2005 – Terceira Semana Brasileira de Catequese

Posted by: | Posted on: novembro 9, 2018
Ir. Israel José Nery

Em 2005, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em sua 43ª Assembleia Geral, havia aprovado o Diretório Nacional de Catequese (DNC), publicado, em 2006, na coleção Documentos da CNBB, com o número 84. Tal Documento, em sua fase preparatória, mobilizou por dois anos a Igreja no Brasil por meio de um ótimo processo participativo.

Em 2006, nos dias 09 a 17 de maio, a CNBB, em sua 44ª Assembleia Geral, como o objetivo de continuar a mobilizar o Brasil para a renovação da catequese, decidiu pela celebração de um Ano Catequético brasileiro, em 2009, com o tema “Catequese, caminho para o discipulado” e o lema “Nosso coração arde quando Ele fala, explica as Escrituras e parte o Pão” (cf. Lc 24,13-35).

Pouco antes, porém, nos dias 01 al 05 de maio do mesmo ano de 2006, em Bogotá, o Conselho Episcopal Latinop-americano (CELAM) havia promovido a Terceira Semana Latino-americana de Catequese, em vista da V Conferência Episcopal Latino-americana e Caribenha, marcada para maio de 2007, em Aparecida-SP, Brasil, com o tema ““Discípulos e Missionários de Jesus Cristo, para que nele nossos povos tenham vida”, e o lema: “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida” (Jo 14,6). A III Semana LA de Catequese tivera como tema “A Iniciação Cristã e a Catequese de inspiração catecumenal à luz do discipulado”.

O Setor Bíblico-Catequética da CNBB, elaborou um Texto-base em preparação ao Ano Catequético 2009, anunciou a celebração da Terceira Semana Brasileira de Catequese para outubro daquele ano e convocou os Regionais, às dioceses, as Paróquias para um processo participativo, tendo como texto bíblico referencial a perícope lucana “Discípulos de Emaús”. Os Assessores Nacionais Bíblico-catequéticos procuraram sensibilizar os bispos e presbíteros – primeiros responsáveis pela catequese -, e trazer para a reflexão agentes leigos/as, pastorais e movimentos. O que se viu foi um crescente entusiasmo e farta produção de material catequético, de sessões de estudo e aprofundamento do Texto base, realização de encontros de formação, de eventos de massa, e envolvimento das escolas bíblico-catequéticas e dos cursos de pós-graduação em catequética.

O interesse despertado pela Segunda Semana Brasileira de Catequese, em 2001, sobre o Catecumenato e, mais ainda, em 2006, pela Terceira Semana Latino-americana de Catequese, sobre a Iniciação Cristã e sobre a catequese de inspiração catecumenal, ajudaram a delinear, a partir de 2007, um novo paradigma para a catequese, tendo como eixo a “Iniciação à Vida Cristã”, com ênfase em uma catequese bíblica, vivencial e celebrativa.

O Ano Catequético Nacional, com ampla e intensa participação, teve a sua culminância, na Terceira Semana Brasileira de Catequese, que aconteceu de 6 a 11 de outubro de 2009, na Vila Kostka, em Itaici, Indaiatuba (SP). Ali se congregaram em intensa reflexão e em processo participativo 463 participantes, dentre os quais: 220 leigos/as, 87 religiosas, 6 diáconos, 125 padres, 25 bispos, além de assessores da CNBB.

Seguindo a metodologia: ver, julgar, agir, celebrar e avaliar, foi desenvolvida temática “Iniciação à Vida Cristã”, a partir da realidade e dos desafios da mudança de época. A iluminação bíblica, mostrou o caminho do Discipulado, da vivência e ensinamento do próprio Filho de Deus, Jesus de Nazaré. O agir focou especialmente a importância da formação de catequista para este contexto iniciático, numa pastoral de conjunto, capaz de integrar as forças vivas da Igreja, num processo de conversão pastoral.

Os grupos temáticos, organizados como oficinas, tendo como grande referencial a Iniciação à Vida Cristã, abordaram 17 subtemas, favorecendo a interatividade, a participação e a produção de sugestões, enriquecendo, assim, o tratamento da temática.

A dimensão liturgico-celebrativa esteve presente, proporcionando a unidade entre reflexão e celebração, ou seja, entre catequese e liturgia. As celebrações, inspiradas no Ritual de Iniciação Cristã de Adultos (RICA), preparadas pelos regionais, propiciaram uma mística inculturada que envolveu a todos, através da Leitura Orante da Palavra de Deus, da simbologia, dos ritos e cantos.

Enfim, dessa experiência de encontro com o Ressuscitado – Caminho, Palavra e Eucarístia -, conforme o itinerário dos discípulos de Emaús, brotaram as propostas para os regionais e dos Regionais para o Nacional, expressas da seguinte forma:.

  • Que a Palavra de Deus inspire a comunhão e a unidade na Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-Catequética;
    Produzir subsídios para a formação de catequistas, com enfoque na Iniciação à Vida Cristã;
  • Sistematizar um projeto de mobilização nacional, junto aos MCS, pastorais, serviços, movimentos e organismos da CNBB, para divulgar o processo de Iniciação à Vida Cristã e proporcionar a socialização das experiências. 
  • Retomar a Catequese com Adultos, na linha da formação para o discipulado missionário em comunidade.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *