Mãe

now browsing by tag

 
 
Posted by: | Posted on: maio 3, 2013

Teatro Infantil para o Dia das Mães

Esta dramatização é um sugestão para fazer uma homenagem às mães no Dia das Mães. Ela foi tirada do Livro “A Semente de Mostarda”, uma coletânea de celebrações, jograis, dramatizações, etc, organizada por Elyanne Guimarães Brasil, que foi publicada pela Editora Vozes há alguns anos atrás, como parte da Coleção Deus Conosco e que contou com a colaboração a assessoria de Lydia das Dores Defilippo, Liza Helena Ramos e Marlene Frinhani.

imagem de um bolo para a mamãeDramatização

Menina: – (Assentada no chão, pensativa, depois levanta-se ao som de uma música, anda para um lado e para outro, pára, olha para o calendário e fala):

– Puxa! Como o tempo corre depressa!

Já estamos no dia das Mães. E a gente precisa pensar na festa… nos presentes… numa porção de coisas!

Read More …

Posted by: | Posted on: maio 2, 2013

Dinâmica para o Dia das Mães

8532645357Esta dinâmica faz parte do Livro “Dinâmicas lúdicas para os programas de ginástica laboral: + 7 dicas especiais de como preparar suas próprias dinâmicas” que acaba de ser lançado pela Editora Vozes, de autoria de Adréa S. Frangakis Tanil

Para que os catequistas possam aproveitar essa dinâmica que é apropriada para o Dia das Mães que se aproxima, estamos publicando com algumas sugestões entre parênteses, de forma a adapta-la para ser aplicada em uma turma de catequese ou em um encontro com pais. As sugestões dadas pelo Blog estão em vermelho.

Dia das Mães

Essa é uma data das mais difíceis para elaborar uma dinâmica, geralmente os professores têm medo de aplicar alguma dinâmica porque muitos alunos já não possuem mais a mãe presente, mas ao mesmo tempo, esta data não pode passar em branco.

Read More …

Posted by: | Posted on: maio 13, 2012

Mensagem às nossas queridas Mães – 2012

Neste 6º Domingo da Páscoa conhecemos o grande mandamento de Jesus: “amai-vos uns aos outros, como eu vos amei”. Neste mundo em que vivemos marcados muitas vezes pela intolerância e individualismo, acabamos nos esquecendo do amor que devemos ter para com os outros. E a celebração de hoje nos ajuda nesta tarefa do amor. Neste dia recordamos nossas queridas mães, as quais têm em Maria sua referência maior de doação, de presença silenciosa e amorosa aos filhos.

Celebramos hoje o domingo como evangelho do mandamento novo: “Amai-vos uns aos outros como eu vos amei”. O amor é dom e missão. O Ressuscitado nos confia a missão de repartir e de multiplicar seu amor, para que nossa alegria seja completa.

A liturgia deste domingo do Tempo Pascal convida-nos a contemplar o amor de Deus, revelado na pessoa, nos gestos e nas palavras de Jesus e atualizado na vida e nas ações de seus seguidores. As mães que, com carinho lembramos neste dia, são expressão do amor de Deus para com seu povo.

Compete aos “amigos de Jesus” a missão de eliminar o sofrimento, o egoísmo, a miséria, a injustiça, enfim tudo o que oprime e escraviza os irmãos e desfigura a obra criada. É ainda missão dos “amigos de Jesus” serem mensageiros da justiça, da paz, da reconciliação, da esperança; Aos membros da comunidade dos amigos de Jesus compete labutar contra os mecanismo que geram violência, medo e insegurança. O amor é dom e missão.

Nossas mães experimentam tristezas e angústias. Mas sabem onde recobrar a esperança, essas mulheres admiráveis, geradoras de vida e generosidade: na Palavra e na Eucaristia. Em seus lares, são as primeiras educadoras da fé de seus filhos. Nas comunidades, são serviçais. Muitas ajudam na sustentação do lar assumindo uma profissão.

Ao participarmos da  Eucaristia dominical, respondemos ao convite do Senhor e expressamos o amor que nos une a Ele, o Ressuscitado. “Felizes os convidados para a Ceia do Senhor”. É o Senhor que nos reúne em nossas comunidades a rezar e a entrar em comunhão de vida e de amor por nossas mães. A elas nossa gratidão e que sejam sempre abençoadas pelo  Deus da vida e do amor. Parabéns mamães pelo seu dia.

Feliz dia 13 de maio de 2012

Dom Vilson Dias de Oliveira, DC – Bispo da Diocese de Limeira, SP

Posted by: | Posted on: maio 8, 2012

Amor de mãe

No Dia das Mães, falar de mãe leva-nos a pensar no amor fraterno, divino, maternal e solidário. Falar de um amor que só pode existir em função do outro. Foi o que aconteceu com Jesus Cristo, tendo um amor não só pelos judeus, mas também pelos pagãos. O amor não pode ser abstrato, mas uma experiência concreta de vida.

Numa visão propriamente de fé, mãe é aquela que personaliza, em si, a figura criadora, educadora e amorosa de Deus. Ela consome sua vida para dar vida feliz aos filhos. A verdadeira mãe não minimiza seus esforços para educar bem, acompanhando os filhos, encaminhando-os para uma vida digna e saudável.

A centralidade da vida e da convivência de uma família, de uma comunidade ou de um grupo de pessoas, deve ser o amor. Foi este o grande anúncio de Jesus Cristo, mostrando aos seus apóstolos e às primeiras comunidades cristãs o que deve ser a sua identidade. Convive bem quem ama de verdade e reconhece o valor do outro.

A expressão “meu amor” não pode se transformar em “meu pesadelo”, porque amar é um bem precioso e não pode ser banalizado. Ele possibilita uma relação justa entre as pessoas e leva a uma atitude de libertação, porque ninguém deve ser escravo de ninguém. Não fomos criados para uma submissão arbitrária.

Mãe é sinal de amor. Deus é Pai e Mãe de todos nós. Sem amor, sem Deus e sem mãe, ninguém de nós existiria. Somos frutos de uma experiência de amor, de uma doação certamente sem limites, inclusive com enfrentamento de sacrifícios e sofrimentos. É uma experiência que dignifica e dá sentido de viver às pessoas.

A vida de comunidade, com desafios e diversidades, deve ser a convergência de expressões e práticas concretas de amor. Ela não é diferente de uma vida familiar, onde todos devem perseguir o bem de seus membros. Aqui podemos até fazer uma correlação existente entre o amor de Deus, o da comunidade e o de mãe.

Dom Paulo Mendes Peixoto – Arcebispo de Uberaba.