março, 2018

now browsing by month

 
Posted by: | Posted on: março 29, 2018

Celebrações do Tríduo Pascal e Ressurreição do Senhor

O Tríduo Pascal da Paixão e Ressurreição do Senhor é o ápice do Ano Litúrgico. Ele celebra a Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus. Celebrando o Tríduo Pascal, celebramos a obra da redenção humana.

“Estes dias marcam as etapas fundamentais de nossa fé e da nossa vocação no mundo, e todos os cristãos são chamados a viver os três dias Santos como, por assim dizer, a “matriz” de sua vida pessoal e comunitária, como viveram os nossos irmãos judeus o êxodo do Egito” disse o Papa Francisco na Catequese desta quarta-feira Santa.

Para bem celebrarmos estes dias, compartilhamos com vocês todas as celebrações do Tríduo e a Celebração da Páscoa do Senhor, enviadas por Dom Vilson Dias de Oliveira, DC – Bispo da Diocese de Limeira, que também nos envia uma bonita mensagem de Páscoa. Os links de cada Celebração estão logo após a Mensagem de Páscoa. Read More …

Posted by: | Posted on: março 29, 2018

As Sete Palavras de Jesus na Cruz

Pe. Adroaldo Palaoro sj

São sete expressões ditas por Jesus na Cruz e recolhidas pelos evangelistas; elas condensam a vida do Crucificado. Nestas expressões  revela-se a identidade de  Jesus: quem Ele é e sua missão.

Vamos contemplar o significado das “palavras pronunciadas por Jesus na Cruz”, deixando-nos impactar e iluminar por elas. São palavras densas, carregadas de vida; palavras “excêntricas”, onde Jesus sai de si e se dirige aos outros.

1. PERDÃO. “Pai, perdoa-lhes, pois não sabem o que fazem”(Lc 23,34)

Jesus, na sua vida pública, sempre revelou o perdão do Pai; no encontro com os pecadores deixou transparecer a misericórdia reconstrutora de Deus. O perdão foi a marca de sua vida e deve ser também a marca dos seus seguidores. Read More …

Posted by: | Posted on: março 28, 2018

Meditação sobre as Dores de Maria Santíssima – “Mater Dolorosa”

Não podemos meditar sobre a vida e a Paixão de Jesus Cristo sem olhar também para Maria. Jesus é o Filho de Deus, nascido de uma mulher, Maria. E Maria não foi menos mãe que qualquer outra mulher por ser Mãe do Salvador. Ela sentiu tudo o que qualquer mãe sente: insegurança, aflição, angústia, alegrias, enfim, no sentido da maternidade, ela foi como todas as mulheres.

Isso significa que, na verdade, ela foi diferente em dois aspectos:

1 – Ela foi a primeira e única a fazer uma experiência tão profundamente íntima da manifestação de Deus.

2 – Ela suportou as maiores dores que mãe alguma pode suportar com serenidade e confiança em Deus.

Por isso, na Semana Santa, é bem apropriado olhar também para Maria e meditar sobre as suas Dores, um Calvário que começa muito antes da Paixão de Jesus, começa antes mesmo do nascimento desse Filho tão amado.

Aproveite a Meditação das Dores de Maria, seja como uma celebração (como preparamos); seja para sua reflexão pessoal; seja em um encontro de Catequese. É uma boa maneira de refletir sobre o papel de Maria na história da Salvação. A Meditação completa está no link abaixo:

CLIQUE AQUI para abrir a “Meditação das Dores de Maria Santíssima”

[Esta Celebração foi organizada por Maria Aparecida de Cicco, que também redigiu os textos e orações (exceto os Evangelhos)]

Posted by: | Posted on: março 28, 2018

MESA: lugar da solidariedade e do encontro

Pe. Adroaldo Palaoro sj

“Estavam tomando a ceia” (Jo 13,2) 

Essa foi a prática de Jesus que mais causou espanto e escândalo: a partilha nas mesas com pobres e pecadores. Para Ele, a mesa era para ser compartilhada com todos; a partilha do pão com publicanos e pecadores fazia parte das práticas transgressoras de Jesus. Comendo e bebendo com todos os excluídos, Jesus estava transgredindo e desafiando as formalidades do comportamento social e das regras que estabeleciam a desigualdade, a divisão, a separação… 

Jesus revelava uma grande liberdade ao transitar por diferentes mesas; mesas escandalosas que o faziam próximo dos pecadores, pobres e excluídos. Ele não só transitou por outras mesas, mas instituiu a grande mesa para a festa, o encontro, a memória: a “mesa do Lava-pés e da Última Ceia”.  Da “mesa eucarística” à “mesa cotidiana”: este é o movimento de vida, inspirado por Jesus.  Read More …

Posted by: | Posted on: março 23, 2018

Celebração do Domingo de Ramos e da Paixão do Senhor

Com a celebração do Domingo de Ramos e da Paixão do Senhor, iniciamos a Semana Santa em que, com toda a Igreja, celebramos a Páscoa de nosso Senhor. Recordamos  a entrada de Cristo em Jerusalém para realizar a entrega de sua vida, pela morte de cruz, em fidelidade ao projeto do Pai. “Para assumir a missão de Jesus, o discípulo precisa estar tomado pelo espírito de serviço. Nessa perspectiva, se compreendem também outras orientações sobre o discipulado e o serviço ao mundo: ‘Se alguém quer vir após mim, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me! Pois, quem quiser salvar sua vida a perderá; mas quem perder sua vida por causa de mim e do Evangelho, a salvará’ (Mc 8, 35). Essa lógica de serviço coloca a religião como instrumento de construção de uma nova sociedade”. (Texto Base CF. 2015, 137).

CLIQUE AQUI para abrir a Celebração do Domingo de Ramos e da Paixão do Senhor – ano B – 2018

Posted by: | Posted on: março 23, 2018

V Pregação da Quaresma – texto integral

“Usemos as armas da luz – A pureza cristã”, foi o tema da V Pregação da Quaresma do frei Raniero Cantalamessa: “A primeira atitude é conservar o controle de si e do próprio corpo; a segunda é, pelo contrário, vender ou alienar o próprio corpo, ou seja, dispor da sexualidade à vontade, para fins utilitaristas e diversos daqueles para os quais foi criada”.

A pureza cristã

Em nosso comentário à parênese da Carta aos Romanos, chegamos ao ponto em que se diz:

“A noite vai adiantada, e o dia vem chegando. Despojemo-nos das obras das trevas e vistamo-nos das armas da luz. Comportemo-nos honestamente, como em pleno dia: nada de orgias, nada de bebedeira; nada de desonestidades nem dissoluções; nada de contendas, nada de ciúmes. Ao contrário, revesti-vos do Senhor Jesus Cristo e não façais caso da carne nem lhe satisfaçais aos apetites” (Rm 13, 12-14).

Read More …

Posted by: | Posted on: março 20, 2018

Domingo de Ramos 2018

No final da Quaresma, abrindo as celebrações da Semana Santa, o Domingo de Ramos tem um significado importante para a vida dos cristãos. Todo cenário da Paixão de Jesus Cristo começa por aí. Sua entrada triunfal em Jerusalém abriu espaço para que os judeus realizassem tudo aquilo que já vinham maquinando há algum tempo. Procuravam uma forma concreta para condená-Lo à morte.

Com o Domingo de Ramos Jesus torna mais evidente sua identidade como Filho de Deus. A partir daí Ele faz um caminho de sofrimento, que engloba todos os gestos da Paixão, proclamado pela Semana Santa, mas como o Messias, portador de paz e salvação para toda a humanidade. Ele supera os atos atrozes de violência e convoca o perdão do Pai para todos que O condenavam à morte na cruz. Read More …

Posted by: | Posted on: março 16, 2018

IV Pregação da Quaresma – texto integral

“Ao delinear os traços, ou as virtudes, que devem resplandecer na vida dos renascidos do Espírito, depois de ter falado da caridade e da humildade, São Paulo, no capítulo 13 da Carta aos Romanos, também fala da obediência”. Assim tem início a IV Pregação da Quaresma do padre Raniero Cantalamessa na Capela Redemptoris Mater:

“CADA QUAL SEJA SUBMISSO ÀS AUTORIDADES CONSTITUÍDAS” – A obediência a Deus na vida cristã.

  1. O fio do alto

Ao delinear os traços, ou as virtudes, que devem resplandecer na vida dos renascidos do Espírito, depois de ter falado da caridade e da humildade, São Paulo, no capítulo 13 da Carta aos Romanos, também fala da obediência:

“Cada qual seja submisso às autoridades constituídas, porque não há autoridade que não venha de Deus; as que existem foram instituídas por Deus. Assim, aquele que resiste à autoridade, opõe-se à ordem estabelecida por Deus” (Rm, 13, 1 ss). Read More …

Posted by: | Posted on: março 15, 2018

Celebração do 5º domingo da Quaresma

Nossa preparação para a Páscoa é iluminada pela Paixão e Morte de Jesus. Ele anuncia sua morte violenta e explica seu significado: fonte de vida futura e de renovação. Renovação que cria amizade e reconciliação entre as pessoas, em completa oposição ao ódio e à divisão. Que essa vida divina nasça em nossos corações para que possamos sempre dizer “sim” ao projeto de Cristo.

Com esses palavras, Dom Vilson Dias de Oliveira, DC – Bispo da Diocese de Limeira, inicia a Celebração do 5º Domingo da Quaresma, que pode-se acessar no link abaixo:

CLIQUE AQUI para abrir a Celebração do 5º Domingo da Quaresma – ano B – 2018 

Posted by: | Posted on: março 14, 2018

INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ – Aprofundar a dimensão mística

Pe. Luiz Alves de Lima, sdb.

Sem deixar a dimensão social, aprofundar a dimensão mística

Podemos também refletir que, logo após o Concílio, a Igreja de um modo geral, e sobretudo no Brasil, foi guiada e impulsionada por todos os documentos conciliares, mas sobretudo pela grande documento Gaudium et Spes: diálogo com o mundo, vivência do Evangelho a serviço da transformação da humanidade, de um modo especial em favor dos pobres, com suas conseqüências sócio-políticas… daí nasceu a Teologia da Libertação, as práticas de uma pastoral transformadora e voltada diretamente para a situação concreta sofrida e desumana da maioria de nossos fiéis, para o engajamento sócio-político em nome do Evangelho… Nossa Conferência Episcopal ficou beneficamente marcada por essas grandes intuições do Concílio, sem deixar, naturalmente, tantas outras reformas conciliares!

Read More …