Bíblia e Pastoral

Posted by: | Posted on: julho 9, 2011

A missão da Igreja tem seu fundamento na Palavra
de Deus, contida na Sagrada Escritura. Isto não é um fato de
hoje, mas vem desde sua origem. Vem das Palavras de Jesus e dos
Apóstolos, passando pelos Padres da Igreja, fazendo parte
essencial da História da Salvação em todos os tempos.

As nossas pastorais se tornam infecundas quando o
anúncio não é a Pessoa de Jesus Cristo, isto é, anúncio de
sua Palavra, de seu ensinamento e de sua própria vida. Aí
encontramos as motivações para desenvolver o tema “Eucaristia
e Missão”. A Palavra prepara a comunidade para vivenciar o
Cristo Eucarístico.

Historicamente, estamos evidenciando uma passagem
de momentos fortes em nossa atuação pastoral. Sequencialmente,
a Igreja deu ênfase ao dado teológico, doutrinal e estruturada
em princípios bem sólidos, que conseguiu influenciar a cultura
milenar, ultrapassando os rincões da Idade Média.

Houve um salto para um Momento mais antropológico,
voltando a atenção para a razão humana, tendo em vista a
prática concreta da fé. Talvez pudéssemos chamar a isto de
Idade Moderna, não só com o dado da fé e da Palavra de Deus,
mas também com a capacidade racional da pessoa humana.

Agora se fala num aspecto cosmológico, mais
globalizante, identificado como Idade Ecológica. É o que
caracterizamos de Pós-Modernidade, de acento no indivíduo, mas
relacionado com o todo ecológico. Mesmo com a evidência
individualista, temos que nos dar conta de que tudo está
concatenado, formando um todo existencial.

Podemos chamar a realidade atual de “capacidade
quântica”, de somatório matemático, onde tudo está
relacionado com tudo. É neste meio que a nossa ação pastoral
deve transitar. Creio que a Palavra de Deus seja o grande
referencial de unidade e de caminho que deve ser percorrido com
segurança.

Todas as pastorais são convocadas para um olhar
clínico de si mesmas. As transformações na sociedade são
gritantes, que atingem a ação da Igreja. O momento exige
mobilidade, nova animação e superação do comodismo. É
necessário entender as propostas da nova cultura para
evangelizar com bons resultados.

Dom Paulo Mendes Peixoto – Bispo Diocesano.