Mensagens da catequista Jussara

Estou abrindo para todos os nossos catequistas as mensagens que troquei com a catequista Jussara, pois creio que poderá ajudar outros catequistas que tenham as mesmas dificuldades.

A catequista Jussara nos escreveu:

Eu era Catequista da 1° Etapa, agora sou da 2º Etapa(Eucaristia), mas não estou tendo idéias para trabalhar com os catequizandos. Isto está me dasanimando. Gostaria muito da ajuda de voçês.

Resposta:

Você não nos informa qual o material que está usando, se utiliza manuais de apoio na catequese ou outros materiais. Também não me informa a faixa etária com que trabalha. Essas informações são importantes.

Não desanime não! O mais importante é levar os catequizandos a fazerem a experiência de fé. O Blog da Catequese tem algumas propostas de encontros e de dinâmicas que poderão ser realizadas com eles. Também comecei a publicar neste ano, sugestões para uma catequese mistagógica. Creio que poderão ser de grande valia para você.

Por favor, me envia maiores informações para que eu possa te ajudar mais e melhor.

Mensagem da Jussara:

Respondendo sua pergunta, sou Catequista da 2ª Etapa e trabalho com o livro  “Caminho da Inicíação Cristã”. Gostaria de passar para eles algo a mais além do que está no livro. Que assuntos posso abordar com eles? Posso trabalhar com dinâmicas? Que tipo? Fico aguardando sua resposta.

Resposta:

Jussara, não conheço o manual com que você trabalha, assim não sei exatamente quais os temas que aborda nem qual a pedagogia que adota. Normalmente os manuais seguem a linha de formação que é recomendada pela CNBB, com temas que são adequados à faixa etária dos catequizandos que se preparam para a Eucaristia.

No entanto, você pode abordar outros temas conforme a necessidade, isto é, quando surgir durante o encontro alguma questão ou acontecimento que desperte o interesse e curiosidade de todos você poderá trabalhar isso com os catequizandos de modo a  fazê-los compreender a questão a partir do enfoque da fé, ajudando-os no seu amadurecimento cristão. Assim, temas como solidariedade, respeito ao próximo e às diferenças, vida e morte, sexualidade, etc, podem ser abordados nos momentos mais adequados, quando surgirem questões relacionadas a eles.

A catequese não é um curso de doutrina, que deve cumprir um programa pré-estabelecido e fixo, ela é um processo de educação na fé e como tal deve estar atenta aos desafios e questionamentos que são enfrentados no dia a dia. Veja bem, como mãe você educa seu filho no cotidiano, ensinando-o passo a passo, conforme a necessidade, respeitando o seu desenvolvimento natural e o seu nível de maturidade; e não deixa sem resposta as questões que surgem, dando-lhe a resposta adequada à sua faixa de desenvolvimento. Assim você educa seu filho para a vida; da mesma forma você deve agir na catequese para educar na fé os adolescentes que se preparam para a Eucaristia. Assim como seu filho vai sendo educado a partir da vivência e experiência durante o processo de crescimento, assim a também os catequizandos devem ser educados a partir da vivência e experiência da fé no processo de amadurecimento cristão.

Com relação às dinâmicas, elas podem e devem ser usadas nos encontros de catequese, porém não podem ser reduzidas a um momento de lazer, isto é um intervalo dentro do encontro para brincadeiras. As dinâmicas devem ser o meio que vai ajudar o catequizando a compreender melhor o tema que está sendo abordado. Por exemplo, se o tema do encontro for partilha, a dinâmica deve levar os catequizandos a fazerem uma forte experiência de partilha. Há uma sugestão de dinâmica, na página de ENCONTROS do Blog da Catequese, sobre a Parábola do Rico e do Pobre que ilustra bem o tema, que você pode adaptar à realidade dos seus catequizandos. As dinâmicas sempre têm que ter relação com o tema, proporcionando a experiência concreta dos ensinamentos de Jesus e propiciando uma reflexão transformadora.

No mundo de hoje, onde os cristãos se deparam com inúmeros desafios desencadeados pela constante transformação da sociedade e estilo de vida, a evangelização deve levar a uma experiência de fé tão profunda que ajude a enraizar os valores cristãos na vida humana, capacitando a pessoa a dar razão da própria fé diante das interpelações que sofre cotidianamente. Essa é a missão da catequese e por esse motivo ela deve ser um processo permanente de educação na fé, onde as etapas sacramentais são marcos da caminhada e nunca metas finais. A meta é o amadurecimento que leva ao encontro definitivo com Jesus para com Ele e por Ele caminhar ao encontro do Pai.

Jussara, espero que a minha resposta lhe dê uma luz para iluminar sua missão. No Blog da Catequese você encontra muitas sugestões. Vasculhe todo o seu conteúdo, leia, comente, questione. Se tiver dúvidas, pergunte, envie novo email. Conheça também as publicações destinadas à catequese e os livros de dinâmicas voltados a ela. O bom catequista não se prende a um único manual, mas busca enriquecer seu trabalho com outras sugestões, adaptando temas e dinâmicas conforme a realidade da sua comunidade e do seu grupo. Nós estamos à disposição de todos os catequistas.

Mensagem da Jussara:

Adorei o banho de informações!!!  Ajudou-me muito, acendeu uma luzinha.
Quando tiver novidades ficarei grata em receber. Estava olhando na internet a Turma do Biblincando achei que é uma revista legal para os catequisandos. O que voçe acha?

Resposta:

Jussara, fico muito feliz em poder ajudar. Eu conheço a revista da Turma do Biblicando, e creio que pode ser um bom instrumento complementar, mas há também o Album Litúrgico Catequético da Editora Vozes, “No Caminho de Jesus”, que além de ser um bom complemento para os catequizandos também é um excelente instrumento para integrar a família no processo de educação da fé, pois a família terá que acompanhar as atividades. Dê uma olhada na sessão das publicações do nosso Blog para conhecê-lo e se quiser conhecer melhor entre em contato com o pessoal da Livraria Virtual e peça um exemplar para você, vale a pena o investimento.

Sempre que precisar ou tiver dúvidas entre em contato, seja por email ou por meio dos comentários aos textos que são postados no Blog. Divulgue o nosso Blog e também nos acompanhe no Facebook, pois agora temos também uma comunidade do Blog de Catequese no Facebook.

Cativar as pessoas para anunciar a Boa Nova de Jesus

Paulo Roberto, de Campo do Meio, Minas Gerais, nos envia uma nova mensagem:

Apesar de ter uma formação no Ministério da Sagrada Eucaristia, é muito diferente trabalharmos como catequista, ou seja como EVANGELIZADORES, como JESUS nos convida: “A messe é grande, os trabalhadores são poucos”. Nesta experiência a que somos convidados a participar, vemos realmente que não é fácil, porem uma força, uma luz, esta presente nesta caminhada, não estamos sozinhos. E de mãos dadas com JESUS e com seus ESCOLHIDOS, levamos sua PALAVRA DE SALVAÇÃO.

Dentro desta comunidade, da qual faço parte, apenas cinco casais têm o sacramento do matrimonio, e sete casais não possuem esse sacramento; isto faz com que se afastem da vida religiosa.

Resposta:

Lembre-se sempre das palavras de Jesus: “Eu não vim para chamar os justos, mas sim os pecadores” (Lc. 5,32) – Se essas famílias que não possuem o sacramento do matrimônio buscam a catequese para seus filhos é sinal de que se sentem chamadas por Jesus. O fato de não terem o sacramento do matrimônio pode ser decorrente de muitos fatores, mas assim como Jesus, não somos nós que devemos julgar; a nossa missão é atrair as pessoas para que vivam o amor maior, o amor a Deus e ao próximo – “Amai-vos como eu vos amei”(Jo 15,12). Jesus não nos ama porque somos batizados, ou porque vivemos os mandamentos, Ele nos ama porque somos filhos de Deus, nos ama incondicionalmente, sem exigir nada e nem impor nada.

Se agirmos com nossos irmãos com o mesmo amor, certamente vamos conquistar seus corações para Jesus. E, ainda que alguns não possam se aproximar dos sacramentos por impedimentos de vida, ainda assim terão uma vida voltada para Deus e para Jesus. A conversão que Jesus espera de cada um de nós é a conversão de coração que faz caminhar na direção dos nossos irmãos e a ser solidários com os mais fracos e mais pobres.

Conquiste essas famílias para Jesus e estarás construindo o Reino de Deus.

Hoje, a catequese tem uma missão que vai além da educação na fé. Ela deve começar pelo primeiro anúncio, o querígma, que vai atrair as pessoas para Jesus. Mas o querigma não se faz apenas com palavras, é essencial o acolhimento, o testemunho do amor incondicional de Deus. Para isso basta olhar para Jesus e ver como Ele fazia. Em nenhum momento Ele coloca condições para que as pessoas se aproximem dele e recebam o seu amor, ao contrário, Ele as acolhe na situação em que vivem, sejam elas pecadoras, portadoras de doenças ou pagãs, para Jesus não importa qual é a condição de vida dessas pessoas, Ele as acolhe com amor. É isso que faz diferença, é por isso que elas passam a seguir Jesus e vão aos poucos se encantando pelo Reino que Ele anuncia. A conversão dessas pessoas não é fruto de normas e de leis que devem seguir, é fruto do amor que recebem de Jesus. É esse amor que as faz querer viver, de um jeito novo e radical, o projeto de Deus.

No nosso trabalho missionário, devemos agir como Jesus agiu para atrair as pessoas para Deus. Só a acolhida amorosa, que respeita o tempo de cada um, que compreende as limitações de pessoas que são diferentes de nós e que não impõe fardos pesados para aqueles que estão iniciando a caminhada na comunidade será capaz de cativar novos adeptos, para educá-los na fé e transformá-los em discípulos.

Para isso, o primeiro passo é ir ao encontro delas, como Jesus fez com Zaqueu, ir à casa delas, demonstrar que elas são importantes como são, tornar-se amigo e conquistar a confiança das famílias pelo respeito e atenção que lhes dedica. Zaqueu não se converteu porque Jesus lhe fez uma preleção, mas porque foi almoçar em sua casa, mesmo sabendo que ele era um pecador. Jesus não lhe pediu nada, mas Zaqueu, sentindo-se amado e respeitado lhe deu tudo (cf. Lc 19, 1-10). Se fizermos como Jesus, certamente nossas comunidades vão crescer em sabedoria, tamanho e graça diante de Deus, e nossa Catequese dará frutos cem por um.

Além disso, a missão catequética não se esgota nos ensinamentos, pois como um processo permanente de educação na fé, nossa missão se estende no nosso testemunho de vida, que vai além das fronteiras da comunidade e perpassa toda a nossa existência. O catequista é um ministro da Palavra e do Evangelho de Jesus, portanto deve agir com a mesma pedagogia.

Catequese com Adultos

O Ronaldo, da Paróquia da Santíssima Trindade, Gama – DF,
nos envia uma nova mensagem pedindo orientações para a catequese com adultos.
Ele nos pergunta:

Por onde começar? Que métodos adotar? O que usar? E
quanto as dinâmicas, quais e como adotar? Teria por acaso alguma apostila que
pudesse seguir?

Resposta:

O nosso projeto é mesmo o de
auxiliar os catequistas na sua missão. Estamos nos colocando a serviço da
formação e orientação dos catequistas, e ficamos muito contentes que você nos
procure para elucidar suas dúvidas e pedir sugestões.

Catequese com adultos:

Com relação à Catequese com
adultos, a orientação da nossa Igreja é que seja feita tendo como base o “RICA –
Ritual de Iniciação Cristã de Adultos”
– pois esse é o melhor caminho para quem busca
a iniciação na fé. Portanto, uma boa forma de começar é conhecer o RICA, que é
publicado pela editora Paulus e que provavelmente o pároco da sua paróquia já o
tenha. Esse Ritual traz as indicações do melhor método e celebrações e de como
adotá-las.

Mas, para compreender melhor a
questão da Catequese de Iniciação Cristã e sua aplicação, a CNBB está lançando
uma coleção em linguagem simplificada do Diretório Nacional – “Catequese à luz
do Diretório Nacional de Catequese”
. E nessa coleção, o caderno de número 4, intitulado
“Um caminho para formar Discípulos – Missionários” é um excelente subsídio para
compreender esse processo catequético. Também recomendo a você e aos
catequistas os outros cadernos da coleção:

Caderno nº 1 = “Como ler o
Diretório Nacional de Catequese”

Caderno nº 2 = “Catequese: Um
ministério”

Caderno nº 3 = “Celebrar e
Crescer na Fé”

As publicações da CNBB têm um
custo bem acessível e você poderá encontrá-las e adquirir no site:
http://www.edicoescnbb.com.br/site/

Para a formação dos catequistas
que vão trabalhar com os adultos, há também um bom livro da coleção “Metodologia
e Catequese”
, publicada pela Editora Vozes, intitulado “Iniciação Cristã e
Catequese com Adultos”
do Pe. Nilson Caetano Ferreira, onde ele faz uma boa
apresentação do processo da iniciação cristã e da catequese com adultos.

Há um livro que recomendo para a Catequese Familiar – “Iniciação
na Fé – Um caminho para a catequese familiar”
do Pe. Paulo Haenraets, que
também poderá ser aplicado nos encontros da catequese de adultos que se
preparam para os ritos de iniciação cristã, apenas tendo o cuidado de adaptar a
linguagem, e também as celebrações, conforme o RICA, uma vez que ele é
destinado à catequese de acompanhamento dos pais das crianças e adolescentes
que estão no processo catequético.

O Regional Sul I da CNBB também publicou um subsídio para catequese
com adultos intitulado “Encontros para uma Catequese com Adultos”, que foi
publicado pela Paulus.

Espero que, com essas indicações,
você possa dar continuidade a sua bela missão de anunciar a Boa Nova e educar
na fé aqueles que se aproximam da comunidade cristã. Lembre-se sempre que a
Catequese é um Ministério, e o catequista é um discípulo a serviço do Evangelho
de Jesus e da Palavra, aos  quais deve ser sempre fiel. É também um
enviado da comunidade cristã, de quem é porta-voz, portanto deve ser fiel
tradição e aos ensinamentos da Igreja.

Catequese Familiar

O catequista Paulo Roberto, de Campo do Meio – MG, nos envia a seguinte
mensagem:

Estou precisando de orientações para formação em catequese. Trabalho
em zona rural; estou com sete alunos de crisma, oito alunos de primeira
Eucaristia e três alunos iniciantes quatro e cinco anos. As famílias não têm
uma formação religiosa boa, e muitos desses pequenos não levam a sério os
ensinamentos religiosos. Como devo proceder para poder conquistá-los?

Resposta:

Você tem um grande desafio pela
frente. Na verdade você terá que começar pelas famílias, conquistando-as para
que sejam elas as principais evangelizadoras.

Creio que no seu caso, a catequese
familiar será o melhor meio de evangelizar toda a família ao mesmo tempo, para
que os pais possam contribuir com a catequese mostrando aos filhos a
experiência religiosa que vivem. Mas para isso eles precisam descobrir a presença
de Deus em suas vidas.

Um bom método para a sua catequese
familiar será o método da Catequese Renovada, VER, JULGAR, AGIR, CELEBRAR.

Com relação aos livros sobre a
Catequese Familiar, que você poderá aplicar com as famílias dos catequizandos
que se preparam para a Eucaristia e até mesmo para o Crisma, o Pe. Paulo
Haenraets publicou, pela Editora Vozes, uma coleção muito boa e de fácil
aplicação. É a Coleção
“Iniciação na fé”.
Nessa coleção, além dos livros destinados à preparação das crianças e
adolescentes, há também um dedicado à Catequese Familiar, onde explica todo o
processo, dá dicas de preparação dos catequistas e também apresenta os encontros
para fazer com as famílias, e ainda sugere algumas celebrações fundamentais no
processo catequético.

Mesmo que você já esteja
adotando outros manuais na catequese com as crianças e adolescentes, poderia
adquirir apenas o volume
“Iniciação na
Fé. Um caminho para a catequese familiar”
e aplicar com os pais. Tenho
certeza de que você teria muito sucesso, pois a boa formação cristã dos filhos depende
da formação cristã dos pais e do seu testemunho de fé.

O saudoso Frei Bernardo Cansi também
deixou um valioso livro intitulado “A experiência de Deus na Família” que foi
publicado depois da sua morte, pelo Comitê Pró-Memorial Frei Bernardo Cansi, em
2001, em parceria com a
abc BSB Editora ltda. Esse livro tanto se
destina à Catequese com Adultos e Jovens, quanto como Fonte para Catequese
Familiar e Paroquial. A grande proposta do livro é a Interação Fé-Vida, e o
método é o VER, JULGAR, AGIR e CELEBRAR. São encontros para a catequese com
adultos onde, através dos pais, se pretende alcançar as crianças e adolescentes
que estão na Catequese. Por ser um livro mais antigo, talvez você tenha mais
dificuldade em encontrar.

Para trabalhar com os pais, há também um livro muito
bom do Frei Almir Guimarães
, “Família
Nossa de Cada Dia”
– publicado pela Editora Vozes, que traz roteiros
de reflexões para reuniões com famílias e sugere, ao final dos capítulos,
leituras bíblicas, orações e pontos de reflexão, além de debate em
grupo. Esse livro é mais adequado para encontros com os pais que já possuem uma
base catequética melhor.

Com essas sugestões, espero ter
contribuído para que você possa conquistar não apenas os catequizandos, mas
também suas famílias e assim promover uma catequese que ficará para sempre.

Mensagem de Rose Veronesi – Poços de Caldas (MG) – Paróquia São Sebastião

Olá Maria Aparecida,

Meu nome é Rose e sou catequista há mais de trinta anos. Estou com uma nova missão na minha paróquia, trabalhar com a iniciação cristã de adultos e fazer um trabalho com os pais das crianças da catequese.

Gostaria de saber se tem algum material que possa me ajudar.

Abraço. Rose

Resposta:

Rose, parabéns pela sua disponibilidade em se colocar a serviço da sua comunidade. Muito importante a sua missão de trabalhar com adultos, e o melhor material para isso, inclusive por ser recomendado pela nossa Igreja, é o RICA – Ritual para Iniciação Cristâ de Adultos. O RICA prevê a preparação dos adultos a partir de um tempo de catecumenato, onde a catequese acontece inserida em um contexto celebrativo, tendo por base os textos bíblicos da liturgia dominical.

No Blog da Catequese, semanalmente na página Encontro, vou colocar uma sugestão de encontro catequético realizado a partir do Evangelho Dominical. A primeira sugestão terá como tema a Assunção de Nossa Senhora e o Evangelho de Lucas 1,39-56, que é o evangelho do próximo domingo, dia 15 de agosto.

Você também encontrará na página Reflexão, uma proposta de Leitura Orante do texto do Magnificat, que pode ser trabalhado tanto com os catequizandos jovens e adultos, como com os pais da Catequese. Todas as semanas haverá uma reflexão de Leitura Orante com base no evangelho do domingo seguinte.

Na página de Publicações, você tem a indicação de um livro do Frei Bernardo Cansi, intitulado “EXPERIÊNCIA DE DEUS, QUE MORA EM NÓS”, que será uma ajuda importante para você trabalhar tanto com os adultos como com os pais. Ele tem uma linguagem simples, mas com muita riqueza para os catequistas.

Também o documento da Terceira Semana Brasileira de Catequese, da CNBB, traz indicações valiosas de como trabalhar Iniciação Cristã com adultos.

Para trabalhar com os pais, há um livro muito bom do Frei Almir Guimarães, FAMÍLIA NOSSA DE CADA DIA – que traz roteiros de reflexões para reuniões com famílias e sugere, ao final dos capítulos, leituras bíblicas, orações e pontos de reflexão e debate em grupo.

Espero que essas sugestões ajudem você no seu ministério.