Catequese

now browsing by category

 
Posted by: | Posted on: agosto 3, 2017

Vocação Sacerdotal!

Professor Felipe Aquino

Jesus chamou para apóstolos “aqueles que Ele quis”, depois de passar a noite em oração. A Igreja viu nisso o chamado ao sacerdócio e também às outras formas de vida religiosa. É Jesus quem chama o jovem à vida sacerdotal, o que não é fácil. A vida religiosa exige muitas renúncias para ser “todo de Deus”, estar a serviço do Seu Reino para a edificação da Igreja e a salvação das almas.

A palavra “vocação” vem do latim vocare, que quer dizer “chamar”. Deus põe no coração do jovem esse desejo de servi-lo radicalmente, indiviso, full time, em tempo integral, sem divisão. Para discernir esse chamado divino, o jovem precisa, sem dúvida, de um bom orientador espiritual, um padre ou um leigo experiente para ajudá-lo. Penso que alguns sinais indicativos da vocação de um jovem ao sacerdócio ou à vida religiosa sejam esses: Read More …

Posted by: | Posted on: julho 31, 2017

AGOSTO: “MÊS VOCAIONAL”

No Brasil, o mês de agosto é dedicado às Vocações. E quando falamos em vocação, estamos falando do chamado que cada ser humano recebe para escolher seu caminho de vida. Ao longo da vida recebemos diferentes chamados. O chamado primordial é o de “ser humano”, isto é, de viver de acordo com a natureza humana que recebemos do Criador. E dentro do chamado a “ser humano” também há o chamado à fé e à espiritualidade, que são próprias do ser humano. Além disso, há o chamado à dedicação da própria vida. Há aqueles que escolhem dedicar a vida na criação e cuidado de uma família, há outros que preferem dedicá-la ao serviço sacerdotal; outros ainda optam por dedicá-la ao serviço missionário ou ao serviço da caridade. Enfim, há muitas vocações, e todas emanam de Deus Pai.  

Assim, durante o mês de agosto, as comunidades promovem momentos de oração, meditação e ação em prol das diversas vocações humanas. Read More …

Posted by: | Posted on: julho 19, 2017

Catequese de Iniciação à Vida Cristã: Uma experiência de fé, amor e testemunho

Iniciação é muito mais do que adquirir conhecimentos sobre alguma coisa. É um mergulho numa vivência especial, que faz a pessoa passar a “ser” (não apenas “saber”) algo que atinge todos os aspectos de sua vida”.1

Quando falamos sobre “Catequese de Iniciação à Vida Cristã”, estamos falando de um processo de inserção na vida, no Evangelho de Jesus Cristo, uma inserção que crie uma verdadeira identidade cristã.

As pessoas que escolhem “ser cristão”, na busca por um caminho de vida, impulsionadas pelo kerigma (primeiro anúncio), têm o direito de fazer a experiência do seguimento e da misericórdia de Cristo.

É preciso olhar para Jesus, com quem tudo começou, “que foi enviado pelo Pai para revelar o seu plano de amor e, assim, mostrar o que de fato significa a vida que nos foi dada2. Não um olhar de fora, apenas para torna-lo conhecido, mas um olhar de “coração”, aquele olhar de encantamento que conquista, que arrebata, que gera cumplicidade.

“…formar cristãos não é simplesmente alimentar hábitos de tradição cultural. Está em jogo uma opção total de vida, uma escolha do Caminho, da Verdade e da Vida, revelada em Jesus”3. A Catequese deve despertar nas pessoas a ânsia por uma opção derradeira e irrevogável que imprima a marca da identidade cristã com a brasa do Espírito Santo, e as leve a assumir o caminho de Cristo como único caminho viável e confiável. Read More …

Posted by: | Posted on: julho 14, 2017

A Catequese como envolvimento no Mistério

Compartilhamos com vocês mais um artigo que foi postado pela revista “Catequese Hoje” há cinco anos atrás, em outubro de 2012, mas que se apresenta atualíssimo. Este artigo é de autoria do Pe. Valdecir Luiz  Cordeiro, da Arquidiocese de Porto Velho.

“A Catequese como envolvimento no Mistério”

Zaqueu – Pe. Geraldo Lacerdine, sj

Catequese e vivência da fé cristã devem ser compreendidas como duas faces de uma só realidade. Isto porque a mensagem cristã, que cumpre à Igreja viver e transmitir às novas gerações, tem duas linguagens intimamente relacionadas entre si. Por um lado, a linguagem conceitual dos textos e formulações dos dogmas, de fundamental importância para dar precisão à mensagem e evitar ambiguidades. Por outro lado, a linguagem vivencial e simbólica que promana da vida da comunidade, da liturgia, da vida dos santos, do empenho dos cristãos por um mundo mais humano, tão importante para conferir sabor e credibilidade à mensagem cristã. Linguagens que convém distinguir, mas nunca separar. Read More …

Posted by: | Posted on: julho 12, 2017

“Vinde e vede!” – O método catequético de Jesus

Este artigo que compartilhamos com vocês, é de autoria de Rita de Cássia Rezende, Coordenadora da Comissão para Animação Bíblico-Catequética da Arquidiocese de Pouso Alegre-MG, em 2014. E também co-autora do Livro “O processo de formação da identidade cristã” – Ed. Paulus. O artigo foi publicado na revista online “Catequese Hoje”, da Comissão Bíblico-Catequética da CNBB-Regional Leste 2.

O artigo nos coloca diante do método, ou melhor dizendo, da pedagogia que Jesus usava para levar os discípulos a mergulharem no seu Evangelho, que é a sua própria vida.

A palavra pedagogia vem de pedagogo, que significa “aquele que leva ao mestre”. A pedagogia é portanto a arte de levar ao encontro com o mestre. Por isso, mais que um método, Jesus usa da pedagogia para levar seus discípulos a um encontro verdadeiro e profundo com Ele, Mestre e Senhor. A mesma pedagogia que devemos usar na nossa Catequese para que todos os cristãos, verdadeiramente, façam a experiência do encontro com Jesus Cristo. Read More …

Posted by: | Posted on: julho 11, 2017

O Conteúdo da Iniciação do Cristão

Queremos neste pequeno texto lembrar ao Catequista o conteúdo da Fé cristã.

JESUS CRISTO está no centro da mensagem cristã. A partir de Jesus, vamos entender o sentido da nossa vida, o plano da salvação, nossa missão. Os Evangelhos nos falam de Jesus, do seu agir, do seu falar. Nossa catequese deve pôr o catequizando em contato vivo e pessoal com o Senhor, despertar um grande amor por ele e impulsioná-lo a seguir Jesus e tornar-se um verdadeiro discípulo.

A vida, a morte e a ressurreição de Jesus formam a grande mensagem a anunciar. É o mistério pascal que celebramos na Liturgia e vivemos no dia a dia. A catequese seja extremamente bíblica. O catequizando seja introduzido na leitura da Bíblia para poder viver da própria fonte da revelação de Deus.
Read More …

Posted by: | Posted on: julho 11, 2017

Catequese Mistagógica e Narrativa

Como fazer uma catequese mistagógica?

 A catequese mistagógica – tão antiga na Igreja! – encontrou espaço de novo no cenário catequético a partir da constatação de que a catequese precisa ajudar a pessoa a fazer o seu encontro com Deus, a sua experiência de um Deus que é mistério. O processo catequético não tem como finalidade principal ensinar doutrina e gerar conhecimento. Ele precisa ajudar a pessoa a mergulhar no mistério de Deus. Nossos catequistas, na melhor das hipóteses, estavam preparados para ensinar coisas. Mesmo a pregação da Igreja é muito didática, no sentido de ser sempre uma tentativa de ensinar, de falar à razão. Mas a sede do sagrado leva as pessoas a buscar o mistério de Deus, ou o Deus que é mistério. Mistério não se ensina e nem se aprende. Não é uma incógnita cuja resposta é encontrada, nem um enigma a ser decifrado. O mistério não é para ser resolvido, pois ele não é um problema. É para ser contemplado, experimentado, vivenciado. Read More …

Posted by: | Posted on: julho 7, 2017

O Catecumenato e as Catequeses Mistagógicas

Autor: Frei Luiz Antônio Pinheiro, OSA

(Mestre em Teologia Patrística e Professor de História da Igreja, na PUC-Minas e ISTA.)

Na Igreja Primitiva, o processo de iniciação cristã, que culminava na recepção dos Sacramentos do Batismo-Unção-Eucaristia, acontecia no catecumenato, preparação que acontecia no espaço de um a três anos, de acordo com a situação de cada catecúmeno. No início do catecumenato, recebiam o livro da Palavra e eram assinalados com a cruz de Cristo. Recebiam uma “catequese integral”, centrada na história da salvação e na explicação do Credo. Era o tempo de aprofundamento do significado da conversão e do treinamento para as exigências da vida cristã, acompanhados das orações dos fiéis, dos “exorcismos menores”, das bênçãos. Era seguido de perto nesse processo pela comunidade, pelos catequistas e pelo “padrinho” ou “madrinha” que o havia apresentado.

Temos notícias dessas práticas através de vários escritos dos Padres da Igreja, como a “Didaqué” (primeiro catecismo conservado); “Demonstração apostólica” (Santo Irineu de Lião); “Tradição Apostólica” (Hipólito de Roma”); “Os Sacramentos”, “A explicação do Símbolo/Credo” (Santo Ambrósio); “A catequese aos simples” (Santo Agostinho); “Catequeses Mistagógicas” (São Cirilo de Jerusalém), entre outros. Read More …

Posted by: | Posted on: junho 28, 2017

Óbolo de São Pedro: a coleta para a caridade do Papa

– Sensível em relação aos mais necessitados, atento aos conflitos e às grandes tragédias civis que atingem algumas áreas da terra, desejoso de apoiar as vítimas das violências perpetradas em nome da religião ou de contribuir para a construção de escolas e hospitais nas periferias do mundo. Este é o perfil do doador do Óbolo de São Pedro.

O olhar dos que fazem doações em favor do Óbolo de São Pedro é voltado, principalmente, às vítimas da indiferença global: os pobres, os sem-teto, quem foge dos conflitos, da carestia e da indigência.

O doador do Óbolo é um cidadão global e isto significa que a solidariedade não conhece fronteiras. Todos somos convidados a descobrirmos as atividades do Óbolo de São Pedro e a refletir sobre as mensagens do Santo Padre visitando o site e os perfis nas redes sociais. Os fiéis devem tomar como exemplo a viúva do Evangelho (Lucas 21,2-4) que, mesmo sendo pobre, deu as suas duas moedas, ao contrário de alguns ricos, que deram o seu supérfluo. Assim, acrescento, um fiel deve imitar esta viúva no sentir o desejo de querer contribuir à missão do Papa, ou seja, ao seu desejo de ir ao encontro dos mais necessitados. Um verdadeiro cristão não pode viver somente de oração, mas deve empenhar-se em realizar atos de caridade e de generosidade. Read More …