Ano do Laicato

Posted by: | Posted on: novembro 30, 2017

Numa visão profética, a Igreja está convocando os cristãos leigos e leigas para um ano de reflexão, de revisão e de avaliação de seu papel laical na sociedade. Ela faz isso consciente da importância de todos os batizados no campo da evangelização. A riqueza da Igreja em saída, no dizer do Papa Francisco, tem reflexo profundo na vida de quem participa do sacerdócio batismal de Jesus.

O tempo definido vai da Festa de Cristo Rei de 2017 a Cristo Rei de 2018. É o “Ano do Laicato”, com o tema: “Cristãos leigos e leigas, sujeitos numa ‘Igreja em saída’, a serviço do Reino”, e o lema: “Sal da Terra e Luz do Mundo” (Mt 5,13-14). Tempo de criar paixão, encontro e seguimento de Jesus Cristo, numa Igreja comprometida com as realidades da cultura moderna.

Com esta matéria, queremos fazer um apelo forte e abrangente a todos os cristãos, principalmente os leigos e as leigas, para descobrir caminhos novos de evangelizar. As bases para isso estão nas palavras motivadoras do Papa Francisco. Na Evangelii Gaudium ele conclama a Igreja para ser mais presente no mundo, indo às periferias existenciais, ao encontro fraterno com as pessoas.

O Ano do Laicato vai dar espaço privilegiado para que os cristãos descubram sua vocação e missão no mundo. Não somos cristãos por acaso, sem compromisso com o Evangelho do Senhor. Enraizados em Jesus Cristo (cf. Cl 2,7), somos a Igreja que caminha na construção do Reino de Deus, que defende a vida e a dignidade das pessoas, porque vê nelas a imagem e a semelhança de Deus.

Será um ano de muita espiritualidade e de motivação para construir, na nova cultura, a esperança de um mundo melhor. Certamente seremos despertados para acreditar e ter a certeza de que um mundo melhor é possível. Deus quer a felicidade de seus filhos, e os convoca para divinizar suas ações concretas no mundo. As mudanças passam pelo testemunho concreto de cada cristão.

O Documento de Aparecida diz que os cristãos leigos e leigas são “verdadeiros sujeitos eclesiais” (n. 497). Significa que eles devem estar presentas nas realidades temporais, visualizando seu testemunho concreto de responsabilidade para com o anúncio da Palavra de Deus. Não podem ser uma luz apagada, escondida, sem compromisso social e alheios aos problemas que afetam a todos.

Dom Paulo Mendes Peixoto – Arcebispo de Uberaba.


Com o Tempo do Advento, começa um novo Ano Litúrgico

Posted by: | Posted on: novembro 29, 2017

Novo ano litúrgico

Quatro domingos antes da Festa do Natal, a Igreja inicia o novo Ano Litúrgico com a celebração do 1º Domingo do Advento, diferentemente do ano civil, que só se iniciará em 1º de janeiro. Iniciando um novo Ano Litúrgico com o Tempo do Advento, a Liturgia da Igreja abre um novo ciclo para as leituras bíblicas dominicais, que são divididas em A, B e C lendo, por conseguinte, um evangelista sinótico em cada um desses ciclos, iniciando por Mateus, seguido por Marcos e Lucas respectivamente. Dessa forma, a cada 3 anos, completa-se a leitura dos três evangelistas sinóticos. Reservando as leituras do Evangelho de João para o período da Páscoa e algumas datas especiais. Neste ano de 2017, o ciclo de leituras será do ano B, que no seu conjunto são marcadas pelo evangelista Marcos. Read More …


“A vinda do Senhor”

Posted by: | Posted on: novembro 28, 2017

Conforme a Palavra de Deus, a vinda de Jesus deve ser compreendida em duas dimensões, mas que fundamenta nossos conceitos de fé. A primeira, já prevista pelo Antigo Testamento, principalmente nas palavras do profeta Isaías, “de uma virgem nascerá o Emanuel” (cf. Is 7,14), acontece no dia do Natal. É a realização da encarnação do Verbo, Deus que se torna homem.

A segunda vinda do Senhor é anunciada como tempo de julgamento, quando os maus serão separados dos bons e serão destinados para a eternidade. Aí acontecerá a justiça divina, o “acerto de contas” com as pessoas, tendo como fonte os atos praticados na vida terrena. Para quem foi capaz de valorizar o processo do perdão e da reconciliação, certamente terá a misericórdia de Deus. Read More …


Encerramento do Ano Litúrgico: uma revisão de vida à luz da Catequese de Francisco

Posted by: | Posted on: novembro 27, 2017

Com a Festa de Cristo Rei, celebrada neste 34º Domingo do Tempo Comum, iniciamos a última semana do Ano Litúrgico, que se encerra no próximo sábado, véspera do Primeiro Domingo do Advento, que inicia um novo Ano Litúrgico.

Assim como, ao encerrarmos o ano civil, costumamos fazer uma reflexão sobre o que foi bom ou não no ano que passou e estabelecer alguns propósitos e prioridades para o novo ano, tendo em vista uma vida melhor; assim também, ao concluirmos o Ano Litúrgico deveríamos fazer uma reflexão para enxergar onde caminhamos conforme o Espírito e onde caminhamos sem levar em conta o Evangelho de Jesus.

Durante este ano, o Papa Francisco nos apontou muitas maneiras de viver dando testemunho do Evangelho com nossa vida, em nossas ações. O tema de sua Catequese foi a Esperança Cristã.

Dando início a essa série de Catequeses, o Papa Francisco disse: Read More …


Ano do Laicato: “Cristãos leigos e leigas, sujeitos na ‘Igreja em saída’, a serviço do Reino”

Posted by: | Posted on: novembro 24, 2017

O “Ano do Laicato” tem seu início no último domingo do ano litúrgico, dia 26/11, data em que se comemora a Festa de Cristo Rei. A Igreja do Brasil fará a abertura, em todo território nacional, do Ano Nacional do Laicato, que se estenderá até dia 25 de novembro de 1918.

O arcebispo de Brasília e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), cardeal Sergio da Rocha, saúda a realização deste ano como uma oportunidade de valorizar ainda mais a presença e a missão dos cristãos leigos e leigas na Igreja e na Sociedade. “Nós temos a alegria de começar no Brasil o Ano do Laicato, aprovado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, contando de modo especial com a Comissão Episcopal Pastoral para o Laicato”, disse.

De acordo com o cardeal, toda Igreja no Brasil é convidada a vivenciar intensamente o Ano do Laicato por meio de orações, celebrações e reflexões, mas sobretudo incentivando e apoiando uma participação sempre maior dos cristãos leigos e leigas na vida da Igreja e da sociedade para que sejam de fato sal da terra e luz do mundo numa Igreja em saída.

O tema escolhido para animar a mística do Ano do Laicato é: “Cristãos leigos e leigas, sujeitos na ‘Igreja em saída’, a serviço do Reino”; e o lema “Sal da Terra e Luz do Mundo”, Mt 5,13-14. Segundo o Bispo de Caçador (SC), Dom Severino Clasen, presidente da Comissão Episcopal Especial para o Ano do Laicato, já era desejo da comissão dar novo impulso, incentivo e estímulo a temática. Read More …


Celebração da Solenidade de Cristo Rei do Universo!

Posted by: | Posted on: novembro 24, 2017

Estamos no último domingo do Ano Litúrgico. É tempo de parada e de avaliação, tendo diante dos olhos Jesus Cristo, Rei do Universo, o Ressuscitado, e à nossa frente os irmãos pobres e abandonados, lembrados por Jesus no Evangelho. A celebração quer ajudar-nos a descobrir e vivenciar o sentido da presença do Senhor entre nós e na história, voltados para os que têm fome, sede, estão presos, doentes e abandonados. O que fizemos por eles ao longo do ano que termina?

As comunidades nas suas celebrações são convidadas a comemorar a vitória da justiça que aconteceu na ressurreição de Jesus e continua acontecendo nos gestos de misericórdia, bondade, solidariedade, partilha do pão e da prática da justiça.

A reforma litúrgica transferiu esta festa do último Domingo de outubro para o último Domingo do Tempo Comum, dando-lhe novo significado, em sintonia com a perspectiva própria do final do ano, imediatamente antes do Advento.

Esta solenidade encerra o Ano Litúrgico. Jesus Cristo Rei surge como a meta a que tendem o Ano Litúrgico e todo o peregrinar da humanidade, na linha da Constituição Pastoral Gaudium et Spes, n.45.

Proclamamos Cristo, centro e Senhor da história, desde o começo até sua consumação: “O Alfa e o Ômega, o Primeiro e o Último, o Princípio e o Fim” (Ap. 22,12-13). Read More …


DINÃMICA PARA CRISTO REI.

Posted by: | Posted on: novembro 23, 2017

Maria Aparecida de Cicco

Esta dinâmica é para ser aplicada com adolescentes, no encontro de Catequese cujo tema seja “Cristo Rei”.

Peça aos catequizandos que escrevam o nome de alguns reis que eles conheçam, seja pela História, seja pelas notícias de hoje em dia.

(Caso eles não tenham muito acesso a informações sobre reis, procure algumas notícias sobre os reis que ainda existem hoje e imprima para levar à Catequese e distribuir entre eles)

Depois que tiverem escrito os nomes, peça que escrevam o que esses reis fizeram de especial para o seu povo.

Em seguida peça a cada um que diga o nome dos reis que escreveu e o que ele fez.

Depois que todos tiverem falado, divida eles em grupos de 5 ou 6 catequizandos e peça que escolham entre todos os feitos de todos os reis escolhidos por seu grupo, qual foi o maior e melhor feito; e depois que digam se escolhem esse para ser o seu rei. Dê apenas 10 minutos para que façam a escolha. Cada grupo só pode escolher um rei. Read More …


PARUSIA – COMO COMPREENDER?

Posted by: | Posted on: novembro 23, 2017

Um dos aspectos do Advento é o escatológico, da Parusia, a volta do Senhor Jesus. Mas esse é um tema que pode ser de difícil compreensão para cristãos e cristã, catequistas de boa vontade que não contam com a possibilidade de formação teológica. Pensando sobre isso, fomos pesquisar e encontramos um ótimo artigo do Prof. Shigeyuki Nakanose, svd – assessor do Centro Bíblico Verbo – que foi publicado na Revista Vida Pastoral – edição de setembro-outubro de 2017, da Paulus.

Esse artigo fala sobre a “parusia”, a partir da 1ª Carta aos Tessalonissenses, escrito de forma clara e simples, que possibilita a compreensão de todos e muito contribui para uma boa formação sobre esse tema. Read More …


Sacramentos da Iniciação à Vida Cristã

Posted by: | Posted on: novembro 21, 2017

Neuza Silveira de Souza

Na contínua reflexão sobre o processo de Iniciação à vida cristã, somos chamados à vivência e à observância da unidade dos três sacramentos que nos introduzem no mistério de Cristo e da Igreja, bem como os demais sacramentos, pois todos eles rememoram o Cristo presente e atuante na práxis dos membros da comunidade.

Os sacramentos são vistos como atos do próprio Cristo na ação da Igreja e, nesse sentido, são integrados no mesmo caminho de fé, como experiência vital e de crescimento no meio de uma comunidade eclesial. Assim sendo, somos chamados a repensar a nossa identidade cristã e a nossa missão. Uma prática renovadora dos sacramentos será o reflexo de uma Igreja transformada, feliz e convertida, mais conforme à mensagem e à prática de Jesus que nos convida à vida misericordiosa, fraterna e livre.

Diz o documento 107 em seu número 129: “A origem da relação entre os três sacramentos da Iniciação à Vida Cristã tem seu fundamento nas diversas manifestações de Cristo e do Espírito que nos leva à unidade do mistério pascal cumprida pela missão do Filho e consumada pela efusão do Espírito Santo”. Se hoje entendemos assim os sacramentos: manifestação visível de algo invisível, podemos dizer que Jesus Cristo é o Proto-sacramento: o primeiro e grande sacramento do amor de Deus-Trindade. Read More …


Frutos do Reino

Posted by: | Posted on: novembro 20, 2017

Chegamos a mais um final de Ano Litúrgico. Ele começa com a vinda de Jesus, com o título de Rei, conforme vemos no anúncio do Tempo do Advento, e termina na cruz, sendo proclamado Rei dos judeus. A presença de Deus na terra, em Jesus Cristo encarnado, teve como objetivo construir o Reino da vida. Sua finalidade é produzir frutos para ajudar no bem viver das pessoas.

A presença física de Jesus, na terra e no tempo, foi para distribuir a semente do bem e manifestar a bondade amorosa de Deus-Pai para todos os seus filhos. Não há distinção entre as pessoas. É por isso que Ele “faz nascer o sol sobre os bons e os maus” (Mt 5,45). Esse gesto seja percebido pela humanidade, colhendo os frutos da árvore, plantada com todo carinho, por Jesus.

Falar do Reino de Deus é olhar para a presença divina no ambiente humano. Seu início foi construído na história do Antigo Testamento e concretizado com o Natal do Senhor.  Seu fim, certamente, será com o julgamento no final dos tempos. Significa que o Reino coincide com a realização da justiça, com a identificação dos que foram justos, não agiram de forma desonesta e injusta. Read More …