Sangue e Água: Mistério de Morte e Vida

Artigo de Frei Almir Guimarães

“Dizer coração é dizer amor, o amor inatingível e desinteressado, o amor que vence pela inutilidade, que triunfa pela fraqueza, que morto dá a vida, o amor que é Deus. (Karl Ranher)

Frontispício (Hino das Primeiras Vésperas da Solenidade)

Ninguém se afaste do amor 
do vosso bom Coração. 
Buscai, nações, nessa fonte 
as graças da remissão.

Aberto foi pela lança 
e, na paixão transpassado 
deixou jorrar água e sangue 
lavando nosso pecado

Por ocasião da celebração da solenidade do Coração do Redentor fixemos nossa atenção no mistério pascal que se concretiza no dom da vida do Senhor e em seu peito aberto. Sangue e água, morte e vida. Dor e amor. Dor e abandono fecundos. Todos podemos beber, com perene alegria, nas fontes do Salvador. Continue lendo

DOS QUE CAMINHAM NA PRESENÇA DO ALTÍSSIMO

Reflexões em torno da oração como experiência de Deus

Autor: Frei Almir Guimarães

São Francisco de Assis

Hoje queremos nos deter no tema da oração. Corremos o risco de repetir o óbvio. Não existe vida espiritual sem cultivo de um relacionamento pessoal e comunitário com o Senhor. Não temos a pretensão de esgotar o assunto. Simplesmente fazemos algumas reflexões que, esperamos, possam colocar em nós o desejo da união com o Senhor. Estamos num tempo de redesenhamento, redimensionamento e revisão da vida da Igreja, da vida consagrada, da pastoral e da evangelização. Desnecessário afirmar que antes das novas configurações exteriores a serem escolhidas e implementadas será preciso a sinceridade de caminhar na presença do Altíssimo.  Nada mais importante do que nos situarmos de verdade e na verdade diante do Senhor.

1 – Não se pode imaginar um cristão que não tenha “paixão” pelo dialogo pessoal e comunitário com o Senhor que é a oração.  Uma vida cristã ou religiosa sem oração não se sustenta.  De uma maneira muito feliz e extremamente simples João Paulo II, em sua Carta ApostólicaNovo Millennio Ineunte, assim coloca o tema: “A grande tradição mística da Igreja, tanto no Oriente como no Ocidente, é bem elucidativa a respeito do tema da oração, mostrando como ela pode progredir, sob a forma de um verdadeiro e próprio diálogo de amor, até tornar a pessoa totalmente possuída pelo Amante divino, sensível ao toque do Espírito, abandonada filialmente no coração do Pai.  Experimenta-se então ao vivo a promessa de Cristo: ‘Aquele que me ama, será amado por meu Pai, e eu amá-lo-ei e manifestar-me-ei a ele’ (Jo 14,21).  Trata-se de um caminho sustentado completamente pela graça que, no entanto, requer grande empenho espiritual e conhece também dolorosas purificações, mas desemboca, de diversas formas possíveis, na alegria inexprimível vivida pelos místicos como união esponsal” (n.33).  Estamos longe da oração maquinal, apenas repetição de fórmulas, seca, sem alma, sem desejo.  Tomás de Celano, falando da oração de Francisco de Assis, assim escreve: “Transformado não só em orante, mas na própria oração, unia a atenção e o afeto num único desejo que dirigia ao Senhor” (2Cel 95).  Não se trata de haver aqui e ali alguns “episódios” de oração, mas de alguém ir se tornado um orante que caminha galhardamente sob o olhar do Senhor nas intempéries da vida.

Esses namorados de ontem e de sempre!

 Frei Almir Guimarães

Junho, mês de Santo Antônio,  mês do dia dos namorados.

Santo Antônio de Pádua é, pois, o padroeiro dos enamorados. Antigamente, as moças faziam pedidos e acompanhavam trezenas ao santo tido como casamenteiro. Será que hoje ainda o fazem? Uma música junina sempre tocada nas festas de junho já dizia: “Eu pedi numa oração ao divino São João/ que me desse matrimônio, / São João disse que não, São João disse que não, / isso é lá Santo Antônio”. Assim, no céu, Santo Antônio está sentado no guichê da entrada de solicitações de casamento…

Casamento é realidade de muita monta. Namoro e enlace matrimonial são dados que mexem com vidas, histórias, mistérios ambulantes. Um homem e uma mulher. Já nas primeiras páginas da Bíblia se fala desses dois seres diferentes e feitos um para o outro. O escritor sagrado descreve belamente criação da mulher, tirada de uma costela de Adão, do lado de Adão, perto do coração de Adão.  A página do Gênesis fala da alegria do primeiro homem que vê na mulher carne de sua carne e os dois passam a caminhar juntos pelas alamedas do paraíso. Assim o casamento e a família estão nos planos primeiros do Altíssimo.  O rei da criação, Adão, passa a fazer a aventura da vida com uma companheira tirada de seu lado, de seu coração.

Continue lendo

Eu e meu relacionamento com o Senhor

Frei Almir Guimarães

O Senhor, o Altíssimo o Todo Outro mora numa luz inacessível. Não cabe em nossos conceitos e em nossas elucubrações cerebrais. Ele é um Tu, o que transcende a tudo e a todos, o Inominável. Designamo-lo de Deus e falamos dele sem nos dar conta do seu profundo e denso mistério. Corremos o risco de banalizar seu Mistério. Francisco de Assis dizia: Tu és o Forte, tu és a Ternura, tu és a Coragem…

O que sabemos é que esse Mistério está por detrás da realidade. Ele é força e dinamismo de vida. A criação toda saiu e sai de suas mãos, de seu projeto de amor. Ele é força de vida. Um dia passamos a existir porque ele nos colocou na existência, servindo-se agentes secundários, colaboradores de seus desígnios. Fez-nos corpo, afeto, amor, inteligência, vontade. Deixou dentro de nós perguntas e questões. As Escrituras, para os que creem, falam de seu louco amor pelos homens e mulheres. Continue lendo

Diálogo do Papa Francisco com os jornalistas, no voo de retorno da peregrinação a Fátima

Trazemos para vocês o diálogo do Papa Francisco com os jornalistas durante o voo de regresso a Roma depois da peregrinação que ele fez ao Santuário de Nossa Senhora de Fátima, por ocasião do centenário das aparições da Bem-Aventurada Virgem Maria na Cova da Iria, nos dias 12 e 13 de maio de 2017.

Os jornalistas abordaram diversos temas. Entre eles a iminente audiência ao Presidente dos EUA, Donald Trump, o modo como o Vaticano enfrenta o combate à pedofilia na Igreja, e as aparições em Medjugorie, aos quais o Papa Francisco deu grande atenção e respondeu de forma clara, sem deixar dúvidas. Setenta jornalistas estavam presentes.

O texto que postamos aqui é o texto oficial divulgado pelo Vaticano.

CLIQUE AQUI para abrir o artigo do Diálogo do Papa com os jornalista no retorno de Fátima – 13-5-17

FALTA SILÊNCIO EM MUITAS MISSAS.

Autor: Pe Zezinho, scj

O Cardeal Robert Sarah, Prefeito da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, pronunciou uma conferência intitulada “A força do silêncio na liturgia” no teatro Garnelo, em Córdoba, na Espanha.

Merece reflexão porque esta tem sido a triste realidade das missas tidas como atuais ou modernas, como se refletir e pausar para interiorizar fosse algo ultrapassado.

Conheci e conheço celebrantes, comentaristas, músicos e cantores que emendam orações, textos, comentários e canções como se estivessem numa fábrica como o filme Tempos Modernos de Charles Chaplin. A ânsia de terminar não dá tempo para pausar e fazer nem dez segundos de silêncio. Continue lendo

Os biomas brasileiros

biomas_brasileirosMuitas pessoas perguntam o que significa “bioma”, que faz parte do tema da Campanha da Fraternidade deste ano de 2017. Como significado, bioma é o conjunto dos seres vivos de uma área. É entendido também como o conjunto de ecossistemas terrestres, como comunidade de plantas e animais de uma mesma formação, bem identificados em áreas diversas do território brasileiro.

A Campanha da Fraternidade, organizada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), fundamenta o tema com o texto bíblico, “Cultivar e guardar a criação” (Gn 2,15), para dizer que toda espécie de vida presente no território brasileiro depende do respeito e conservação da terra. O caminho de libertação e salvação passa pela terra, porque ela é fonte de sustentação da vida.

O Texto Base da Campanha identifica seis biomas no país: Amazônia, Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica, Pantanal e Pampa. Cuidar de cada um deles significa cuidar da “casa comum”, nos dizeres do Papa Francisco. Sabemos da permanente destruição de cada um deles de forma irresponsável, sem medir as consequências que isso poderá trazer para o futuro das gerações. Continue lendo

Compreendendo a Quarta-feira de Cinzas e seu significado

Na quarta-feira após o carnaval, a nossa Igreja dá início a um novo tempo litúrgico, o Tempo da Quaresma, que é um tempo de penitência e de conversão.

E iniciamos esse tempo com a imposição das cinzas, que simbolizam o desejo de mudança, de abandono de tudo aquilo que nos aprisiona e nos impede de seguir os passos de Jesus.

Na celebração da imposição das cinzas, nos lembramos da finitude da nossa vida “Tu és pó e ao pó voltarás” (Gn 3,19), porém essa lembrança não deve ser motivo de tristeza, mas motivo de esperança pois lembramos também que Jesus, com sua morte e ressurreição, abriu as portas da vida eterna para todos que seguirem seus passos. Se na criação fomos moldados pelo barro, em Cristo somos resgatados pelo amor.

Dom Vilson Dias de Oliveira, DC –  Bispo da Diocese de Limeira, no enviou um excelente artigo sobre o significado da imposição das cinzas sobre os fiéis. O artigo está no link abaixo:

CLIQUE AQUI para abrir o artigo sobre a Quarta-feria de Cinzas – Explicações – 2017

Quaresma 2017 – Mensagem do Papa Francisco

francisco-quaresma_2017Estamos a pouco menos de um mês do início da Quaresma, tempo de refletir, de fazer penitência; tempo de conversão.

Os cristãos, de um modo geral, e os cristãos católicos de modo particular, não podem se eximir de viver a Quaresma tendo os olhos voltados para a Vida, Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus, e ao mesmo tempo ter os olhos voltados para a vida do irmão, especialmente os mais pobres e marginalizados.

O Papa Francisco, em sua “Mensagem para a Quaresma 2017” diz:

“A Quaresma é o momento favorável para intensificarmos a vida espiritual através dos meios santos que a Igreja nos propõe: o jejum, a oração e a esmola. Na base de tudo isto, porém, está a Palavra de Deus, que somos convidados a ouvir e meditar com maior assiduidade neste tempo. / (…) / A Palavra de Deus é uma força viva, capaz de suscitar a conversão no coração dos homens e orientar de novo a pessoa para Deus. Fechar o coração ao dom de Deus que fala, tem como consequência fechar o coração ao dom do irmão. /  Amados irmãos e irmãs, a Quaresma é o tempo favorável para nos renovarmos, encontrando Cristo vivo na sua Palavra, nos Sacramentos e no próximo. (…) Que o Espírito Santo nos guie na realização dum verdadeiro caminho de conversão, para redescobrirmos o dom da Palavra de Deus, sermos purificados do pecado que nos cega e servirmos Cristo presente nos irmãos necessitados”.

A conversão quaresmal sinaliza uma mudança de vida cujo caminho passa pelo irmão, dom de Deus. Preparemo-nos para viver a Quaresma com disponibilidade e abertura ao dom da Palavra para que nossa conversão seja sinalizada pelo acolhimento ao dom dos irmãos.

CLIQUE AQUI para abrir a Mensagem do Papa Francisco para a Quaresma de 2017