setembro, 2018

now browsing by month

 
Posted by: | Posted on: setembro 28, 2018

Celebração do 26º Domingo do Tempo Comum

Houve uma época em que no cristianismo, especialmente na Igreja católica, nos afastamos demais da maneira de Jesus pensar e agir. Houve uma época, por exemplo, em que a cristandade tradicional se caracterizava por atitudes fortemente exclusivistas. Só a Igreja Católica estava certa. Chegava-se a dizer que quem morresse fora da Igreja Católica ia para o inferno. Tentação muito forte também em outras religiões: achar que temos direitos autorais exclusivos sobre a salvação das pessoas!

São tentações vividas pelas comunidades cristãs primitivas certamente. São tentações que viveram os discípulos de Jesus. São tentações que viveram os companheiros de Moisés, lá no Antigo Testamento. E, quem sabe, são tentações também nossas, quando por ciúme atrapalhamos ou até impedimos que alguém tenha sucesso no bem que faz.

Aquele que de Deus procede, o Filho de Deus, portanto, vem nos iluminar e colocar em xeque tais padrões humanos de apegos exclusivistas que se alojam em nossos corpos, pessoas e comunidades.

Com essas palavras, Dom Vilson Dias de Oliveira nos ajuda a refletir no sentido da Liturgia do 26º Domingo do Tempo Comum. A Celebração completa poderá nos ajudar ainda mais a nossa reflexão, bem como a catequese bíblica e a Celebração da Palavra, nas comunidades que não dispõe de sacerdote.

CLIQUE AQUI para abrir oa Celebração do 26º Domingo do Tempo Comum – ano B – 2018

Posted by: | Posted on: setembro 28, 2018

Liberdade e gratuidade

Dom Paulo Mendes Peixoto

dar-e-receber-amorAo lado da liberdade e da gratuidade encontramos também a justiça. Todas essas virtudes são dons de Deus, porque “a lei do Senhor Deus é perfeita, alegria do coração” (Sl 18). A justiça nesse contexto é entendida como retidão, significando que não é possível aceitar um modo de viver de forma injusta e prejudicial às pessoas. Não confundir liberdade e gratuidade com arbitrariedade.

Agir com liberdade significa maturidade, critério de respeito em relação ao outro, reconhecendo o valor da identidade de cada pessoa. Isso conduz também à gratuidade, ao reconhecimento da riqueza contida na capacidade de poder fazer o bem. A gratuidade amadurece a pessoa e faz com que ela seja solidária para com as outras de seu convívio. Eleva sua autoestima e a faz viver bem. Read More …

Posted by: | Posted on: setembro 23, 2018

Leitura orante da Bíblia 

Therezinha Motta Lima da Cruz

Estudamos a Bíblia para compreender melhor a mensagem, mas ela não é só um livro que nos permite ter mais conhecimentos. Ela é principalmente um espaço onde somos convidados a conversar com Deus. Por isso a Igreja nos convida a fazer a chamada “leitura orante” da Bíblia. É um processo que, especialmente na catequese de crianças,  precisa ser trabalhado de maneira simples, para ser bem entendido, valorizado e acolhido. É normalmente apresentado em 4 passos: leitura ( o que o texto diz em si), meditação (o que o texto diz para mim, hoje), oração (o que o texto me faz dizer a Deus) e contemplação (como o texto me faz olhar a vida, tomar decisões, assumir compromissos).   

Evidentemente, antes de tudo, cada texto precisa ser bem compreendido. Muitas vezes nem percebemos que certas frases e palavras, por serem de outro tempo e outra cultura, podem ser estranhas para as novas gerações.  Às vezes se trata de palavras cujo significado pode não estar claro. Será que as crianças e adolescentes (e muitos adultos) sabem, por exemplo, o que é um fariseu, um publicano, um samaritano? Será que entendem palavras que hoje são frequentemente percebidas com outro  sentido, como sacrifício, temor a Deus, lei? Um dia, na missa, um menino de 9 anos foi escolhido para fazer parte da procissão das ofertas. Conversei rapidamente com ele, que estava bem animado por poder participar daquele jeito. Perguntei então se sabia o que era “oferta” e ele me disse: _Sei sim: é quando o supermercado vendo um produto mais barato…  Read More …

Posted by: | Posted on: setembro 20, 2018

Celebração do 25º Domingo do Tempo Comum

Domingo passado, Jesus nos mostrou em que consiste seu ser Messias-salvador. Não tem nada a ver com o messianismo político-imperialista e triunfalista pensado e esperado pelos adeptos da religião judaica de então. Deus tem outro pensamento: messianismo salvador de Jesus, seu Filho, passa pelo sofrimento, pela cruz e pela ressurreição. Jesus se faz Servo de todos: este é o Messias pensado por Deus em vista da salvação da humanidade.

A Celebração que Dom Vilson nos envia semanalmente nos ajuda a compreender como ser discípulo desse Messias Salvador.

CLIQUE AQUI para abrir a Celebração do 25º Domingo do Tempo Comum – ano B – 2018

Posted by: | Posted on: setembro 19, 2018

Cuidar do Brasil

Dom Paulo Mendes Peixoto

A desconfiança causa insegurança e prejudica a normalidade da vida no país. Apesar de o cuidado ser de todos os brasileiros, o peso se torna maior nos ombros dos governantes políticos, porque são eleitos para isso. Para muitos a confiança tem que ser em Deus, mas a responsabilidade na construção do bem comum está em nossas mãos e isso se torna grave no momento das eleições.

Deus não abandona o seu povo e lhe dá segurança para não perder o rumo. Vários líderes foram responsáveis na caminhada, e agiram com determinação. Moisés exerceu uma missão política na condução do povo. O seu modo de agir e administrar esteve sempre em sintonia com Deus em quem ele buscava orientação para exercer uma gestão com real fidelidade e em benefício de todos. Read More …

Posted by: | Posted on: setembro 16, 2018

Como ler a Bíblia!

Há muitos textos e artigos que falam sobre como ler a Bíblia, mas encontrei um prefácio escrito pelo Papa Francisco que nos ajuda nessa tarefa.  Esse prefácio foi divulgado em 2015, escrito para uma Bíblia voltada aos jovens. Nesse prefácio o Papa Francisco escreve:

 

“Se vocês vissem a minha Bíblia, talvez vocês não ficariam por nada tocados. Diriam: “O que? Esta é a Bíblia do Papa? Um livro assim velho, assim usado!”. Poderiam também me presentear uma nova, quem sabe uma de 1.000 euros: não, não gostaria. Amo a minha velha Bíblia, aquela que me acompanhou metade da minha vida. Viu a minha alegria, foi banhada pelas minhas lágrimas: é o meu inestimável tesouro. Vivo dela e por nada no mundo eu faria menos dela.”

E alertando sobre o valor que muitos de nós não dá à Bíblia o Papa Francisco lembrou o que Mahatma Gandhi, que não era cristão disse uma vez : “A vocês cristãos é confiado um texto que tem em si uma quantidade de dinamite suficiente para fazer explodir em mil pedaços a civilização inteira, para colocar de cabeça para baixo o mundo e levar a paz a um planeta devastado pela guerra. Mas a tratam, porém, como se fosse simplesmente uma obra literária, nada além disto”. Read More …

Posted by: | Posted on: setembro 14, 2018

Celebração do 24º Domingo do Tempo Comum

O povo de Israel cultivava no tempo de Jesus a ideia de um messias salvador, mas segundo critérios dos poderosos reinos deste mundo. E muita gente desconfia ser Jesus tal messias. Mas as opiniões também se dividem. Afinal de contas, quem é Jesus? No pensamento de Deus, quem é Ele? Eis a grande pergunta que aguarda uma correta resposta para os que buscam um mundo em que todos tenham qualidade de vida plenamente saudável.

Quem é Jesus e como nós o entendemos? Se confessamos ser Ele o Filho de Deus e nosso Mestre, então, qual é o ensinamento deste Mestre para que todos tenham vida? Ele mesmo, feito um de nós, vem hoje nos dizer que seu exemplo e seu destino são a chave e o segredo para a construção desse mundo novo. Mas que destino é este?

A Celebração que Dom Vilson Dias de Oliveira nos envia, traz uma bela reflexão que nos ajuda a compreender o destino de Jesus.

CLIQUE AQUI para abrir a Celebração do 24º Domingo do Tempo Comum – ano B – 2018

Posted by: | Posted on: setembro 12, 2018

A formação da Bíblia

Como estamos no mês da Bíblia, pesquisando materiais que pudessem ajudar catequistas a abordar o tema da formação da Bíblia com seus catequizandos, encontrei este vídeo bem didático, que apresenta de maneira simples como a Bíblia foi formada.

O vídeo pode ser utilizado em um encontro, como dinâmica para abrir um debate sobre a Bíblia e sua formação. Creio que ele será bem útil tanto na Catequese com adolescentes e jovens, como na Catequese com adultos.

O que é a Bíblia? Como e quando foram escritos os livros que a compõe? Este vídeo fornece uma visão geral de como a Bíblia Sagrada foi composta ao longo dos séculos.

Posted by: | Posted on: setembro 12, 2018

O olhar de Deus

Dom Paulo Mendes Peixoto

Na hipótese de um olhar de Deus sobre o que acontece na terra, não imaginamos o que Ele consegue enxergar, principalmente no Brasil dos últimos tempos. Certamente ficaria decepcionado com o grau de deterioração provocado pelas atitudes inconsequentes presentes em todos os ambientes e realidades do extenso território nacional. Destruição generalizada nas diversas esferas da Nação.

As consequências da destruição são drásticas, porque causam sofrimento para todos. No dizer do apóstolo Paulo, “Um membro sofre? Todos os outros membros sofrem com ele” (ICor 12,26). Vemos muita coisa errada por causa da má conduta de muita gente. Há tanta coisa que deve ser restaurada para recuperar a dignidade das pessoas atingidas em suas bases estruturais. Read More …

Posted by: | Posted on: setembro 12, 2018

Jogral para o Mês da Bíblia

No mês de setembro, celebramos o “Mês da Bíblia”, e no último domingo desse mês somos convocados a celebrar o “Dia da Bíblia”. Para melhor vivênciar esse dia na Catequese, valorizando o encontro como um dia  celebrativo, propomos um jogral aplicado em uma celebração catequética. No entanto, esse jogral também poderá ser aproveitado na celebração litúrgica do Dia da Bíblia. O texto que aparece entre chaves ou entre parênteses, grifado em amarelo, é apenas a orientação para quem prepara e dirige o encontro.

Preparação:

Escolher os catequisandos que irão participar do jogral, podem ser adolescentes, jovens ou adultos, mas que saibam ler bem. Treinar os catequizandos escolhidos para que façam uma leitura clara e pausada, respeitando o tempo rítmico do jogral.

Escolher um lugar onde todos possam ficar sentados em semi-círculo e o grupo que fará o jogral ficará colocado de modo a fechar o círculo.

No meio do grupo, preparar um pequeno altar com uma toalha florida (pode ser de chita) que vai representar a natureza; colocar sobre a toalha, abertas, folhas de um jornal do dia (mas sem cobrir totalmente a toalha).

Sobre a toalha colocar uma vela grande e flores (um vaso com flores plantadas). Read More …