Curso Bíblico 15 – Evangelho de Marcos

Posted by: | Posted on: agosto 8, 2011

JESUS NO CAMINHO DA CRUZ

O estudo do Evangelho de Marcos é essencial, pois como dissemos no início, ele é uma das fontes para os evangelhos sinóticos de Mateus e de Lucas. Entender este evangelho ajuda a compreender melhor os demais.
Até aqui, fomos traçando um panorama da ação de Jesus em sua caminhada. Mas o que talvez não tenha ficado claro, assim como não perceberam os seus discípulos, é que essa caminhada se fazia no sentido contrario ao dos poderosos da Palestina. Essa caminhada, na contramão do contexto histórico do seu tempo, o levaria ao calvário, pois sua mensagem contrariava os interesses daqueles que se beneficiavam da situação em que o povo vivia.

Vários capítulos do Evangelista Marcos são dedicados ao evento da Paixão e Morte de Jesus. Esses capítulos mostram a entrega de Jesus como parte de sua missão e a importância deles no contexto geral da mensagem que Marcos apresenta.  

Primeira Parte do relato: O caminho da Cruz

  • 14,1-15,47: Paixão e Morte de Jesus

Ao narrar a Paixão e morte de Jesus, Marcos não pretende desanimar aqueles que o seguem, mas ao contrário, oferecer motivações e animar a fé das comunidades que estão sendo perseguidas e que vivem a própria paixão. Marcos quer dar-lhes esperança.
No relato da celebração da ceia no capítulo14, versículo 22 a 31, encontra-se o ponto de contraste entre a atitude de Jesus que doa a si mesmo e a atitude dos apóstolos, atitude de traição (14,17-21), de fuga e negação (14,26-31). Os discípulos esperavam que Jesus fosse libertar o povo do jugo dos romanos e do Sinédrio, que fosse liderá-los em um levante contra o poder. Ao se deparar com a demora em realizar sua esperança, Judas pensa em apressar Jesus gerando uma crise ao confrontá-lo com a iminência da prisão. Judas espera que Jesus reaja e use seu poder, mas isso não acontece.
Da mesma forma, os outros apóstolos e entre eles Pedro, fogem amedrontados diante da prisão de Jesus. Também eles esperavam que Jesus reagisse e usasse de poder, mas se decepcionam. Ao negar Jesus, Pedro tem medo das consequências de ter seguido alguém que agora se mostrava tão frágil e inerte diante dos poderosos.
Com isso, fica evidente a total gratuidade do amor de Jesus, que supera toda infidelidade. Apesar de ser abandonado por todos, Ele não os abandona. Será fiel ao projeto de Deus, que não é um projeto de morte, mas de vida; porém essa fidelidade o levará à morte, pois os poderosos querem destruir toda semente de esperança que Jesus plantou no coração dos que o seguiam, querem mostrar que Deus não está com Jesus, mas com o Templo. Por isso lutam para que Jesus morra na cruz.