CARNAVAL! FESTA PAGÃ OU FESTA CRISTÃ?

Posted by: | Posted on: Fevereiro 7, 2018

Você conhece a origem da festa de carnaval?

A festa do Carnaval é uma herança de várias comemorações realizadas na Antiguidade por povos como os egípcios, hebreus, gregos e romanos. Esses festejos pagãos serviam para celebrar grandes colheitas e principalmente louvar divindades.

Há quem diga que essa festa tenha surgido na Grécia por volta do ano 520 a.C, onde o vinho era fundamental e as pessoas se reuniam em nome do deus Dionísio, com a intenção de se divertirem, celebrar a chegada da primavera e a fertilidade.

Mas também há quem diga que provavelmente ele tenha sua origem em uma festa ancestral realizada na Roma antiga em exaltação a Saturno, deus da agricultura: as “saturnais”. Na época dessa celebração, as escolas fechavam, os escravos eram soltos e os romanos dançavam pelas ruas. Havia até mesmo uma espécie de “bisavô” dos atuais carros alegóricos, carruagens que levavam homens e mulheres e eram chamados de carrum navalis, algo como “carro naval”, devido ao formato semelhante a uma embarcação. Alguns pesquisadores enxergam aí a origem da palavra “carnaval”. Read More …


Autoridade e compaixão

Posted by: | Posted on: Fevereiro 7, 2018
Dom Paulo Mendes Peixoto

Duas palavras envolventes na vida social. Dizemos que a autoridade, equiparada ao poder, normalmente deve vir de Deus, mas quando conquistada de forma legítima. É base para todo tipo de sociedade organizada, principalmente no âmbito do mundo político. A compaixão, ou compreensão do estado emocional, que temos do outro, seja uma prática com intenção de aliviar os seus sofrimentos.

Compreendemos esse fato na vida de Jesus. Ele agia com autoridade, porque testemunhava com sua vida o que realizava. Suas palavras tinham força de ação e conquistavam o coração dos ouvintes e seguidores. Olhava as pessoas com compaixão, porque entendia os seus problemas e curava os doentes. Para Jesus, o ser humano e a sua dignidade, estavam acima de quaisquer outros interesses.

A força de quem tem autoridade precisa levar em conta também o aspecto da compaixão, e agir de forma integradora, olhando para a coletividade, sem discriminação. Não pode ser uma prática que desconhece a identidade da classe marginalizada. Assim fez Jesus, com poder infinito nas mãos, e sensível para com as pessoas mais vulneráveis e sofredoras da sociedade de seu tempo. Read More …


INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ – Uma formação indispensável para todos

Posted by: | Posted on: Fevereiro 5, 2018

A Iniciação à Vida Cristã, de inspiração catecumenal, não é mais um novo modelo de Catequese, mas um itinerário para forma discípulos missionários que testemunhem o significado e o valor da vivência cristã.

O Documento de Aparecida pede “uma conversão pastoral[1] e diz: “Nossa maior ameaça é o medíocre pragmatismo da vida cotidiana da Igreja, no qual, aparentemente, tudo procede com normalidade, mas na verdade a fé vai se desgastando e degenerando em mesquinhez”[2]

E isso está acontecendo nas comunidades e nas famílias cristãs, onde a tepidez da fé “pasteurizada” vai tomando conta. A prática da fé se restringe a “momentos de espiritualidade”, à participação sacramental aparente, mas não se reflete na vida cotidiana, no agir diário. A vida não testemunha a fé que professamos. Read More …


Roteiro de Oração Diária

Posted by: | Posted on: Fevereiro 4, 2018

Como fizemos em anos anteriores, continuaremos a compartilhar mensalmente os Roteiros de Oração que o Centro Anchietanum produz. Esses roteiros enriquecem nossa espiritualidade com a meditação diária proposta por eles, esperamos que neste ano continuem a seguir esses Roteiros e também a divulgar a prática da leitura orante. No início de cada mês, em data não fixa pois depende da liberação do Anchietanum, postaremos aqui o itinerário do mês corrente.

Em 2018, o Anchietanum traz um novo tema comum para inspirar nossas ações: Ser + consciente. A partir deste tema, somos provocados e provocadas ao seguimento de Jesus, rezando e entendendo a realidade que nos cerca, comprometendo-nos com ela. O Papa Francisco nos recorda que “(…) No íntimo de cada um de nós existe um lugar onde o Mistério se revela e ilumina a pessoa, tornando-a protagonista da sua história: a consciência (…), é este o ‘núcleo secreto’, o sacrário do ser humano, onde ele fica sozinho com Deus, cuja voz ressoa na intimidade.” Diante de uma sociedade desigual, excludente e alienante, somos chamados então a experimentar processos de conscientização que nos permitam olhar criticamente não apenas para o mundo, mas para nós mesmos, nos permitindo habitar esse lugar sagrado da consciência, assumindo a posição de sujeitos humanizados e protagonistas, que desejam e sonham em ser mais para si e para os demais. Neste ano de eleições gerais, no qual a Igreja celebra o Ano do Laicato, fomenta a Campanha da Fraternidade dedicada a superação e enfrentamento da violência, em que contaremos com o Sínodo “Juventude, fé e discernimento vocacional”, o convite é para uma fé encarnada e ativa, que é prescindida pela conscientização com relação a nós mesmos, o mundo que nos cerca e a nossa relação com Deus e com toda a sua criação.

CLIQUE AQUI para abrir o Roteiro de Oração – ed. 107 – fevereiro de 2018

CLIQUE AQUI para abrir o Roteiro de Oração – ed 106 – janeiro de 2018

 


Fraternidade e superação da violência

Posted by: | Posted on: Fevereiro 4, 2018
Por Luis Fernando da Silva

Introdução

Em 1964, em pleno desenvolvimento do Concílio Vaticano II, realizou-se a primeira Campanha da Fraternidade (CF) em âmbito nacional, sob os cuidados da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Para o ano de 2018, foi escolhido o tema “FRATERNIDADE E SUPERAÇÃO DA VIO­LÊN­CIA” e o lema: “VÓS SOIS TODOS IRMÃOS” (Mt 23,8), com o objetivo geral de construir a fraternidade, promovendo a cultura da paz, da reconciliação e da justiça, à luz da palavra de Deus, como caminho de superação da violência.

O tema da CF-2018 pretende advertir que a violência nunca constitui uma resposta justa. A Igreja proclama, com a convicção de sua fé em Cristo e com a consciência de sua missão, que a violência é um mal, é inaceitável como solução para os problemas e não é digna do ser humano.

A busca de soluções alternativas à violência para resolver os conflitos assumiu, atualmente, um caráter de dramática urgência. É, portanto, essencial a busca das causas que originam a violência, em primeiro lugar as que se ligam a situações estruturais de injustiça, de miséria, de exploração, nas quais é necessário intervir com o objetivo de superá-las (cf. Compêndio da Doutrina Social da Igreja).

 Já o lema “Vós sois todos irmãos” busca resgatar o sentido da fraternidade dos povos, pois somos todos irmãos e irmãs, filhos e filhas de um mesmo Pai. Por isso, iluminados pelo evangelho do Reino, somos chamados à não violência.

A CNBB convida todos os homens e mulheres de boa vontade a percorrer o caminho da superação da violência, crescente em todos os níveis. Para isso, é preciso olhar a realidade, iluminá-la com a luz da palavra de Deus e do magistério da Igreja e, por fim, agir sobre ela, transformando-a.


Celebração do 5º domingo do Tempo Comum

Posted by: | Posted on: Fevereiro 2, 2018

Na Celebração deste 5º Domingo do Tempo Comum, somos convidados a encarar o sofrimento de uma forma esperançosa, na certeza de que o Senhor não nos abandona, pois Ele quer a vida para todos. Que o Espírito Santo nos ilumine e fortaleça, para que nada, nem a dor, nem o sofrimento, abalem nossa fé.

A Celebração enviada por Dom Vilson Dias de Oliveira, DC – Bispo da Diocese de Limeira, é um bom subsídio para refletirmos, prepararmos encontros catequéticos, e também para aqueles que têm a responsabilidade de presidir Celebrações da Palavra nos locais onde não há ministro ordenado.

CLIQUE AQUI para abrir a Celebração do 5º Domingo do Tempo Comum – ano B – 2018


Campanha da Fraternidade e Catequese de Jovens do Crisma ou Grupos de jovens

Posted by: | Posted on: Fevereiro 1, 2018

Durante o período da Quaresma, o tema da Campanha da Fraternidade  deverá ser amplamente abordado na Igreja Católica no Brasil e, sem dúvida,os jovens são essenciais nessa discussão.

Para auxiliar o desenvolvimento da Campanha da Fraternidade nos grupos de crisma e de jovens, destacamos algumas atividades que podem ser organizadas nas paróquias e comunidades.

Palestras

A primeira coisa a fazer é entender um pouco mais sobre o tema em questão, qual é a problemática proposta, os impactos – inclusive na vida dos jovens – e na sociedade em geral. Para isso, você pode convidar profissionais que dominem o tema – dentro ou fora do meio religioso –, mas que consigam inserir os jovens no tema e os despertem para, dentro da perspectiva cristã, compreenderem o espírito que rege a Campanha. Read More …


Campanha da Fraternidade na Catequese.

Posted by: | Posted on: Janeiro 31, 2018
Prepare encontros catequéticos sobre a Campanha da Fraternidade

Durante a Campanha da Fraternidade (CF), as crianças ocupam lugar-chave e estratégico na divulgação, propagação e reflexão do tema “Fraternidade e superação da violência”. Geralmente, as crianças levam para casa os argumentos estudados nos encontros catequéticos e, assim, ajudam os adultos a refletir sobre o assunto.

Mas como trabalhar o tema da CF 2018 nos encontros catequéticos? Confira algumas sugestões abaixo:

Comece com uma história

Crianças – e adultos também – gostam muito de histórias. Nada melhor do que criar uma narrativa envolvendo algum personagem dentro do contexto do tema da Campanha da Fraternidade. Aproveite o lema da campanha “Vós sois todos irmãos” (Mt 23,8) e conte uma história sobre um personagem que sofre discriminação – que é uma forma de violência muito comum. Destaque os sofrimentos do protagonista por ser rejeitado e a maneira como ele enfrentou essa dificuldade. A moral da história deve ressaltar às crianças que não podemos discriminar ninguém, pois todos somos irmãos. Read More …


Como viver melhor a Campanha da Fraternidade!

Posted by: | Posted on: Janeiro 30, 2018

São muitas as formas de violência que enfrentamos dentro de casa, na rua, na sociedade. Mas o cristão não pode se acostumar com elas.

O que podemos fazer para mudar esse cenário caótico de desamor? De que maneira as comunidades podem viver melhor a Campanha da Fraternidade de 2018? Confira 10 dicas:

  • Conversão pessoal: Para mudar os que estão à minha volta, primeiramente eu devo me mudar, ou seja, se vivo em um ambiente de violência doméstica (agressividade, impaciência etc.) devo combatê-la com amabilidade e paciência por amor e por misericórdia.

Read More …


Sociedade enferma

Posted by: | Posted on: Janeiro 29, 2018
Dom Paulo Mendes Peixoto

Na cultura capitalista e tecnológica dos últimos tempos, cresce a preocupação com a prosperidade econômica, esvaziando a riqueza de uma espiritualidade mais comprometida com a dignidade da pessoa. Quem mais tem, mais quer ter e está sempre insaciável no caminho do acúmulo sem nenhuma preocupação social. Por causa disso, agem de forma inescrupulosa, sem olhar a carência do outro.

As atitudes citadas acima mostram que estamos numa sociedade enferma, de práticas desumanas, e de forma generalizada, que não investe na educação, na saúde e no bem-estar social, impedindo que o Brasil seja um país querido por todos. Falta espírito de sacrifício e de partilha, porque o ter realmente sacrifica o ser e incapacita a pessoa para enxergar a dimensão de sua prática. Read More …