A Primeira Vocação é o chamado à Vida!

Posted by: | Posted on: agosto 1, 2017

“Antes mesmo de te formar no ventre materno, eu te conheci; antes que nascesses, eu te consagrei …” (Jer 1,5)

Eu não pedi para nascer! … Muitas vezes essa frase está na boca de adolescentes e jovens que acreditam ser responsabilidade dos pais o seu nascimento e, por isso, terem direito a tudo.

No entanto, nossos pais são apenas instrumentos de transmissão da vida, escolhidos por Deus para continuar a sua obra criadora e dar à luz aqueles que Ele mesmo chamou à vida.

Certamente essa colaboração dos pais, e de modo particular da mãe para com Deus precisa de consentimento, pois se, a exemplo de Maria, nossa mãe não tivesse dado o seu “SIM”, talvez fôssemos abortados, e ninguém sentiria falta de nós, nem poderia notar a nossa ausência.

O fato é que, se nós existimos foi porque Deus quis, Ele nos escolheu por amor e nos chamou à vida antes mesmo que fôssemos semeados no ventre materno. Nós somos de Deus, não pedimos para nascer, mas aceitamos o amoroso chamado de Deus para sermos humanos. Cada ser humano é criatura de Deus, amada e convidada por ele ao banquete da vida. Essa é nossa primeira vocação, o primeiro chamado de Deus que aceitamos.

Toda vocação traz em si uma missão. E se a vida é nossa primeira vocação, devemos dar a Deus uma resposta. E para responder é preciso fazer uma escolha, pois toda resposta vocacional exige uma escolha. Assim também, viver é uma escolha.

Nós podemos viver na plenitude da luz do amor e de misericórdia, na abundância de graças e de bênçãos, quando escolhemos viver segundo a vontade de Deus, e “ser” humano. Ou viver nas trevas da ganância e da vaidade, no precipício dos prazeres terrenos e do acúmulo de bens materiais e dinheiro, quando escolhemos viver escravizados ao dinheiro, movidos pela sede de “ter” e de “poder”.

Que resposta Deus espera de mim? Certamente a vida humana tem um sentido a se descobrir, uma obra a se realizar. E cada um deve fazer a própria descoberta, para dar uma resposta consciente. Deve escolher entre a vida e a morte em cada dia da própria existência.

Zelar pela vida, em todas as suas dimensões e em todas as suas manifestações é a resposta afirmativa de quem reconhece que a vida humana depende de todas as formas de vida que há no universo. Pois tudo vem de Deus, o Senhor da Vida.

Por isso, colocar-se a serviço da vida é responder à própria vocação com generosidade e gratidão. É uma atitude cristã acolher a vida de cada ser, acolher a si mesmo e a cada irmão e irmã como presente que o Senhor nos dá, acolher a natureza e todos os seres vivos com o cuidado de quem recebeu de Deus o chamado para zelar pela criação e por todas as criaturas.

A vocação é parte do diálogo entre Deus e o ser humano; a iniciativa é de Deus, é Ele que escolhe quem quer chamar e para que o quer chamar; a resposta é do ser humano, que vai escolher dizer “sim” ou “não” ao chamado de Deus, que vai assumir com total disponibilidade a missão para a qual foi chamado, ou abdicar da sua missão.

É preciso fazer uma leitura orante da vida, acolher o próprio ser como um dom e presente que Deus nos dá: corpo, espírito, saúde, energias, desejos, necessidade de amar e ser amado, impulso para o infinito, capacidade de relações… Somos dom de Deus: tudo em nós procede dele. E enquanto procedemos dele, todo nosso ser é bom.

A cada dia, a cada novo amanhecer, somos convidados a olhar para dentro de nós, a ouvir a voz de Deus em nós, que nos convida a um novo viver. Convidados a ser melhor no dia de hoje do que fomos ontem; a viver a vida em abundância que Jesus nos prometeu, abundância de amor, de felicidade perene e de paz.

Aceitar esse convite consiste em escolher o bem e o bom aos olhos de Deus, escolher a vida acima de tudo, como resposta de gratidão a Deus.

Autora: Maria Aparecida de Cicco