5º Encontro da Novena de Pentecoste

Posted by: | Posted on: maio 17, 2012

(Para a terça-feira, dia 22 de maio)

Seja feita a vossa vontade, assim na terra como no céu

Acolhida e oração inicial

(Depois de acolher os participantes da novena, pode-se iniciar com um cântico).

A – Vamos iniciar esta novena invocando a Santíssima Trindade. Que nossos pensamentos sejam como os pensamentos de Deus Pai. Que nossos sentimentos sejam como os sentimentos de Jesus e que o nosso agir seja guiado pelo Espírito Santo:

T – Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém!

A – Nesta preparação para a festa de Pentecostes, queremos, em oração, ficar bem unidos com Nosso Senhor Jesus Cristo. Que o Espírito Santo nos dê a conhecer o rosto de Deus, fonte do amor e da bondade.

T – Vinde, Espírito Santo! Ensinai-nos a reconhecer a face de Cristo em nossos irmãos e irmãs. Vinde, Pai dos pobres, doador dos dons, luz dos corações. Fazei com que nossa oração nos aproxime mais do vosso  mistério de amor.

Deus nos convida

A – Ao celebrar este quinto dia da novena, chegamos ao meio da nossa caminhada para a festa de Pentecostes. Queremos estar como os apóstolos, em oração, para que venha também sobre nós o Espírito Santo.

T – Vinde, Espírito Santo, fortalecei a unidade da Igreja, família de Deus.

A – Como comunidade cristã, somos chamados a continuar as obras de Jesus, para que o mundo seja do jeito que o Pai planejou. O que garante a nossa união com Deus não são só as palavras, mas também as obras de amor.

T – “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor, entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus”.

A – Pertencer à família de Deus é colocar em prática o que pedimos na oração do Pai-Nosso:

T – “Seja feita a vossa vontade, assim na terra como no céu”.

A – E Jesus mesmo nos diz: “Todo aquele que fizer a vontade de meu Pai, esse é meu irmão, é minha irmã, é minha mãe”.

T – Concedei-nos, Senhor, a graça de pertencer à vossa família.

A Palavra nos orienta

A – O convite de Deus é feito a cada um de nós, mas a resposta depende da nossa capacidade de corresponder à vocação que recebemos.

T – Que nossos ouvidos estejam atentos e que nosso coração acolha a Palavra de Deus.

Cântico de aclamação ao Evangelho

Proclamação do Evangelho (Mt 21, 28-32)

Reflexão

A – Para fazer a vontade de Deus, ou seja, para perseverar no caminho do bem, ninguém pode considerar-se forte pelas suas próprias forças, mas somente pela bondade e pela misericórdia de Deus.

T – Só quem experimenta o amor de Deus é capaz de amar como Jesus nos ama.

L1 – Não é vergonhoso conviver com as fraquezas. Jesus mesmo experimentou a fragilidade humana diante do sofrimento. Ele chegou a pedir ao Pai:

T – “Pai, se é possível, afaste-se de mim este cálice” (Mt 26, 39)

L2 – E para dar exemplo aos seus discípulos, para que eles não buscassem fazer a sua própria vontade, e sim a de Deus, Jesus acrescenta em seguida:

T – “Não se faça, porém, o que eu quero, mas o que tu queres”.

L3 – Noutra passagem Jesus diz: “Não desci do céu para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou” (Jo 6, 38).

T – Senhor, ajudai-nos a descobrir a grandeza do vosso amor e fazer sempre a vossa vontade.

L4 – Jesus sabe que fazer a vontade do Pai é agir em favor de cada um de nós, por isso ele diz: “E a vontade do Pai que me enviou é esta: Que não se perca nenhum de todos aqueles que o Pai me entregou, mas que o ressuscite no último dia”.

T – Mesmo que nossas palavras sejam vacilantes, dai-nos, Senhor, firmeza para fazer a vossa vontade.

A – A vida de harmonia, fruto da vontade de Deus realizada no céu, inspira nosso esforço para construir, na terra, uma sociedade de Justiça e de Paz.

A partilha nos enriquece

1 – Em nosso agir, nós nos identificamos com qual dos filhos citados no Evangelho de hoje?

2 – O que consideramos mais importante para que a Igreja faça acontecer na terra a vontade de Deus?

Canto

A oração nos fortalece

A – Sabemos que a vontade de Deus é o que Cristo fez e ensinou: humildade na conduta, firmeza na fé, moderação nas palavras, retidão nas ações, misericórdia no relacionamento com as pessoas. Em oração, apresentemos a Deus nossas necessidades:

L1 – Para que sejamos mais abertos à ação do Espírito Santo e assim possamos trabalhar com humildade e alegria na obra de Deus, rezemos:

T – Ensinai-nos, Senhor, a fazer a vossa vontade.

2 – Por todas as pessoas que trabalham para promover a Justiça e a Paz, para que sejam sustentadas pela graça de Deus e possam contar com o apoio e a colaboração de toda a comunidade, rezemos:

L3 – Por todos os nossos parentes e amigos que já partiram para a eternidade, para que, tendo procurado fazer a vontade de Deus aqui na terra, participem com Cristo da glória eterna no céu, rezemos:

L4 – Por todas as pessoas que se dedicam a promover e defender a vida, ajudando os pobres, visitando os doentes e lutando pela justiça, para que sejam firmes na fé e perseverantes nas obras de caridade fraterna, rezemos:

(Outras preces da comunidade)

A – Dai-nos, Senhor, a graça de um coração aberto e acolhedor para fazer sempre a vossa vontade. Fazei-nos viver unidos com Jesus, em atitude de oração, com o coração voltado para a fonte do amor que é a Santíssima Trindade. Rezemos:

T – Pai nosso que estais nos céus…

Maria caminha conosco

A – No coração de Maria não havia lugar para mais nenhum desejo a não ser fazer a vontade de Deus, conforme ele lhe manifestava. Maria encontrou sua alegria em corresponder ao amor do Pai acolhendo com carinho o Filho que lhe foi confiado.

T – “Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a vossa vontade”.

L1 – Maria canta a beleza de poder colaborar com Deus na obra de salvação de toda a humanidade. Ela sabe que o amor que Deus manifestou a ela será lembrado de geração a geração.

T – “Todas as gerações me chamarão de bem-aventurada”.

A – Assim como Maria esteve firme ao pé da cruz, assim como permaneceu em oração com os apóstolos, assim como viveu a alegria de Pentecostes, que Maria permaneça conosco, todos os dias de nossas vidas.

T – Guardai-nos, ó Mãe querida, sob a vossa maternal proteção.

Oração final:

A – Nós vos agradecemos, Senhor nosso Deus, porque em vossa infinita bondade nos dais a graça de viver tão perto de vosso coração.

TFicai conosco, Senhor, pois longe de vós, nada poderemos fazer.

A – Queremos ser como Jesus, reparador dos estragos provocados pelos pecados.

TQueremos ser sol e chuva para todos, sem perguntar se merecem, mas unicamente se precisam.

A – Fazei com que nosso coração seja um novo Sacrário, morada de Nosso Senhor Jesus Cristo, e que nosso corpo seja um templo do Espírito Santo.

T Guardai-nos de todo o mal, Senhor, e acompanhai nossos passos pelos caminhos que nos levam à feliz eternidade.

Ave Maria…, Glória ao Pai…

(Confirmar sempre o local e o horário da próxima novena).





Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *