6º Encontro da Novena de Pentecoste

Posted by: | Posted on: maio 17, 2012

Pai nosso que estais nos céus

(Para o dia 23 de Maio – Quarta-feira)

Acolhida e oração inicial

(Depois de acolher os participantes da novena, pode-se iniciar com um cântico).

A – Vamos iniciar esta novena invocando a Santíssima Trindade. Que nossos pensamentos sejam como os pensamentos de Deus Pai. Que nossos sentimentos sejam como os sentimentos de Jesus e que o nosso agir seja guiado pelo Espírito Santo:

T – Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém!

A – Nesta preparação para a festa de Pentecostes, queremos, em oração, ficar bem unidos com Nosso Senhor Jesus Cristo. Que o Espírito Santo nos dê a conhecer o rosto de Deus, fonte do amor e da bondade.

T – Vinde, Espírito Santo! Ensinai-nos a reconhecer a face de Cristo em nossos irmãos e irmãs. Vinde, Pai dos pobres, doador dos dons, luz dos corações. Fazei com que nossa oração nos aproxime mais do vosso mistério de amor.

 Deus nos convida

A – Prezados irmãos e irmãs, a Sagrada Escritura sempre nos lembra o convite amoroso que Deus nos faz para vivermos juntos como família. É freqüente a imagem do banquete, momento mais sagrado da partilha do pão e da amizade.

T – Deus nos convida para uma refeição em família. Quem partilha o pão partilha a vida.

A – Sentar-se à mesa e participar de uma refeição, é sinal de amizade e compromisso, de respeito e fidelidade. E por isso que nos Salmos encontramos o lamento de alguém que se sentiu traído e diz:

T – “Até aqueles que partilharam o pão em minha casa agora estão se voltando contra mim”.

A – Portanto, o que pedimos na oração do Pai-Nosso, “O pão nosso de cada dia nos dai hoje”, é ao mesmo tempo um pedido para que Deus nos dê o necessário para viver, mas é também um compromisso que estamos dispostos a assumir:

T – Quem recebe de Deus o pão de cada dia, deve corresponder a essa atitude de amor com gratidão e fidelidade.

A – Na Eucaristia, o banquete da vida, Jesus mesmo se fez Pão para sustentar a graça de Deus em nossos corações. Ele nos diz:

T – “Quem comer desse Pão viverá eternamente”.

A Palavra nos orienta

A – Pão é alimento, é fonte de vida. Na Eucaristia Cristo se faz alimento para nossa vida e vida eterna.

T – Em cada sacramento que celebramos, renovamos nossa comunhão com Cristo e nossa pertença à Comunidade-Igreja.

Cântico de aclamação ao Evangelho

Proclamação do Evangelho (Mc 14, 12-25)

 Reflexão

A – A Eucaristia, fonte e ponto alto da vida cristã, faz com que nossas paróquias sejam sempre comunidades eucarísticas que vivem sacramentalmente o encontro com o Cristo Salvador.

T – Em cada sacramento, celebramos uma etapa de nossa vida.

L1 – No Batismo celebramos a incorporação de um novo membro a Cristo e a seu corpo que é a Igreja.

T – Na Confirmação ou Crisma, o que celebramos?

L2 – Celebramos a confirmação do compromisso batismal e escolhemos pertencer de fato à Comunidade-Igreja.

T – E quando nos distanciamos da graça de Deus, como podemos buscar o perdão?

L3 – Na Penitência ou Reconciliação, celebramos a conversão que todos necessitamos para combater o pecado, que nos faz incoerentes com os compromissos batismais.

T – Quando experimentamos a fragilidade física, temos a Unção dos Enfermos.

L4 – Na Unção dos Enfermos celebramos nossa entrega nas mãos de Deus e o significado mais profundo de nossa pertença à comunidade de salvação.

T – Quem escolhe ser padre, recebe o Sacramento da Ordem.

L – No Sacramento da Ordem celebramos o dom do ministério apostólico que continua sendo exercido na Igreja para o serviço pastoral de todos os fiéis.

T – E para constituir famílias, dando continuidade à obra da criação, temos o Sacramento do Matrimônio.

A – No Matrimônio celebramos o amor entre o casal que, como graça de Deus, germina e cresce até a maturidade, atualizando a aliança de amor que fizeram ao se casar.

A partilha nos enriquece

1 – Nós temos valorizado os sacramentos como momentos de renovação da graça de Deus em nossas vidas?

2 – O que temos feito para que nunca falte o pão de cada dia na mesa dos pobres de nossa comunidade?

Cântico

A oração nos fortalece

A – Jesus nos ensina a buscar os dons de Deus e a zelar também pela vida de nossos irmãos e irmãs mais necessitados. Confiantes na bondade de Deus que sempre nos ampara em nossas fraquezas, apresentemos nossas preces:

L1 – Pela Igreja, para que saiba motivar todos os cristãos a viverem de maneira concreta a Eucaristia, partilhando o pão e a vida, rezemos:

T – Senhor Jesus, fazei nosso coração semelhante ao vosso.

L2 – Por todas as pessoas que dedicam a vida a serviço de Deus e dos irmãos, para que não se desanimem diante das incompreensões e até das calúnias, mas saibam confiar na graça de Deus que conduz as suas vidas, rezemos:

L3 – Por todas as pessoas que sofreram alguma decepção na comunidade, para que saibam reconhecer que as pessoas podem falhar, mas que Deus nunca falha em seu amor por nós, rezemos:

L4 – Pelo sacerdote que atende nossa comunidade e por todos os sacerdotes, para que sejam sempre iluminados pelo Espírito Santo e encontrem em nossa comunidade e em nossas famílias o acolhimento fraterno, rezemos:

(Outras preces da comunidade)

A – Rezando com Jesus queremos aprender com ele a buscar, junto com nossos irmãos, o pão de cada dia, valorizando a Eucaristia, o verdadeiro Pão da Vida, alimento que pode saciar de fato a fome da humanidade.

Rezemos:

T – Pai nosso que estais nos céus…

Maria caminha conosco

A – Quando Jesus, na cruz, disse a João “Eis aí tua Mãe” (Jo 19,27), não foi só a esse discípulo que a deixou. Logo após encontramos Maria orando com os apóstolos no cenáculo, à espera do Espírito Santo. Durante toda a história do cristianismo, Maria foi sempre a presença materna na família cristã.

T – Olhai por nós, ó Mãe querida. Abençoai e protegei nossas famílias.

L1 – Com o vosso carinho materno, ensinai-nos a olhar pelos irmãos e irmãs empobrecidos.

T – Ensinai-nos a partilhar o pão de cada dia. Pão que alimenta, pão da alegria, pão da fraternidade.

A – Intercedei a Deus por nós. Concedei-nos a graça de viver e crescer sempre em comunhão com Cristo e com os irmãos.

T – Rogai por nós Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.

Oração final

A – Nós vos agradecemos, Senhor nosso Deus, porque em vossa infinita bondade nos dais a graça de viver tão perto de vosso coração.

T – Ficai conosco, Senhor, pois longe de vós, nada poderemos fazer.

A – Queremos ser como Jesus, reparador dos estragos provocados pelos pecados.

T – Queremos ser sol e chuva para todos, sem perguntar se merecem, mas unicamente se precisam.

A – Fazei com que nosso coração seja um novo Sacrário, morada de Nosso Senhor Jesus Cristo, e que nosso corpo seja um templo do Espírito Santo.

T Guardai-nos de todo o mal, Senhor, e acompanhai nossos passos pelos caminhos que nos levam à feliz eternidade.

Ave Maria…, Glória ao Pai…

(Confirmar sempre o local e o horário da próxima novena).





Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *