Leitura Orante da Bíblia

Posted by: | Posted on: outubro 14, 2010

A expressão “Leitura Orante” se tornou muito usada no Brasil depois do Concílio
Vaticano II, para definir um método de ler a Bíblia que na verdade é tão antigo
quanto a Igreja Cristã: a Lectio Divina.

Hoje, resgata-se a expressão latina e muitas pessoas pensam que surge
um novo método de leitura bíblica, mas estamos falando da mesma Leitura Orante
que o Vaticano II resgatou.

Mas precisamos entender bem o significado dessa leitura, a sua
profundidade.

Em primeiro lugar vamos buscar na história de fé dos cristãos a origem
da leitura orante. A expressão Lectio Divina vem desde os tempos da Patrística,
isto é dos primeiros séculos da Igreja, e significa Leitura Divina. Foi o
método de leitura usado pelas primeiras comunidades cristãs para ler a Sagrada
Escritura Hebraica (Primeiro Testamento) a partir da ressurreição de Jesus.
Podemos encontrar suas raízes nos Evangelhos, onde se constituiu como a
dinâmica básica para a composição destes. Lucas, na narração do evento de
Emaús, apresenta Jesus convidando os discípulos a relerem os textos sagrados a
partir dos eventos pascais.

Lectio Divina é mais que um método de leitura, é um processo de rezar
a Palavra, inspirados pelo Espírito (cf. Jo 14, 25-26; 16, 12-13).  E foi base da vida de oração de muitas Ordens
Religiosas, começando por São Bento, cuja Regra se baseia nesse método de ler e
rezar a Palavra, e recebendo grande impulso nas ordens mendicantes onde foi
estruturada e difundida. Para São Francisco de Assis ler a Palavra era também
rezar a Palavra.

A Lectio Divina é a leitura sapiencial da Palavra de Deus, cheia de
sabor e de calor. É uma leitura cuja compreensão nasce no coração e suas raízes
estão fincadas na vida, no ambiente popular.