Archives

now browsing by author

 
Posted by: | Posted on: fevereiro 16, 2018

Preparando o espaço de Catequese para a Quaresma

Maria Aparecida de Cicco

A Quaresma é um tempo especial de conversão e como tal pode e deve ser destaque na Catequese, juntamente com a Campanha da Fraternidade.

Por isso, propomos uma ambientação para o encontro catequético, que permanecerá durante todo o período da Quaresma.

Espaço catequético:

No local onde se realiza o encontro catequético, prepara-se um lugar onde se deve colocar uma vasilha com areia (uma bacia ou caixa baixa, grandes), tendo no meio uma cruz (pode ser de madeira, com pelo menos 50 cm de altura. A cruz sai do meio da areia).

Em torno da cruz coloque alguns galhos secos, pedras e cactos, para que esse local lembre a realidade do deserto.

Atrás dessa bacia, coloca-se um painel que deve ter no centro o cartaz da Campanha da Fraternidade de 2018

Acolhida dos Catequizandos:

No primeiro dia de encontro, acolher os catequizandos pedindo que se coloquem em volta desse espaço preparado. Então o catequista fala brevemente sobre o tempo da Quaresma e apresenta o tema da Campanha da Fraternidade para este ano.

É importante lembrar a eles que a Quaresma é uma caminhada pelo deserto. Isto é, cada um deve viver esses dias como se estivesse caminhando num deserto, um lugar vazio que nos leva a refletir sobre a própria vida e tudo aquilo que fazemos e pensamos. Explicar também que devem, durante a caminhada, ir modificando o modo de viver, abandonando velhos hábitos que nos impedem de sermos imagens vivas de Jesus Cristo. Tudo isso no espírito da Campanha da Fraternidade.

Depois dessa breve acolhida e apresentação da Quaresma e da Campanha, faz-se a Oração da Campanha da Fraternidade 2018.

Concluída a Oração, pede-se que cada um traga no próximo encontro um coração recortado em papel, onde deve escrever uma atitude de conversão que conseguiu viver durante a semana. Exemplos: “não estou mais respondendo de mal modo à minha mãe ou meu pai”; ou “não deixei meu irmão, ou irmã, irritados por minha causa”; “deixei de fazer bulling com colegas da escola; etc.

Acolhida nos demais encontros:

No próximo encontro, na hora da acolhida, cada um deve colocar o coração que trouxe aos pés da cruz, dizendo qual foi o passo que deu nessa semana, lendo o que escreveu no seu coração.

Depois que todos colocaram seu coração, o/a catequista fala brevemente que uma caminhada é feita de passos, dados um de cada vez. E que só alcança êxito quem reflete sobre o que está fazendo que não conforme a vontade de Deus e procura se esforçar dia a dia para mudar de atitude. É preciso esforço contínuo para se converter, por isso se dá um passo de cada vez, voltando todo o coração para uma mudança por vez.

Conclui-se o momento com a Oração da Campanha e se prossegue com o encontro catequético.

No último encontro antes da Páscoa, chamar a atenção de todos para o fato de que o deserto foi transformado, pois apesar de ainda haver pedras e espinhos, há muito mais corações de conversão, o que torna o deserto mais bonito. Então, cada um deverá se comprometer a manter viva a conversão que conseguiram atingir nessa caminhada.

Posted by: | Posted on: fevereiro 15, 2018

Roteiro Homilético do 1º Domingo da Quaresma

Por Pe. Johan Konings, sj

I. Introdução geral

Estamos iniciando a Quaresma, tempo de conversão em vista da celebração do mistério pascal. Tempo de volta ao nosso “primeiro amor”, nosso projeto de vida assumido diante de Deus e Jesus Cristo. As leituras deste domingo ensinam-nos a acreditar na possibilidade da renovação de nossa vida cristã.

A liturgia deste 1º Domingo da Quaresma se inspira na catequese batismal. Nos primórdios da Igreja, a Quaresma era preparação para o batismo, administrado na noite pascal. O batismo era visto como participação na reconciliação operada pelo sacrifício de Cristo por nós (cf. Rm 3,21-26; 5,1-11; 6,3 etc.). No mesmo espírito, a liturgia renovada do Concílio Vaticano II insiste em que, na noite pascal, sejam batizados alguns novos fiéis, de preferência adultos, e todos os fiéis façam a renovação de seu compromisso batismal. Essa insistência na renovação da vida batismal faz sentido, pois, enquanto não tivermos passado pela última prova, estamos sujeitos à desistência. Como à humanidade toda, no tempo de Noé, também a cada um, batizado ou não, Deus dá novas chances: eis o tempo da conversão.

Read More …

Posted by: | Posted on: fevereiro 15, 2018

Superação da violência

Começamos mais um tempo de quaresma, de retomada dos princípios do amor, da solidariedade e do encontro com Jesus Cristo no caminho da cruz. É uma via de sacrifício e violência, culminando com a morte. É a mesma proposta de reflexão da Campanha da Fraternidade, com o tema: “Fraternidade e superação da violência”, fundamentado na base bíblica: “Vós sois todos irmãos” (Mt 23,8).

A cultura da violência provoca instabilidade, desconfiança e medo. Mas precisamos construir a cultura da paz, da confiança, “arrumando” nossa vida interior, porque a paz verdadeira tem que começar no coração de cada pessoa. É o sentido da mudança de vida, ou conversão, própria da quaresma, fazendo um encontro pessoal com Jesus Cristo, que é fonte e sustentação da esperança. Read More …

Posted by: | Posted on: fevereiro 14, 2018

Homilia do Papa Francisco na Missa de imposição das Cinzas – 2018

“O tempo de Quaresma é propício para corrigir os acordes dissonantes da nossa vida cristã e acolher a notícia sempre nova, feliz e esperançosa da Páscoa do Senhor. Na sua sabedoria materna, a Igreja propõe-nos prestar especial atenção a tudo o que possa arrefecer e oxidar o nosso coração crente.

Múltiplas são as tentações, a que nos vemos expostos. Cada um de nós conhece as dificuldades que deve enfrentar. E é triste constatar, nas vicissitudes diárias, como se levantam vozes que, aproveitando-se da amargura e da incerteza, nada mais sabem semear senão desconfiança. E, se o fruto da fé é a caridade – como gostava de repetir Santa Teresa de Calcutá –, o fruto da desconfiança é a apatia e a resignação.

Desconfiança, apatia e resignação: os demônios que cauterizam e paralisam a alma do povo crente. Read More …

Posted by: | Posted on: fevereiro 14, 2018

Mensagem do Papa Francisco sobre a Campanha da Fraternidade.

Queridos irmãos e irmãs do Brasil!

Neste tempo quaresmal, de bom grado me uno à Igreja no Brasil para celebrar a Campanha “Fraternidade e a superação da violência”, cujo objetivo é construir a fraternidade, promovendo a cultura da paz, da reconciliação e da justiça, à luz da Palavra de Deus, como caminho de superação da violência. Desse modo, a Campanha da Fraternidade de 2018 nos convida a reconhecer a violência em tantos âmbitos e manifestações e, com confiança, fé e esperança, superá-la pelo caminho do amor visibilizado em Jesus Crucificado.

Jesus veio para nos dar a vida plena (cf. Jo 10, 10). Na medida em que Ele está no meio de nós, a vida se converte num espaço de fraternidade, de justiça, de paz, de dignidade para todos (cf. Exort. Apost. Evangelii gaudium, 180). Este tempo penitencial, onde somos chamados a viver a prática do jejum, da oração e da esmola nos faz perceber que somos irmãos. Deixemos que o amor de Deus se torne visível entre nós, nas nossas famílias, nas comunidades, na sociedade. Read More …

Posted by: | Posted on: fevereiro 14, 2018

Mensagem do Papa Francisco para a Quaresma 2018

Oração, esmola e jejum: este é o convite do Papa Francisco contido na mensagem para a Quaresma do ano de 2018.

O texto foi inspirado no Evangelho de Mateus “Porque se multiplicará a iniquidade, vai resfriar o amor de muitos” (Mt 24, 12).

Esta frase situa-se no discurso que trata do fim dos tempos, pronunciado em Jerusalém, no Monte das Oliveiras, precisamente onde terá início a paixão do Senhor. Dando resposta a uma pergunta dos discípulos, Jesus anuncia uma grande tribulação e descreve a situação em que poderia encontrar-se a comunidade dos fiéis: diante de fenômenos espaventosos, alguns falsos profetas enganarão a muitos, a ponto de ameaçar apagar-se, nos corações, o amor que é o centro de todo o Evangelho.

O Papa Francisco adverte para as inúmeras formas que os falsos profetas podem assumir. Podem ser “encantadores de serpentes”, ou seja, aproveitam-se das emoções humanas para escravizar as pessoas e levá-las para onde querem.

Ele fala também que neste tempo de Quaresma, diante dos sinais de resfriamento, a Igreja oferece o remédio da oração, da esmola e do jejum.

  • Dedicando mais tempo à oração, possibilitamos ao nosso coração descobrir as mentiras secretas com que nos enganamos a nós mesmos para procurar finalmente a consolação em Deus.
  • A prática da esmola liberta-nos da ganância e ajuda-nos a descobrir que o outro é nosso irmão. “Como gostaria que a esmola se tornasse um verdadeiro estilo de vida para todos!”
  • Por fim, o jejum tira força à nossa violência, desarma-nos, constituindo uma importante ocasião de crescimento. Por um lado, permite-nos experimentar o que sentem quantos não possuem sequer o mínimo necessário.

Veja o texto completo da Mensagem, que publicamos em PDF, para que também possa baixar em seu próprio computador:

CLIQUE AQUI para abrir a MENSAGEM DO PAPA PARA A QUARESMA – 2018

Posted by: | Posted on: fevereiro 14, 2018

O sentido das Cinzas que recebemos no início da Quaresma

Ao impor essa cinza sobre nós, o sacerdote, ou ministro, dirá: “convertei-vos e crede no Evangelho”. Esta é a frase de Jesus, que sintetiza o desejo do Pai Celeste de que voltemos a Ele, nos recorda Padre Paulo de Souza, monge beneditino do Mosteiro de São Geraldo de São Paulo. 

Quarta-feira de Cinzas

 Bem vindos, irmãos e irmãs. Bem vindos à Quaresma. Bem vindos a este tempo de graça, de bênção e da Salvação de Deus. Nosso Pai Celeste está com muita saudade de nós. Ele sente falta de seus filhos amados, assim como todo pai e toda mãe anseiam pela volta dos filhos que estavam distantes. Ouçamos o convite que o próprio Deus nos faz, através do Profeta Joel: “voltai para mim com todo o vosso coração”.

Read More …

Posted by: | Posted on: fevereiro 13, 2018

TRAVESSIA DA QUARESMA

Frei Almir Guimarães

Como os hebreus que deixaram o Egito, hoje, no tempo da Quaresma, nós, discípulos do Senhor, somos convidados a atravessar outros desertos. As semanas que nos separam na Páscoa constituem oportunidade de renovação da caminhada do Povo eleito.  Assim como o Senhor acompanhou os seus diletos com a Nuvem e a Palavra no êxodo, da mesma forma, hoje, somos guiados nesse tempo favorável, nesse tempo de conversão que é a Quaresma pelas visitas do Senhor.

Cinza e pó

 Nossa caminhada quaresmal começa muito simplesmente. Caminheiros e peregrinos nos dirigimos ao templo no primeiro dia da Quaresma, na Quarta-feira da poeira, das Cinzas, das coisas insignificantes, exatamente quarta-feira do pó, do nada. Nada de vantagens a serem enumeradas. Nada de glórias a serem decantadas. Entramos humildemente diante do Senhor. Curvamos o corpo. Tomamos a decisão de recomeçar o processo de conversão.  Fizemos pouco, quase nada. Há que retomar tudo de maneira nova. Não somos os donos de nosso destino. Alguém que chamamos de Tu, de Mistério, de Abismo está pedindo que acolhamos seu amor, sua presença, seus projetos. Esse Alguém é o Senhor. Apresentamos nosso coração contrito, única fresta e porta que podemos abrir para que o Senhor tome conta de nós. Quarta-feira das coisas insignificantes.  Não adianta rasgar as vestes, como fala Joel.  É preciso rasgar o coração. Brado e apelo de conversão. O amargo precisa tornar-se doce e o doce, amargo. Mateus fala de oração, jejum e esmola. Read More …

Posted by: | Posted on: fevereiro 10, 2018

Celebração do 6º Domingo do Tempo Comum

A liturgia desse 6º Domingo do Tempo Comum nos mostra um Deus cheio de amor, de bondade e de ternura, que convida todos os homens e todas as mulheres a integrar a comunidade dos filhos amados de Deus. Ele não exclui ninguém nem aceita que, em seu nome, se inventem sistemas de discriminação ou de marginalização dos irmãos.

A Celebração, que disponibilizamos no link abaixo, foi enviada por Dom Vilson Dias de Oliveira, DC – Bispo da Diocese de Limeira, e pode ser um bom subsídio para refletirmos e prepararmos a Catequese Bíblica.

CLIQUE AQUI para abrir a Celebração do 6º Domingo do Tempo Comum – ano B – 2018

Posted by: | Posted on: fevereiro 7, 2018

CARNAVAL! FESTA PAGÃ OU FESTA CRISTÃ?

Você conhece a origem da festa de carnaval?

A festa do Carnaval é uma herança de várias comemorações realizadas na Antiguidade por povos como os egípcios, hebreus, gregos e romanos. Esses festejos pagãos serviam para celebrar grandes colheitas e principalmente louvar divindades.

Há quem diga que essa festa tenha surgido na Grécia por volta do ano 520 a.C, onde o vinho era fundamental e as pessoas se reuniam em nome do deus Dionísio, com a intenção de se divertirem, celebrar a chegada da primavera e a fertilidade.

Mas também há quem diga que provavelmente ele tenha sua origem em uma festa ancestral realizada na Roma antiga em exaltação a Saturno, deus da agricultura: as “saturnais”. Na época dessa celebração, as escolas fechavam, os escravos eram soltos e os romanos dançavam pelas ruas. Havia até mesmo uma espécie de “bisavô” dos atuais carros alegóricos, carruagens que levavam homens e mulheres e eram chamados de carrum navalis, algo como “carro naval”, devido ao formato semelhante a uma embarcação. Alguns pesquisadores enxergam aí a origem da palavra “carnaval”. Read More …