NOVEMBRO, MÊS DE REFLETIR, AVALIAR, PARA RECOMEÇAR MELHOR!

povo a caminho para JesusEstamos iniciando o mês de novembro, e estamos a três semanas do encerramento do Ano Litúrgico. No dia 27 deste mês, nós vamos iniciar o Novo Ano Litúrgico, nos preparando para acolher Jesus que virá no Natal. Porém, antes disso, no dia 20 de novembro vamos encerrar o Jubileu da Misericórdia, com o fechamento das Portas Santas.

Este deveria ser um mês muito especial, tempo de rever o que passou e mais ainda de rever como passamos por este Ano tão privilegiado, no qual fomos chamados a refletir sobre a Misericórdia de Deus em nossa vida, e a vivência dessa misericórdia na relação com os irmãos, ou melhor, com os outros, com o próximo, em nosso cotidiano.

Cada Ano Litúrgico é uma possibilidade de crescermos no amor de Deus, de amadurecermos na Fé, de viver a plenitude do discipulado de Cristo. Continue lendo

Agosto – Mês das Vocações

Maria Aparecida de Cicco

Durante o Ano Litúrgico, nós, cristãos católicos, fazemos uma peregrinação pelos caminhos de Jesus, para conviver com os eventos fundamentais da nossa fé e refletir sobre os ensinamentos e a pedagogia de Jesus. No segundo período do Tempo Comum, no calendário litúrgico, a Igreja estabelece a cada mês, reflexões específicas para o crescimento e amadurecimento da fé e do compromisso cristão.

Assim, no mês de agosto, somos convocados a refletir sobre “VOCAÇÃO”; no mês de setembro, vamos refletir sobre a BÍBLIA; e no mês de outubro, vamos refletir sobre “MISSÃO”.

Essas reflexões são fundamentais para todos nós, pois nos ajudam a fazer auto avaliação e renovar nosso compromisso de discípulos e discípulas do Senhor.

Para viver bem o mês de agosto, mês das vocações, a Igreja propõe a celebração de quatro vocações humanas fundamentais:

  • No primeiro domingo, vamos refletir sobre a Vocação Sacerdotal, vocação daqueles que se dedicam a servir à Igreja e ao Povo de Deus;
  • No segundo domingo, vamos refletir sobre a Vocação Familiar, vocação daqueles que se dedicam a formar uma família.
  • No terceiro domingo, vamos refletir sobre a Vocação Religiosa, vocação daqueles que se dedicam à Vida Religiosa Consagrada.
  • No quarto domingo, vamos refletir sobre a Vocação Batismal, vocação de todos os leigos e leigas, que pelo Batismo são chamados a fazer parte do Povo de Deus e que no Crisma recebem a unção do Espírito para viver a própria vocação no engajamento na comunidade. E esse engajamento se faz essencial no serviço pastoral e, de forma especial na Catequese. Continue lendo

Campanha da Fraternidade

D. PAULO MENDESA partir de 1964, com abrangência nacional, vem sendo realizado no Brasil a Campanha da Fraternidade, completando 52 edições neste ano de 2016. Para cada campanha é escolhido um tema e um lema, segundo as exigências relacionadas com as necessidades mais urgentes da população. É espaço de diálogo, reflexão e conscientização sobre a temática apresentada.

A que foi preparada para este ano tem como tema, “Casa Comum, nossa responsabilidade”. O lema vem do profeta Amós 5,24: “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca”. É um alerta para nos fazer sair da acomodação e assumir os desafios da vida moderna como sujeitos. Criar consciência de que a terra, a casa comum de todos nós, pode ser diferente. Continue lendo

CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2016

cartaz-cfe-2016-pFaltam 15 dias para iniciarmos o Tempo da Quaresma e nele vivermos uma das Campanhas mais importantes da Igreja. A Campanha da Fraternidade, que neste ano será, pela quarta vez, ecumênica.

O que é a Campanha da Fraternidade?

A Campanha da Fraternidade nasceu por iniciativa de Dom Eugênio de Araújo Sales, em Nísia Floresta, Arquidiocese de Natal, RN, como expressão da caridade e da solidariedade em favor da dignidade da pessoa humana, dos filhos e filhas de Deus.

Assumida pelas Igrejas Particulares da Igreja no Brasil, a Campanha da Fraternidade tornou-se expressão de comunhão, conversão e partilha. Comunhão na busca de construir uma verdadeira fraternidade; conversão na tentativa de deixar-se transformar pela vida fecundada pelo Evangelho; partilha como visibilização do Reino de Deus que recorda a ação da fé, o esforço do amor, a constância na esperança em Cristo Jesus (Cf. 1Ts 1,3). Continue lendo

Peregrinação do Ano Santo da Misericórdia

O Blog da Catequese fez sua primeira peregrinação do Ano Santo da Misericórdia. E estando diante da Porta Santa da Basílica Nacional de Nossa Senhora Aparecida, pudemos perceber que há necessidade de alguma instrução aos peregrinos para que não se desvirtue o que o Papa Francisco pede para este Ano Santo.

Em primeiro lugar vamos contextualizar essa afirmativa, contando sobre o que pudemos ver com nossos próprios olhos, e que nos deixou preocupados.

Diante da Porta Santa da Misericórdia, encontramos um grupo de peregrinos, certamente vindos de longe, que se colocaram diante da Porta e se puseram a rezar. Bem, rezar diante da Porta Santa não constitui um erro, não fosse a forma de rezar. O grupo rezava algo como o terço, em voz alta, com uma pessoa puxando a oração e as demais respondendo. Não era o terço verdadeiro, pois apesar de contemplarem algumas passagens do Evangelho de Jesus, ao rezar as dezenas, a pessoa que puxava o terço dizia: “Ave Maria”. E os demais respondiam: “Santa Maria”. Repetindo isso por 10 vezes. O que será isso? Um resumo do terço???? Uma nova forma de rezar, mais breve e mais rápida???? Uma oração para quem tem pressa????

No artigo que escrevemos sobre como fazer a peregrinação, colocamos alguns detalhes do que significa a peregrinação do Ano Santo da Misericórdia, conforme o que está na Bula de Convocação “Misericordiae Vultus”. O artigo está em PDF, para que possa ser baixado, multiplicado e distribuído entre grupos que farão a peregrinação.

PEREGRINAÇÃO DO ANO SANTO DA MISERICÓRDIA

Missão é servir

Cartaz-CM-2015O mês de outubro é dedicado às Missões, isto é, de modo especial o olhar do povo de Deus deve se voltar à missão, o mandato que todos nós, discípulos de Jesus, recebemos pelo batismo para sermos suas testemunhas no mundo, anunciando a Boa Nova a toda criatura.

Na Conferência de Aparecida, o Papa Bento XVI, em seu discurso inaugural, disse: “A Igreja tem a grande tarefa de custodiar e alimentar a fé do Povo de Deus, e recordar também aos féis deste Continente que, em virtude de seu batismo, estão chamados a ser discípulos e missionários de Jesus Cristo. Isso leva a segui-lo, viver em intimidade com Ele, imitar seu exemplo e dar testemunho”. (Documento de Aparecida – Discurso de Bento XVI, 3)

Isso nos mostra que o chamado para ser discípulo de Jesus não se esgota no seguimento, mas se concretiza na ação missionária. Jesus veio a nós, agora devemos ir aos irmãos como mensageiros da Boa Nova, principalmente àqueles que ainda não conhecem a Jesus. Porém, aqueles que estão profundamente enraizados nele, o conhecem verdadeiramente e dão testemunho de que Ele é o caminho a verdade e a vida. Continue lendo

A Palavra de Deus é Luz para a Nossa Vida

Maria Aparecida de Cicco

Há um cântico católico que diz que a Bíblia é lâmpada para os nossos pés, luz para o nosso caminho.  Essa expressão “lâmpada para os nossos pés” é simbólica e muito apropriada, mas é preciso entender bem o seu significado.

Em primeiro lugar devemos entender o que é luz e o que é lâmpada:

  • Luz é uma energia radiante
  • Lâmpada é o instrumento que recebe essa energia e a propaga, iluminando o lugar que está escuro.

Assim sendo, podemos ver que lâmpada não é luz, mas contém a luz. Assim também a Bíblia, como a lâmpada, é o instrumento onde a Palavra de Deus, que é a luz que deve iluminar a nossa vida, está contida e de onde pode ser propagada. Continue lendo

SEMANA NACIONAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA


Semana_Nacional_Pessoa_com_Deficiencia
De 21 a 28 de agosto, comemora-se a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla. A data, que tem o objetivo de conscientizar a sociedade sobre a importância da promoção da igualdade social e da efetiva inclusão da pessoa com deficiência.

“Essa é uma iniciativa muito importante, pois eleva a autoestima da pessoa com deficiência intelectual e múltipla e ajuda a diminuir o preconceito. Precisamos chamar a atenção para a necessidade de inclusão e integração da pessoa com deficiência intelectual nos diversos âmbitos da vida social, cultural, religiosa e política.

 No âmbito da Catequese, há iniciativas que buscam a inclusão e o respeito ao diferente. No Brasil, a CNBB se pronunciou através do Documento nº 26, “Catequese Renovada” (1983), o qual aponta no número 142: “A presença de deficientes físicos ou mentais numa família e comunidade eclesial as interpela evangelicamente e exige delas uma real identificação com o Cristo sofredor nesses seus irmãos mais fracos…

Para refletirmos sobre essa questão, D. Vilson Dias de Oliveira, DC – Bispo da Diocese de Limeira – nos enviou um artigo, que postamos aqui em PDF:

Semana Nacional da Pessoa com Deficiência

AGOSTO: “MÊS VOCAIONAL”

Conforme a tradição no Brasil, o mês de agosto é dedicado à reflexão sobre as vocações. Assim, neste mês, as comunidades promovem momentos de oração, meditação e ação em prol das diversas vocações humanas.

Todo ser humano recebe um chamado que o compromete com uma das dimensões da vida, por meio do qual poderá contribuir na construção de uma sociedade mais justa e fraterna. Refletir sobre a própria vocação é tomar ciência das implicações de assumi-la com responsabilidade e comprometer-se com a missão que ela designa.

Dessa forma, durante o mês de agosto, dedica-se cada semana a uma determinada vocação: Continue lendo