O Dízimo

Eis um assunto que é polêmico nas comunidades católicas. Embora todas as comunidades dependam financeiramente do dízimo para a sua sobrevivência, muitas vezes essa contribuição não é bem compreendida pelos fiéis.

O Dízimo deve estar situado no âmbito da fé e sua principal perspectiva é a evangelização. O Dízimo é o meio de sustento das ações pastorais, missionárias e de promoção social, sendo um elemento da “conversão pastoral e paroquial”.

O Dízimo é expressão de fé: a pessoa que oferece seu dízimo com alegria e gratidão testemunha a própria fé; é sinal de comunhão: quem oferece seu dízimo com o coração aberto sinaliza o anseio de partilha; é sinal de participação: o cristão que oferece seu dízimo na comunidade tem o firme propósito de pertença; e a oferta do dízimo é também expressão da ação evangelizadora: o cristão católico que oferta seu dízimo é um agente de evangelização, um mantenedor da pastoral paroquial e comunitária. Continue lendo

Carta Apostólica Misericórdia e Mísera – Papa Francisco

No último domingo da Ano Litúrgico de 2016, dia 20 de novembro, o Papa Francisco fechou a Porta Santa da Basílica de São Pedro, em um ato solene que marcou o encerramento do Ano Santo Extraordinário de Misericórdia.

Nessa solenidade, o Papa Francisco disse: “Embora se feche a Porta Santa, continua sempre escancarada para nós a verdadeira porta da misericórdia que é o Coração de Cristo. Do lado transpassado do Ressuscitado jorram até o fim dos tempos a misericórdia, a consolação e a esperança”.

E para deixar bem gravado no coração de todos, o Papa Francisco também apresentou a Carta Apostólica “Misericórdia e Mísera”, onde faz algumas determinações importantes como frutos da misericórdia divina, que não deve encontrar barreiras na lei ou nas normas. O Papa recorda que ninguém pode pôr condições à misericórdia; “esta permanece sempre um ato de gratuidade do Pai celeste”.

Leia a íntegra da Carta Apóstólica no link abaixo:

CLIQUE AQUI para abrir a CARTA APOSTÓLICA MISERICÓRDIA E MÍSERA

MENSAGEM DO PAPA FRANCISCO PARA O DIA MUNDIAL DAS MISSÕES

No dia 23 de agosto de 2016, nossa Igreja comemora o Dia Mundial das Missões. Tendo em vista essa data e comemorando 90 anos da sua celebração, o Papa Francisco escreveu uma mensagem destinada a toda a Igreja, Povo de Deus.

Nessa mensagem, o Papa “convida-nos a olhar a missão ad gentes como uma grande, imensa obra de misericórdia quer espiritual quer material”. E também “a ‘sair’, como discípulos missionários, pondo cada um a render os seus talentos, a sua criatividade, a sua sabedoria e experiência para levar a mensagem da ternura e compaixão de Deus à família humana inteira”.

A íntegra da mensagem do Papa Francisco está em PDF no link abaixo, e deverá ser lida nas missas, em todas as comunidades, no domingo em que se celebra o “Dia Mundial das Missões”

CLIQUE AQUI para abrir a MENSAGEM PARA O DIA MUNDIAL DAS MISSÕES 2016

Exortação Apostólica Pós-sinodal “AMORIS LAETITIA”

papa-exorta-apostolica“A Alegria do Amor” (Amoris Laetitia) é o título da Exortação Apostólica pós-sinodal que o Papa Francisco assinou em 19 de março passado, Solenidade de São José, e que foi apresentada nesta sexta-feira, 8 de abril, no Vaticano.

A Exortação tem nove capítulos e a oração final à Santa Família. O documento reúne os resultados dos dois Sínodos sobre a família convocados pelo Papa Francisco em 2014 e 2015. imago-esortazione_apostolica_amoris_letitia

“À luz da Palavra”

No primeiro capítulo, o Papa indica a Palavra de Deus como uma “companheira de viagem para as famílias que estão em crise ou imersas em alguma tribulação, mostrando-lhes a meta do caminho”.

“A realidade e os desafios das famílias”

Partindo do terreno bíblico, no segundo capítulo, o Papa insiste no caráter concreto, que estabelece uma diferença substancial entre teorias de interpretação da realidade e ideologias. “Sem escutar a realidade não é possível compreender nem as exigências do presente nem os apelos do Espírito”, aponta. “Jesus propunha um ideal exigente, mas não perdia jamais a proximidade compassiva às pessoas frágeis”. Continue lendo

DIRETÓRIO NACIONAL DA CATEQUESE – DOC 84 DA CNBB

Catequistas, a CNBB disponibilizou o download do arquivo PDF do Diretório Nacional da Catequese e nós o compartilhamos com vocês. Assim não há mais desculpa para que estudem e aprofundem a sua formação sobre o que a nossa Igreja deseja em termos de Catequese. O Diretório é o livro essencial para todos os catequistas, indispensável na formação e na missão, pois ele explicita o significado da Catequese, apresenta as exigências da ação catequizadora, traça o itinerário a ser seguido, traz as normas para o bom desenvolvimento da Catequese e fala sobre o ministério que o catequista assume.

Aproveitem bem esse material, que poderá ser baixado nos próprios computadores, e imprimidos se desejarem.

CLIQUE AQUI PARA ABRIR O DIRETÓRIO NACIONAL DE CATEQUESE – DOCUMENTO Nº 84 DA CNBB

MENSAGENS DO PAPA FRANCISCO – Mensagem de Natal e Mensagem do 49º Dia Mundial da Paz

Postamos para vocês as mensagens do Papa Francisco, dada no Dia de Natal, 25/12/2015, na Bênção Urbi et Orbi, na hora do Ângelus, na Praça São Pedro.

E também a mensagem que Ele escreveu para o 49º Dia Mundial da Paz, em 1º de janeiro de 2016

As mensagens estão em PDF:

CLIQUE AQUI para abrir: Mensagem de Natal – 2015 – Papa Francisco

CLIQUE AQUI PARA ABRIR: Mensagem para o 49º DIA MUNDIAL DA PAZ – PAPA FRANCISCO

DECLARAÇÃO NOSTRA AETATE SOBRE A IGREJA E AS RELIGIÕES NÃO-CRISTÃS

Aproveitando a alocução do Papa Francisco na Audiência Geral desta quarta-feira, dia 28 de outubro de 2015, dedicada aos 50 anos da Declaração Nostra Aetate, do Concílio Vaticano II, sobre as relações da Igreja Católica com as religiões não-cristãs, compartilhamos no Blog da Catequese essa Declaração do Concílio Vaticano II, assinada por Paulo VI no dia 28 de outubro de 1965.

A fonte desta Declaração é o Arquivo Histórico do Concilio Vaticano II, no site do Vaticano. O arquivo está em PDF, baixado do original. Desta forma poderá ser baixado por todos. Para acessar o arquivo basta clicar sobre o título da Declaração, abaixo:

Declaração Nostra-Aetate – Concilio Vaticano II

Constituição Apostólica Sacrosanctum Concilium

PAPA-PAULO-VI-Compartilhamos com vocês o primeiro documento do Concílio Vaticano II, a Constituição Apostólica “Sacrosanctum Concilium” sobre a Sagrada Liturgia, promulgada pelo Papa Paulo VI, no dia 4 de dezembro de 1963.

A fonte deste documento é o Arquivo Histórico do Concilio Vaticano II no site do Vaticano.

O arquivo está em PDF, para que possam baixar e imprimir. Para baixar basta clicar sobre o título do documento:

Constituição Apostólica Sacrosanctum Concilium

Constituição Dogmática “DEI VERBUM” – Sobre a Revelação Divina

O Concílio Vaticano II foi um vendaval que trouxe novos ares para a nossa Igreja. Foi um sopro forte do Espírito Santo que transformou a vida do povo de Deus. Uma transformação que não significou deixar de lado a fidelidade às suas origens, mas dar atenção aos sinais dos novos tempos para realizar uma mudança que permitisse seguir de forma mais efetiva Jesus Cristo e assumir com mais comprometimento a sua Missão.

E para isso, o Concílio gerou algumas Constituições Dogmáticas, que vieram para orientar o rumo e agregar as mudanças sem abandonar o caminho traçado pela Igreja primitiva. Assim, a liturgia tornou-se mais participativa; desenvolveu-se a noção de Igreja como povo de Deus; deu-se grande impulso às relações ecumênicas e ao diálogo inter-religioso; e a Bíblia chegou às mãos do povo.

Entre essas Constituições, o Concílio nos deixou a Constituição Dogmática “Dei Verbum” – Sobre a Revelação Divina. Um documento fundamental para a leitura da Bíblia.

CLIQUE AQUI para abrir a Constituição Dogmática “DEI VERBUM