Catequese

now browsing by category

 
Posted by: | Posted on: outubro 3, 2017

Iniciação à vida de Cristã: mergulho no “Mistério de Cristo”

Somos convidados a olhar para o mistério cristão como um acontecimento que nos revela o plano divino da Salvação que Deus realiza na história da humanidade. Antes de ser uma doutrina, o “mistério” é um acontecimento oferecido como salvação a todos os seres humanos. Esse mistério de Deus chega à plenitude em Jesus de Nazaré e é anunciado na comunidade dos discípulos, até sua vinda gloriosa.

Absorvemos esse mistério de Deus que chega até Jesus de Nazaré, como o próprio Cristo que se fez sacramento de Deus. Ele é o Proto, o primeiro sacramento de Deus. Sofrendo a morte de cruz e ressuscitando, ele retorna ao Pai e envia seu Espírito para a Igreja nascente, fazendo dela sacramento dele. Assim, a Igreja é a continuação desse Sacramento (por isso ela é visível: para continuar a mesma economia salvífica divina). Ela nos oferece os sacramentos que provêm da vida do Cristo (Batismo, Crisma e Eucaristia) nos fazendo assim, sacramento do próprio Cristo. Read More …

Posted by: | Posted on: setembro 29, 2017

Anjos e Arcanjos na Bíblia e no Catecismo da Igreja Católica

Embora a devoção aos anjos e arcanjos seja histórica e bíblica, e a existência deles seja uma verdade de fé, conforme o Catecismo da Igreja Católica, não há uma catequese apropriada, que dê sentido a ela. Por esse motivo fomos em busca de dados que possam ajudar catequistas a dar a razão dessa devoção e transmiti-la aos catequizandos com seu sentido original.

O que a Bíblia fala sobre Anjos e Arcanjos?

A palavra Anjo vem do grego “angelos” que significa “enviado”, “mensageiro” (Mt 11,10; Lc 7,24; 9,52; 1Cor 11,10 – anjos, aqui, seriam mensageiros de outras comunidades que poderiam escandalizar-se com penteados extravagantes). Neste sentido, Deus pode enviar profetas (Is 14,32) ou sacerdotes (Ml 2,7) como seus mensageiros. No Antigo Testamento, em textos anteriores à monarquia, o anjo é às vezes identificado com a providência divina ou o próprio Deus presente no meio dos homens (Gn 16,7; 22,11-18; 31,11-13; Ex 3,2-5; Jz 2,1-4).

A preocupação com a transcendência divina (Deus, um ser distante e diferente), leva a falar dos anjos como intermediários (Ex 14,19-20; 23,20-23; Nm 22,22-35; Jz 2,1-4; 6,11-24; 13,3-23; Gl 3,19-20). Eles são, portanto, os mediadores da Aliança.

Como se fosse um monarca oriental, cercado de cortesões, Deus passa a ser visto rodeado de anjos (Gn 28,12; 1Rs 22,19-23; Jó 1,6-12; Is 6,2-6; Mt 16,27; Jo 1,51), organizados numa verdadeira hierarquia (Gn 3,24; Is 6,2; Ef 1,21; Cl 1,16; 1Pd 3,22). Read More …

Posted by: | Posted on: setembro 27, 2017

A Bíblia na Catequese

A Bíblia é a primeira fonte da Catequese. Ela deve inspirar todo o processo catequético.

Mas, para trabalhar adequadamente com a Bíblia no processo catequético, o próprio catequista deve se formar para ter uma visão da Bíblia que realmente ajude os catequizandos, tanto crianças, jovens e adultos,  a alimentar sua vida cristã.

A Bíblia é um livro para adultos

A Bíblia é um livro escrito por adultos para adultos. Ela trata as pessoas como adultos. Deixa espaço para refletir e para decidir. Não dá receitas prontas, nem coloca grandes dogmas de fé. A Bíblia leva a descobrir a mão de Deus nos acontecimentos, alerta para a vivência da Aliança e deixa especo para se posicionar diante dela. Na própria Bíblia encontramos correntes diferentes, idéias às vezes opostas, releitura de antigos textos. A Bíblia é diferente de um catecismo que coloca as verdades da fé sem muita possibilidade de discussão ou de opiniões diferentes. Disto vemos também, que devemos ter um certo cuidado ao trabalhar a Bíblia com crianças. Exige uma abordagem própria conforme sua idade, sua experiência da vida etc. (É um assunto que pode ser abordado em outra ocasião)

A Bíblia relata a experiência que o Povo da Bíblia tem de Deus

A Bíblia não é a Palavra de Deus que caiu do céu. Ela brotou da própria vida com suas lutas e sofrimentos, com suas situações e acontecimentos. É aí que o Povo da Bíblia foi descobrindo a mão de Deus, seu Rosto, seus apelos. A Bíblia foi escrita a partir da experiência de Deus que o Povo fazia na sua história, orientado pelos Profetas. Read More …

Posted by: | Posted on: setembro 24, 2017

Discernir como Igreja: Iluminar

Esse é o título do terceiro capítulo do documento da CNBB n. 107, “Iniciação à vida cristã: Itinerário para formar discípulos missionários. No caminhar da nossa reflexão sobre os temas do documento percebemos como está sendo construído um itinerário que nos possibilita o entendimento para a realização da ação evangelizadora da Igreja de hoje, a fim de nos tornarmos sempre mais uma “Igreja casa da Iniciação à Vida Cristã”.

A Exemplo do itinerário apresentado por Jesus em seu encontro com a Samaritana, somos convidados a promover encontros semelhantes com os nossos catecúmenos e catequizandos. É oportunidade de provocar neles a grande alegria da experiência do encontro com o Messias e, com entusiasmo, partilhar com os outros, anunciar que ele já chegou e está presente no meio de nós. Uma forma de expressar a força da Igreja missionária e, ao mesmo tempo, gerar novos missionários. Ao promover uma efetiva “Iniciação à vida Crista”, é possível responder à urgência de se ter uma Igreja em “estado permanente de missão”. Read More …

Posted by: | Posted on: setembro 17, 2017

Retornar a Jesus com a prática da Iniciação Cristã

A cada passo dado nos deparamos com novos desafios que nos surpreendem e exigem novas formas de comunicar e expressar uma linguagem de fé que promova comprometimento, com ajuda da comunidade, na educação para iniciação progressiva à vida cristã.

Jesus, ao longo de sua vida missionária, quebrou estruturas para restituir a dignidade dos filhos de Deus. Identificado como o servo sofredor, traz a salvação. Realiza a vontade do Pai de salvar a humanidade como messias que ama. Apresenta-nos o Reino dos céus e a vontade do pai. É o mistério de Deus se revelando no modo específico de ser humano de Jesus. Através dele, Jesus, como sujeito concreto, singular, e por meio de sua corporeidade, Deus quis mostrar-nos a “plenitude da revelação”. E o que é revelado por meio da humanidade de Jesus é o conhecimento do modo de ser de seu Pai. Read More …

Posted by: | Posted on: setembro 11, 2017

Iniciação à vida Cristã: um encontro com Jesus Cristo na comunidade cristã

A reflexão sobre a iniciação à vida cristã ajuda a descobrir caminhos para uma catequese que leve o catequizando a um encontro com Jesus Cristo na comunidade cristã.

A iniciação à vida cristã é um desafio que precisa ser encarado com decisão, com coragem e criatividade, visto que em muitas partes a iniciação cristã tem sido pobre e fragmentada. O documento de Aparecida já nos alerta: “ou educamos na fé, colocando as pessoas realmente em contato com Jesus Cristo e convidando-as para seu seguimento, ou não cumpriremos nossa missão evangelizadora” (DAp, 287).

Nesse sentido não podemos descuidar dos Evangelhos, fazendo deles nossos livros de cabeceira, ou nos limitamos ao que nos ensinam os catecismos, isto é, a cumprir certos ritos e a ouvir algumas homilias acerca de Deus.

 

Read More …

Posted by: | Posted on: setembro 9, 2017

O encontro de Jesus com a Samaritana no Documento 107

O encontro de Jesus com a Samaritana inspirou a reflexão do primeiro capítulo do documento da CNBB n. 107, sobre a Iniciação à vida cristã, que tem como exemplo inspirador o encontro de Jesus com a Samaritana, capítulo 4 do Evangelho de Jesus segundo João. Com este sinal João quer nos transmitir o ensinamento de Jesus a exemplo de sua prática através do diálogo com a mulher samaritana. Acontece ali a inclusão e valorização da mulher. A samaritana foi a primeira pessoa a colher da boca de Jesus a declaração messiânica “Eu sou” que depois se torna a ‘apóstola’ dos samaritanos.

Caminhando com o Evangelho de João, percebe-se a construção de um itinerário que Jesus vai realizando, apresentando os candidatos à fé sem maiores conflitos. Em sua atuação pública Jesus vai propiciando àqueles com quem vai se encontrando o contato com temas catequéticos importantes tais como: o batismo, o novo nascimento, a água viva, a palavra vivificadora, etc. São temas querigmáticos que representam a primeira Iniciação no mistério de Cristo.

Na citação do versículo 4,4, a expressão “era preciso”, quando empregada pelo evangelista João, indica que Jesus ao tomar a iniciativa de passar pela Samaria, era para realizar a sua missão, a vontade do Pai, e não por necessidade do trajeto. Chegando ao poço de Jacó, poço não de água parada, mas uma mina de água corrente no fundo, Jesus pára para descansar. Nesse momento chega ao poço uma mulher da cidade vizinha, Sicar, para tirar água e Jesus lhe pede de beber. Ela estranha  que um homem judeu peça de beber a uma mulher samaritana, pois judeus e samaritanos evitavam  se relacionar. Com esse seu gesto Jesus rompe duas barreiras: a religiosa e a social. Isto nos lembra o apóstolo Paulo, em Gl 3,28: “Não há mais judeu ou grego, escravo ou livre, homem ou mulher”: a discriminação dessas categorias desaparecem na hora do Messias. Read More …

Posted by: | Posted on: agosto 31, 2017

Setembro: Mês da Bíblia!

Setembro é um dos meses mais bonitos do ano. É o mês em que a vida floresce, animada pelos ares da primavera, renovada após o período de inverno no qual tudo ficou recolhido, adormecido. O despertar da natureza anima nossas almas: como é belo olhar tantos brotos nascendo, as arvores se enchendo de folhas verdes vibrantes, as flores desabrochando, os passarinhos nascendo e deixando seus ninhos. Creio que Deus criou o mundo em setembro, pelo menos aqui no hemisfério sul, já que no hemisfério norte é outono e nós acreditamos que Deus é brasileiro. Penso isso porque a primavera é a estação mais bonita do ano e ela vibra com toda a sua força em setembro, ao desabrochar de seus dias.

E também acredito que setembro é mesmo o mês mais apropriado para ser chamado o “Mês da Bíblia”, pois nada há de mais belo do que a Palavra de Deus para nós. Na Bíblia Ela desabrocha como flor de esperança na vida do povo, surge pondo fim ao tenebroso inverno de desespero do povo que não vê saída para as tormentas da vida, para o frio rigoroso de uma existência que se afastou da luz, que periodicamente se deixou dominar e escravizar. É sempre nesse contexto que Deus, o Sol da Vida, vem em socorro de suas criaturas. É em meio à aridez desse inverno existencial que sua Palavra brota e faz desabrochar as flores da esperança, renovando a vida.

Ao mostrarmos nossa devoção à Bíblia, devemos explicitar esse poder renovador da Palavra de Deus, para aqueles que não apenas a ouvem, mas que permitem que ela brote no coração como terreno fértil e dê flores e frutos na vida cotidiana. Read More …

Posted by: | Posted on: agosto 26, 2017

A Vocação Leiga na Comunidade

Neste 4º domingo de agosto, mês das vocações, celebramos a vocação dos leigos e leigas que se colocam a serviço na comunidade paroquial, nas inúmeras pastorais que se dedicam a cuidar da evangelização e da vivência cristã dos membros da Igreja.

Nos dias de hoje, em que as atividades para o sustento da família no dia a dia exigem muita dedicação e esforço de todos, dedicar tempo para um trabalho voluntário é uma questão que desafia as pessoas. Nas nossas comunidades, muitas vezes nos deparamos com aqueles que dizem que gostariam de se dedicar ao trabalho pastoral, mas lhes falta tempo, pois o trabalho lhes consome todo o tempo disponível.

Porém, também há nas comunidades pessoas que apesar de trabalhar duro para sustentar e cuidar da família, sempre encontram um tempo para se dedicar ao serviço pastoral. E é graças a essas pessoas que as comunidades podem manter viva a pastoral e a missão de evangelizar. Read More …