. – São Paulo/SP

Esse email está circulando sob o título “Padre Corajoso”, mas o que importa não é isso, mas é o conteúdo da mensagem.

Todos nós, cristãos católicos nos indignamos quando falam em retirar os nossos símbolos religiosos de repartições públicas, pois acreditamos que é um desrespeito à tradição e á fé do povo brasileiro.

Deixando de lado a questão de que o Estado brasileiro é um estado laico e, portanto deve respeito a todas as religiões indistintamente, o que significa que não pode sobrepor os símbolos de determinada instituição religiosa sobre os de outras, vamos ver a questão exatamente pelo ângulo em que o frade a coloca.

A cruz é o símbolo maior da nossa fé cristã, seu significado está ligado à questão da justiça de Deus, do rompimento com a morte e o resgate da vida, vida transformada, vida nova e eterna. Ela é símbolo da ressurreição, pois Jesus venceu a morte na cruz, Deus o ressuscitou. Contra todo o poder da morte Deus ressuscitou Jesus e inaugurou o tempo de vida eterna para toda a humanidade. Por isso ela é sinal da bênção de Deus.

Nós cristãos católicos portamos o crucifixo conosco e em nossas casas como sinal da bênção, da proteção que pedimos e recebemos de Deus, bênção para nós, para o nosso lar, a nossa família.

Mas a cruz é mais que um símbolo, é um sinal que nos identifica como discípulos e discípulas de Jesus Cristo, tementes a Deus e templos do Espírito Santo. É Sinal do nosso compromisso de sermos construtores do Reino onde impera a justiça, a igualdade e a fraternidade.

Se a cruz para nós é símbolo de bênção e sinal de compromisso com o Reino de Deus, como podemos admitir que seja usada em locais onde a vontade de Deus não é o mais importante e onde não se dá valor à sua bênção?

Permitir a exposição indiscriminada da cruz ou de qualquer outro símbolo da nossa fé, como se fossem apenas adornos (assim como o terço usado como colar ou pulseira), sem qualquer sinal de respeito pelo que eles significam para nós, é desvalorizá-los e banalizá-los.

Acredito que nós, catequistas, devemos valorizar os nossos símbolos dando-lhes a importância que têm e mostrando o que significam verdadeiramente para nós, para que dessa forma eles não sejam banalizados em seu uso e aqueles que os portar ou expor compreendam o compromisso que assumem diante Deus.

É dever de todo cristão zelar para que a nossa fé e os sinais que a representam sejam honrados, respeitados e preservados.