julho, 2018

now browsing by month

 
Posted by: | Posted on: julho 31, 2018

Agosto – Mês das Vocações

Maria Aparecida de Cicco

Durante o Ano Litúrgico, nós, cristãos católicos, fazemos uma peregrinação pelos caminhos de Jesus, para conviver com os eventos fundamentais da nossa fé e refletir sobre os ensinamentos e a pedagogia de Jesus. No segundo período do Tempo Comum, no calendário litúrgico, a Igreja estabelece a cada mês, reflexões específicas para o crescimento e amadurecimento da fé e do compromisso cristão.

Assim, no mês de agosto, somos convocados a refletir sobre “VOCAÇÃO”; no mês de setembro, vamos refletir sobre a BÍBLIA; e no mês de outubro, vamos refletir sobre “MISSÃO”.

Essas reflexões são fundamentais para todos nós, pois nos ajudam a fazer auto avaliação e renovar nosso compromisso de discípulos e discípulas do Senhor.

Para viver bem o mês de agosto, mês das vocações, a Igreja propõe a celebração de quatro vocações humanas fundamentais:

  • No primeiro domingo, vamos refletir sobre a Vocação Sacerdotal, vocação daqueles que se dedicam a servir à Igreja e ao Povo de Deus;
  • No segundo domingo, vamos refletir sobre a Vocação Familiar, vocação daqueles que se dedicam a formar uma família.
  • No terceiro domingo, vamos refletir sobre a Vocação Religiosa, vocação daqueles que se dedicam à Vida Religiosa Consagrada.
  • No quarto domingo, vamos refletir sobre a Vocação Batismal, vocação de todos os leigos e leigas, que pelo Batismo são chamados a fazer parte do Povo de Deus e que no Crisma recebem a unção do Espírito para viver a própria vocação no engajamento na comunidade. E esse engajamento se faz essencial no serviço pastoral e, de forma especial na Catequese. Read More …
Posted by: | Posted on: julho 27, 2018

Celebração do 17º Domingo do Tempo Comum

Interrompendo a sequencia do Evangelho de Marcos, a liturgia do 17º Domingo do Tempo Comum, ano B, nos propõe, nos próximos cinco domingos, o capitulo sexto (6) de João: a multiplicação dos pães e o discurso sobre o Pão da Vida.

A multiplicação dos pães concentra um simbolismo muito forte, revolucionário, e caracteriza sobremaneira a identidade dos cristãos. Não é apenas uma imagem da Eucaristia, mas revela a intimidade do Reino anunciado e aponta para o banquete messiânico, no final dos tempos, quando todos serão saciados e a morte, vencida.

Este é o verdadeiro sentido da missão de Jesus, que sente as necessidades do povo e o alimenta com a Palavra e o pão partilhado. O pão é abençoado porque é um presente e alimento de Deus para todos os viventes. Repartir o pão com os pobres significa entrar e viver na dinâmica do Reino. Repartir o pão é participar na comunhão do corpo e sangue do Senhor, entregues para a vida do mundo. É o segredo maior do Reino, por isso, nada pode ser perdido, mas recolhido e sempre multiplicado.

CLIQUE AQUI para abrir a Celebração do 17º Domingo do Tempo Comum – ano B – 2018

Posted by: | Posted on: julho 25, 2018

Símbolo da 4ª Semana Brasileira de Catequese

O símbolo visual da 4ª Semana Brasileira de Catequese, que tem como inspiração o texto bíblico: “Nós ouvimos e sabemos que ele é o Salvador do mundo” (Jo 4,42), é constituído por uma cruz central, sinal de nossa salvação, sinal do amor de Jesus que nos amou até o fim. A cruz refere-se à morte de Jesus e também à sua ressurreição. A cruz é símbolo do estilo de vida que Cristo ensinou e que agora, somos convidados a assumir, do caminho pascal, de morte e ressurreição, que Cristo percorreu e que agora somos chamados a percorrer: “Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, tome sua cruz e siga-me” (Mt 16,24).É com o sinal da cruz que os catecúmenos são acolhidos na iniciação cristã.

Do lado esquerdo um pequeno traço nos lembra o lado transpassado de Cristo:  “Pendente da cruz, do seu coração aberto pela lança fez correr sangue e água” (RICA 215). O sangue e água são identificados pela Tradição da Igreja como os dois sacramentos principais: Eucaristia e Batismo. O lado aberto de Cristo morto na cruz também evoca a nossa imersão batismal na paixão e morte do Senhor. Do seio de Jesus elevado e glorificado no mistério da morte e ressurreição, flui a água viva, símbolo do dom do Espírito Santo. O Batismo confere aos fiéis o dom do Espírito Santo e os tornam portadores e templos do Espírito.

O espiral que se forma nas cores vermelha e azul, símbolo do sangue e da água, remete-nos a caminhada que iniciamos todos nós, a partir da fé em Jesus Cristo e da sua Igreja, que nasceu do seu lado aberto, assim como nova Eva do lado do novo Adão. É símbolo da caminhada dos simpatizantes, catecúmenos, eleitos, neófitos… de todo Cristão. O espiral em sentido anti-horário, representando o Kairós de Deus, “o tempo oportuno”, pelo qual somos regidos, amadurecemos e crescemos, ano após ano, de domingo a domingo, de páscoa em páscoa, até a páscoa definitiva. As pegadas aí impressas mostram que a nossa fé não é circular, mas espiral, como no ano litúrgico. A cada ano concluído, não paramos no mesmo lugar, amadurecemos no seguimento, não somos mais os mesmos, subimos um degrau.

Assim, a logotipo da 4ª SBC em sua simplicidade e profundidade, quer nos ajudar a refletir e a resgatar a essência de nossa fé e o fundamento da Iniciação à Vida Cristã, que deve unir experiência e anúncio, fé e vida num itinerário capaz de nos transformar em discípulos missionários de Jesus Cristo.

Comissão Episcopal Pastoral para Animação Bíblico-Catequética

Posted by: | Posted on: julho 20, 2018

Celebração do 16º Domingo do Tempo Comum

<<A Urgência da Missão>>

Neste domingo acompanhamos Jesus que escuta a experiência dos apóstolos, após a missão realizada por eles. O mestre se revela próximo e íntimo de seus discípulos, convidando-os para se retirarem a um lugar deserto e afastado. Embora Jesus tenha se retirado, a multidão sedenta vai a seu encontro.

Ele o Pastor que veio para dar vida e, cheio de compaixão, dá atenção a todos e os ensina. Seremos alimentados com a presença de Jesus, o Bom Pastor, que nos ama e restaura nossas forças.

Como Bom Pastor, Ele nos reúne, se compadece de nossos sofrimentos, guia-nos, fortalece-nos e defende nossa vida.

Celebração enviada por Dom Vilson Dias de Oliveira, DC – Diocese de Limeira:

CLIQUE AQUI para abrir a Celebração do 16º Domingo do Tempo Comum – ano B – 2018

Posted by: | Posted on: julho 11, 2018

Celebração do 15º Domingo do Tempo Comum

Continuando nossa trajetória no caminho de Jesus, escutamos sua Palavra de vida e salvação que hoje chama os Dozes e os envia dois a dois. Os apóstolos são chamados a viver em comunhão com Jesus, anunciar a Boa-Nova da salvação e expulsar os demônios – forças do mal. Após ter escutado o ensinamento de Jesus e testemunhando os sinais de salvação realizados por Ele, os discípulos assumem a total identificação apostólica.

A Celebração do 15º Domingo do Tempo Comum foi enviada por Dom Vilson Dias de Oliveira, DC – Bispo da Diocese de Limeira.

CLIQUE AQUI para abrir a Celebração do 15º Domingo do Tempo Comum – ano B – 2018

Posted by: | Posted on: julho 7, 2018

Celebração do 14º Domingo do Tempo Comum

Neste domingo, Marcos nos fala da rejeição dos contemporâneos de Jesus, que o enxergam somente com olhos humanos. Somos convidados a renovar nossa fé e adesão a Ele, o Filho de Deus, encarnado na história humana, em que, somos convidados a passar da morte para a vida, a realizar a vontade do Pai e a fazer memória da páscoa do Senhor, que experimentou a rejeição do seu povo em sua terra natal, e ainda continua rejeitado em tantas pessoas marginalizadas e excluídas da vida social, mesmo em nossas comunidades.

CLIQUE AQUI para abrir a Celebração do 14º Domingo do Tempo Comum – ano B – 2018