7º Encontro da Novena de Pentecoste

Posted by: | Posted on: maio 18, 2012

Perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido.

(Para o dia 24 de Maio – Quinta-feira)

Oração inicial:

(Depois de acolher os participantes da novena, pode-se iniciar com um cântico).

A – Vamos iniciar esta novena invocando a Santíssima Trindade. Que nossos pensamentos sejam como os pensamentos de Deus Pai. Que nossos sentimentos sejam como os sentimentos de Jesus e que o nosso agir seja guiado pelo Espírito Santo:

T – Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém!

A – Nesta preparação para a festa de Pentecostes, queremos, em oração, ficar bem unidos com Nosso Senhor Jesus Cristo. Que o Espírito Santo nos dê a conhecer o rosto de Deus, fonte do amor e da bondade.

T – Vinde, Espírito Santo! Ensinai-nos a reconhecer a face de Cristo em nossos irmãos e irmãs. Vinde, Pai dos pobres, doador dos dons, luz dos corações. Fazei com que nossa oração nos aproxime mais do vosso mistério de amor.

Deus nos convida

A – Ao refletirmos, hoje, sobre esse pedido de perdão, precisamos aprender com Jesus a recompor a unidade através da reconciliação.

T – É preciso ser como Jesus, força que reúne o que está disperso, dividido por discórdias e falta de amor.

A – Jesus nos ensina a cuidar da vida com dedicação, do jeito que Deus-Pai cuida de cada um de nós e nos mostra o exemplo a ser seguido:

T – “Sede santos como o vosso Pai celeste é santo”.

A – Uma das exigências da fraternidade é o perdão. Devemos perdoar não só a quem merece o perdão, mas a quem dele precisa para ser libertado do peso das culpas e do isolamento.

T – “Perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido”.

A – Queremos, no encontro de hoje, entender essas palavras de Jesus, pois, mais do que uma condição para o perdão elas nos exortam a viver a misericórdia, o amor que liberta e salva.

T – Queremos aprender sobre o amor, na escola de Jesus.

A Palavra nos orienta

A – Perdoar é curar feridas geradas pela falta de amor.

T – O perdão traz de novo a paz tanto para quem perdoa como para quem é perdoado.

Cântico de aclamação ao Evangelho

Proclamação do Evangelho (Lc 6, 37-42)

Reflexão

A – Ouvimos no Evangelho: “Não julgueis os outros e Deus não vos julgará; não condeneis e Deus não vos condenará”. Noutra passagem Jesus diz:

T – “Com a mesma medida com que medirdes, vós sereis medidos” (Mt 7, 2).

L1 – Jesus vincula o perdão do Pai ao esforço que devemos fazer para perdoar também a quem nos tem ofendido. Só recebe o perdão quem entra na dinâmica do amor, quem pelo menos se esforça para perdoar.

T – Isso não é ameaça, é um convite a entrar na dinâmica do amor.

L2 – No tempo de Jesus havia um costume de celebrar o ano do perdão. De sete em sete anos, todas as dívidas deveriam ser perdoadas.

T – E claro que não havia o mau costume de dar prejuízo aos outros.

L3 – Vejamos bem; quem toma dinheiro emprestado, contrai uma dívida e deve se esforçar para pagá-la. Quem ofende o outro, contrai uma dívida de amor e deve se esforçar para reparar a ofensa, ou seja, pagar a dívida de amor que contraiu.

T – Jesus parte desse costume do povo para ensinar sobre a reconciliação.

L4 – Naquele tempo, quem, mesmo se esforçando não conseguia pagar suas dívidas, recebia o perdão no ano do perdão, para recompor a fraternidade do povo.

T – Quem não conseguia pagar, mesmo tendo se esforçado para isso, alcançava o perdão.

A – Portanto, quando nos esforçamos para perdoar a quem nos ofendeu, se não conseguimos por nossos esforços, aí entra a misericórdia de Deus que nos dá o perdão, como lá acontecia no “ano do perdão”.

T – Só fica fora dessa dinâmica do amor quem se fecha com ódio no coração. Não perdoa e não se abre para ser perdoado.

A partilha nos enriquece

1 – Entendemos melhor o que significa “Perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido”?

2 – Quais as maiores alegrias que o perdão, dado ou recebido, traz para nosso coração?

Canto

A oração nos fortalece

A – Hoje aprendemos que o verdadeiro perdão é fruto da graça de Deus. Sozinhos nós somos fracos. Unidos com Deus nos tornamos fortes. Apresentemos nossas preces, confiantes na graça de Deus que pode transformar nossa vida:

L1 – Pela Igreja, sacramento de salvação, para que seja conduzida pelo Espírito Santo e anuncie o Evangelho não só com palavras, mas com atitudes de verdadeiro amor, rezemos:

T – Senhor, perdoai nossos pecados e ensinai-nos a perdoar.

L2 – Por todas as pessoas que carregam o coração ferido, cheio de mágoa e ressentimentos, para que se deixem curar pela graça santificadora de Deus, rezemos:

L3 – Pelos casais que sofrem por causa de incompreensões e até mesmo por infidelidades, para que encontrem, através do perdão, o caminho para recompor a paz na família, rezemos:

L4 – Por todas as pessoas que têm dificuldade para perdoar, para que confiem na misericórdia de Deus e busquem junto à cruz de Jesus a consolação de Deus-Pai, rezemos:

(Outras preces da comunidade)

A – Renovando nosso propósito de perdoar e buscar o perdão, recompondo a paz no coração e construindo a fraternidade no mundo, rezemos:

T – Pai nosso que estais nos céus…

Maria caminha conosco

A – Quando contemplamos Maria, a Senhora das dores, compreendemos a grandeza do seu amor e da sua confiança em Deus.

T – Ela soube confiar em Deus e por isso nunca perdeu a sua paz.

LI – Seus braços foram os primeiros a receber o corpo de Cristo na noite de Natal. Foram estes mesmos braços que, aos pés da cruz, receberam o corpo chagado e morto do Homem Deus.

T – No coração de Maria só reinava o amor.

A – Maria continuou serena e confiante mesmo quando parecia que Deus havia esquecido suas promessas de que Jesus seria grande, seria o Filho do Altíssimo e reinaria eternamente.

T – Ó Maria, Mãe das dores, curai os nossos corações machucados pelas ofensas. Ensinai-nos a grandeza de amar e perdoar.

Oração final

A – Nós vos agradecemos, Senhor nosso Deus, porque em vossa infinita bondade nos dais a graça de viver tão perto de vosso coração.

TFicai conosco, Senhor, pois longe de vós, nada poderemos fazer.

A – Queremos ser como Jesus, reparador dos estragos provocados pelos pecados.

TQueremos ser sol e chuva para todos, sem perguntar se merecem, mas unicamente se precisam.

A – Fazei com que nosso coração seja um novo Sacrário, morada de Nosso Senhor Jesus Cristo, e que nosso corpo seja um templo do Espírito Santo.

T Guardai-nos de todo o mal, Senhor, e acompanhai nossos passos pelos caminhos que nos levam à feliz eternidade.

Ave Maria…, Glória ao Pai…

(Confirmar sempre o local e o horário da próxima novena).





Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *